O avesso, do avesso, do avesso

Menos de nove meses depois da partida que decidiu o último campeonato brasileiro, Palmeiras e Chapecoense voltaram a se enfrentar no Allianz Parque. Ao contrário da alegria e do céu azul do ano passado o confronto de ontem foi frio, nublado e chuvoso. A empolgante Chape que conquistava a América desapareceu nas montanhas colombianas e a realidade atual é a luta contra o rebaixamento. Do lado paulista, o time campeão do ano passado foi destruído e reconstruído tantas vezes que se transformou em um amontoado de atletas, bem longe do grupo vitorioso que o próprio Cuca montou. Neste cenário desolador, o público de 21.261 foi um dado positivo e até certo ponto surpreendente. Mostra quanto o torcedor palmeirense ainda sonha com um novo renascimento do time. Com a bola rolando porém, quem levou a melhor foi a Chapecoense, que fez 2 a 0 e saiu da zona de rebaixamento. Com a derrota, a equipe paulista permanece na quarta posição da tabela, mas com uma vantagem menor em relação aos rivais.

O jogo começou e, como se imaginava, o Palmeiras se impôs com um meio campo reforçado pela presença de Moisés e Guerra mais dois atacantes velozes pelas pontas. Já o time catarinense se fechou, marcando forte desde a saída de bola palestrina. Já no primeiro minuto, Deyverson (na foto acima) aproveitou erro de Reinaldo na saída de bola, passou por Jandrei mas a deixou bola escapar para linha de fundo. Aos 12, Róger Guedes lançou para Willian que dentro da área dominou mal e permitiu a Jandrei mandar a bola para escanteio. Após a pressão nos primeiros minutos o ritmo do Palmeiras caiu e os erros começaram a ficar mais frequentes. A bola que era tratada com carinho passou a ser quebrada com chuveirinhos e bolas diretas da defesa para o ataque. Era o que a Chape queria. Aos 22, Jandrei fez um lançamen to longo, Jean cochilou e a bola chegou em Arthur que ajeitou para o chute de Penilla. Fernando Prass salvou o Verdão. Em novo erro da defesa paulista, após cobrança da falta de Reinaldo, Fabrício Bruno recebeu sozinho, tocou cruzado na saída de Prass e abriu o placar aos 38!

Com o placar adverso, o nervosismo tomou conta do Allianz Parque. O apito de fim do primeiro tempo foi também de alívio para os palmeirenses temerosos pelo pior. Para a segunda etapa, o técnico Cuca colocou Keno e Tchê Tchê em campo. E o time retomou a mobilidade do meio campo. Em cruzamento vindo da direita, Apodi falhou feio e Keno sozinho tocou de chapa perto do gol de Jandrei. Como no primeiro tempo, após quinze minutos de pressão, o Verdão Paulista se desarrumou e na base do desespero tentou abafar o Verdão do Oeste. A Chapecoense porém demonstrando cansaço desistiu dos contrataques e se fechou ainda mais. Aos 40 do segundo tempo, em disputa com Apodi, Keno caiu na área. A torcida pediu pênalti, mas o juiz Dyorgines Jose Padovani de Andrade mandou o jogo seguir. A pressão que já era grande ficou insuportável. Os catarinenses passaram a abusar da cera e da catimba. Com 42 minutos, veio o lance capital da partida; em mais um chuveirinho na área, Deyverson c abeceou a queima roupa e Jandrei salvou em cima da linha. No minuto seguinte Jean encontrou o atacante Borja que sozinho na área bateu fora, à esquerda do gol de Jandrei. Mais uma vez o colombiano desperdiçou a chance de se redimir.

Sem outra saída, o time Palmirense esqueceu a tática e partiu todo para o ataque. No tudo ou nada, veio o castigo. Já nos acréscimos, Túlio de Melo aproveitou o desespero e na cara de Prass fez o segundo gol. Na saída de bola o juiz apitou já fim do jogo. A torcida que tinha apoiado enquanto bola rolava perdeu a paciência. Boa parte do público gritou: “Não é mole, não, muito dinheiro pra pouca obrigação” e “Time sem vergonha”. Na próxima partida o Palmeiras busca a recuperação no clássico contra o São Paulo enquanto a Chapecoense recebe o Corinthians em jogo adiado da 20ª rodada.

FICHA TÉCNICA PALMEIRAS 0 x 2 CHAPECOENSE

Data: 20 de agosto as 19 horas

Local: Allianz Parque, em São Paulo

Público: 21.261 Renda: R$ 1.071.429, 69

Árbitro: Dyorgines Jose Padovani de Andrade

Assistentes: Fabiano da Silva Ramires e Vanderson Antonio Zanotti

Cartões amarelos: Moisés (Palmeiras); Reinaldo, Moisés Ribeiro, Grolli e Roberto (Chapecoense)

Gols: Fabrício Bruno, aos 38 minutos do primeiro tempo e Túlio de Melo aos 49 minutos do segundo tempo.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Luan e Michel Bastos; Thiago Santos (Tchê Tchê), Moisés e Guerra; Róger Guedes (Keno), Deyverson e Willian (Borja). Técnico: Cuca

CHAPECOENSE: Jandrei; Apodi, Fabrício Bruno, Grolli e Reinaldo (Roberto); Moises, Lucas Mineiro, Moisés Ribeiro e Luiz Antonio; Arthur (Wellington Paulista), Túlio de Melo e Penilla (Júlio César). Técnico: Vinícius Eutrópio

Renato Melhem

Sobre Renato Melhem

Renato Melhem já escreveu 51 posts nesse site..

Renato Melhem é comentarista esportivo da TV Cidade e da rádio Nova Difusora AM de Osasco. Escreve também no Blog O NOSSO FUTEBOL - www.onossofutebol.comFormado em Arquitetura e Urbanismo é Conselheiro do CAU/SP.


 

365 Scores

 

Renato Melhem
Renato Melhem
Renato Melhem é comentarista esportivo da TV Cidade e da rádio Nova Difusora AM de Osasco. Escreve também no Blog O NOSSO FUTEBOL - www.onossofutebol.comFormado em Arquitetura e Urbanismo é Conselheiro do CAU/SP.
http://www.onossofutebol.com

Artigos Relacionados

Topo