Nacional vence Progreso e se mantem 100% no Clausura Uruguaio

Equipe tricolor venceu as cinco partidas que disputou até aqui. Peñarol e Danúbio também seguem invictos

A 5a rodada do clausura uruguaio aconteceu neste final de semana com sete partidas. Destaque para o líder invicto com 100% de aproveitamento Nacional que venceu o Progreso pelo placar mínimo. Já o Danúbio quase viu sua invencibilidade escapar depois de estar perdendo por 2 x 0 para o Montevideo Wanderers, mas acabou buscando o empate. No Centenário Torque goleou o River Plate e se distanciou da zona de rebaixamento. Confira os detalhes e os gols das partidas.

Clausura Uruguaio – 5ª rodada

Sábado

Atenas San Carlos 0 x 1 Liverpool

Jogando fora de casa o Liverpool precisou de apenas cinco minutos para vencer o Atenas San Carlos e consequentemente colocar fim ao jejum de três jogos sem vitórias no clausura uruguaio. Depois de uma boa troca de passes que começou com o goleiro Jorge Bava, a bola chegou até Lucas Ocampo que na entrada da área se livrou da marcação de dois zagueiros do Atenas e tocou para o atacante Juan Ignácio Ramirez fazer o giro para cima da marcação, e chutar no canto do goleiro Bruno Pereyra. Este foi o segundo gol do camisa nove do Liverpool no campeonato.

Com a vitória o Liverpool foi a sete pontos se distanciando um pouco mais da zona de rebaixamento. Na próxima rodada o time treinado por Paulo Pezzolano enfrenta o Danúbio no estádio Belvedere. O Atenas San Carlos segue na lanterna da competição com apenas três pontos ganhos, ainda sem saber o que é vitória. A equipe de San Carlos folga na rodada seguinte, já que enfrentaria o El Tanque Sisley que desistiu da competição por problemas financeiros.

Danúbio 2 x 2 Montevideo Wanderers

Danúbio Montevideo Wanderers fizeram um jogo movimentado no estádio Jardines del Hipódromo. Os visitantes iniciaram a partida jogando de igual para igual, dispostos a acabar com a invencibilidade dos donos da casa. Tanto que logo aos três minutos de jogo Rodrigo Pastorini acertou a trave direita do goleiro Facundo Silva. O mesmo Pastorini  não desperdiçou aos 20 minutos, depois de boa troca de passes entre Diego Riolfo Lucas Morales que encontrou o próprio Rodrigo Pastorini. Ele teve tempo de dominar, ajeitar a bola e acertar um belo chute sem chances para o goleiro Facundo Silva. Ambas as equipes tiveram outras boas chances de marcar, mas o primeiro tempo terminou com a vantagem do Montevideo Wanderers.

Na segunda etapa o cenário foi praticamente o mesmo, com o Montevideo Wanderes neutralizando as tentativas de ataque dos donos da casa e também impondo um bom toque de bola. Aos 22 minutos Manuel Castro pela direita cruzou na cabeça de Nicolás Albarracin ampliar para o Wanderers, 2 x 0. A resposta do Danúbio veio dois minutos depois quando a bola veio para a área em um cruzamento pela direita, passou por Agustín Navarro, sobrou para Frederico Rodriguez que tocou com o peito para o arremate certeiro de Carlos Grossmuller de pé direito. A partir daí o Danúbio foi para cima buscar o empate. Após perder uma chance clara e ter um gol anulado, a igualdade no placar aconteceu. Aos 44 minutos depois de cobrança de escanteio Pablo Ceppelini acertou um chute de primeira, decretando o 2 x 2 final mantendo a invencibilidade no clausura.

Domingo

Boston River 2 x 3 Cerro

Derrotado por Nacional Fénix no clausura e eliminado pelo Bahia na Copa Sulamericana, o Cerro entrou em campo determinado a fazer as pazes com a vitória mesmo jogando fora de casa. E demonstrou isso marcando duas vezes nos primeiros minutos de partida, ambas com Luis Acevedo revelado nas categorias de base. Logo na primeira chegada com um minuto de jogo, ele recebeu passe na entrada da área depois de tabelar, e só teve o trabalho de chutar na saída do goleiro Gonzalo Falcón. Na sequência aos 5′, Acevedo recebeu um lançamento do campo de defesa, ganhou na velocidade de Ronald Araújo tocando na saída de Falcón. O começo avassalador deu tranquilidade ao Cerro que seguiu criando e desperdiçando chances de ampliar. Ao Boston River só restou lançar-se ao ataque para tentar descontar, e deu certo. Nos acréscimos do primeiro tempo, Robert Ergas cruzou na área para o cabeceio de Diego Coelho sem chances de defesa para Jonathan Deniz.

