Nacional vence e pressiona Peñarol no Uruguaio

Tricolores assumem a liderança e aguardam duelo entre Peñarol x Cerro para ver se permanecem na ponta

Neste sábado (1), três jogos abriram a 7ª rodada do Clausura Uruguaio. O Nacional atual campeão do Apertura e do Intermedio, venceu o Racing, em casa, por 1 x 0. O Rampla Juniors foi outro a jogar em seus domínios, mas perdeu para o Montevideo Wanderers. O River Plate foi mais um a ganhar fora, bateu o Fénix. Veja todos os detalhes do Campeonato Uruguaio.

Clausura Uruguaio – 7ª rodada

Rampla Juniors 0 x 1 Montevideo Wanderers

Duelando no estádio Olímpico, o encontro entre Rampla Wanderers começou com os picapiedras tomando a iniciativa, mas o goleiro Ignacio De Arruabarrena foi brilhante com duas defesas, primeiro na tentativa de Jhonny Galli e, em seguida, de Matías Cóccaro. Poucos minutos depois, Camilo Cándido tentou mais uma vez, mas mandou para fora. Com o passar do tempo os Vagabundos equilibraram a partida. A primeira metade ficou sem emoções, terminando sem gols.

A segunda etapa começou e novamente o Rampla Juniors foi para cima. Aumentou a pressão na saída de bola, mas o tiro de Diego Martiñones passou por cima do gol. Os dois foram em busca de vitória e avançaram suas linhas. Porém, quando parecia que o jogo terminaria empatado e sem gols, veio o tento agonizante da visita. Pênalti em Diego Riolfo e o experiente e ídolo Sergio “Chapita” Blanco foi encarregado de transformá-lo em gol, aos 89′, mostrando, assim, o dedo do técnico que colocou ambos no segundo tempo. Com este gol Chapita se isola ainda mais na artilharia máxima do MWFC, com 106 gols, dois a mais que Oscar Chelle.

https://twitter.com/mwfc_oficial/status/1035989013902049280

Fénix 1 x 3 River Plate

O River Plate voltou para a vitória após três derrotas consecutivas e bateu o Fénix, fora de casa, por 3 x 1, e manteve o rival na zona de rebaixamento. Na primeira parte do jogo, constante movimentação para frente e para trás, com o meio-campo com toques simples e rápida passagem para o ataque. Os dois buscaram o gol oposto e logo eles saíram. Juan Manuel Olivera abriu o marcador para os visitantes aos 16′. Mas não deu nem tempo de comemorar, pois Emiliano Mozzone deixou tudo igual, de novo.

As coisas mudariam