O segundo tempo começou com a equipe do Boston River mais ligada na partida do que na primeira etapa, desperdiçando, inclusive, uma boa chance de empatar após Mastriani acertar um chute na trave. Aos 22 minutos o Cerro teve um escanteio pela direita. Após a cobrança houve um bate-rebate dentro da pequena área. Franco López chutou em cima do goleiro, no rebote ela acabou sobrando para Nicolás Gonzalez que, na confusão, conseguiu tocar na bola empurrando para dentro do gol. Os jogadores do Boston River prontamente reclamaram toque de mão do atacante camisa nove do Cerro, mas nada foi sinalizado pela arbitragem e o gol foi confirmado.  Aos 33′ os donos da casa foram novamente para o ataque. Pablo Adorno chutou cruzado para a área pelo lado esquerdo, a bola encontrou outra vez o pé de Diego Coelho que descontou, 2 x 3. Placar que persistiu até o final.

 

Fénix 1 x 2 Defensor Sporting

Fénix Defensor Sporting entraram em campo no estádio Parque Capurro buscando acabar com a má sequência de resultados. A equipe alvi-violeta havia perdido as três últimas partidas do clausura, enquanto o Defensor Sporting vinha de uma derrota e dois empates, além da eliminação para o Fluminense na Copa Sulamericana. A partida começou equilibrada com chances de abertura do placar para os dois lados. Mas quem saiu na frente foi o Fénix. Depois de entrar na área pelo lado esquerdo, Maximiliano Cantera tocou para trás encontrando o camisa 11 Bryan Olivera que chutou forte no canto do gol defendido por Guilhermo Reyes. Porém, o próprio autor do gol do Fénix acabou sendo o protagonista do empate do time violeta. Quando Beltrán arremessou um lateral para dentro da área Olivera dominou a bola com o braço, pênalti marcado. Na cobrança Álvaro Navarro marcou o 1 x 1 no placar.

Nos acréscimos do primeiro tempo o Defensor Sporting teve uma falta para cobrar na entrada da área, depois que o meia do FénixRaúl Ferro, tocou a bola com o braço. O lance gerou muita reclamação do próprio jogador e de seus companheiros alegando que não houve o toque. Reclamações a parte, Joaquín Piquerez bateu forte tirando da barreira, o goleiro Darío Deniz deu rebote no pé de Álvaro Navarro que não perdoou e mandou para o fundo das redes, decretando a virada ainda na primeira parte do jogo. O segundo tempo começou e logo aos 11 minutos mais um lance polêmico. Depois de cruzamento de Léo Fernandez, o atacante Mathías Acuña caiu na área e o árbitro Jonathan Fuentes marcou pênalti para o Fénix, para protesto do camisa 14 do Denfensor, Emanuel Beltrán, que estava na marcação de Acuña no lance. Para desespero dos torcedores, a chance do empate parou nas mãos de Guilhermo Reyes que defendeu firme a cobrança de Bryan Olivera no canto direito, garantindo a vitória por 2 x 1 fora de casa.

Rampla Juniors 2 x 0 Racing Montevideo

Depois das derrotas diante de NacionalProgreso e do empate com o Defensor Sporting, o Rampla Júniors entrou em campo com a motivação de buscar uma melhor posição na tabela do clausura. Quase todas as investidas no setor de ataque foram dos donos da casa que, de tanto insistirem, abriram o placar contra o Racing Montevideo aos 25 minutos da primeira etapa, quando a zaga do Racing afastou mal uma bola para fora da área, o meia Mauricio Felipe arriscou chute que explodiu na trave,  no rebote, Matías Coccaro de chapa abriu o placar.

Com a vantagem no placar o Rampla Juniors iniciou a segunda etapa em um ritmo mais lento, e quase foi punido logo nos primeiros minutos, no lance em que Rizzo Sanchez quase marcou um gol contra ao afastar uma bola cruzada na área. Para a sorte do zagueiro ela saiu pela linha de fundo. A melhor chance do Racing veio em um chute cruzado de Nicolini defendido por Odrizola com o pé direito. Nos acréscimos veio o golpe fatal do  Rampla. Em uma cobrança de falta perfeita da meia-lua, Hugo Dorrego colocou a bola no canto do goleiro Martin Rodriguez que nem se mexeu. 2 x 0 Rampla Juniors e vitória assegurada no estádio Olímpico, às margens do Rio da Prata.

Torque 3 x 0 River Plate

Recém-chegada da segunda divisão uruguaia, a equipe do Torque não tomou conhecimento do River Plate jogando no estádio Centenário, se afastando ainda mais da zona de rebaixamento. A vitória do Torque começou a ser construída aos 26 minutos do primeiro tempo, quando Agustín Ale tocou de cabeça para afastar a bola de sua área, mas ela acabou sobrando para Facundo Mallo que chutou para abrir o placar. Dois minutos depois o Torque ampliou em cobrança de falta que Mauricio Gómes colocou no canto do gol defendido por Nicola Pérez. O River Plate levou perigo somente no final da primeira etapa depois que Matías Jones cobrou uma falta da lateral da área diretamente para o gol, mas a bola passou por cima da meta do goleiro Fiermarin.

No segundo tempo o River Plate se arriscou mais no campo de ataque mas as chances não se transformaram em gol. As boas trocas de passes acabavam em finalizações defendidas pelo camisa um do Torque. Minutos antes do apito final, Leandro Rodríguez que havia entrado no lugar de Matías Roskopf, carregou a bola pelo lado direito, invadiu a área e só foi parado quando o zagueiro Tellechea do River fez pênalti. Na cobrança o próprio Rodríguez bateu firme no canto esquerdo do goleiro marcando contra sua ex-equipe, o terceiro gol do Torque.

Nacional 1 x 0 Progreso

Nacional entrou em campo no Gran Parque Central buscando manter os 100% de aproveitamento no clausura uruguaio. Pela frente a equipe do técnico Alexander Medina tinha o Progreso, terceiro colocado na tabela de classificação e surpresa do campeonato. Uma vitória fora de casa e o time vermelho/amarelo “roubaria” a liderança do próprio Nacional. Quando a bola rolou, porém, o que se viu foi um domínio nacionalino do começo ao fim. Apesar da supremacia tricolor inclusive na posse de bola, o único gol da partida saiu aos 25 minutos do primeiro tempo. Guillermo Cotugno apareceu livre pela direita, invadiu a área e cruzou para Leandro Barcia apenas empurrar para o gol de Sebastián Fuentes.

Com investidas em ambas as laterais com Cotugno Espino o Nacional criou boas chances para ampliar o placar no segundo tempo. Enquanto o goleiro Luís Mejía apenas assistia a partida. Outro fator que agradou o torcedor do Nacional foi a estreia do atacante Brian Ocampo no clausura. O jogador articulou diversas jogadas que quase levaram sua equipe a ampliar o placar. A vitória foi magra mas serviu para manter a lua de mel do Nacional com sua torcida. Além de liderar o clausura o time nacionalista também segue firma nas oitavas de final da Copa Sulamericana.

 

Avatar

Sobre Rafael Regis

Rafael Regis já escreveu 105 posts nesse site..

Tenho 31 anos. Sou formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu e em Radialista (setor locução) pelo Senac-SP. Trabalho também como repórter da Rádioweb Poliesportiva, onde participo de coberturas in-loco de diversos esportes como: futebol, vôlei, basquete e futsal. Apaixonado pelo jornalismo e pelas coberturas esportivas, moro na capital paulista e sou torcedor fiel do Nacional Atlético Clube (SP).

Forza Football

 

Rivalo Apostas Esportivas
Avatar
Rafael Regis
Tenho 31 anos. Sou formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu e em Radialista (setor locução) pelo Senac-SP. Trabalho também como repórter da Rádioweb Poliesportiva, onde participo de coberturas in-loco de diversos esportes como: futebol, vôlei, basquete e futsal. Apaixonado pelo jornalismo e pelas coberturas esportivas, moro na capital paulista e sou torcedor fiel do Nacional Atlético Clube (SP).

Artigos Relacionados

Topo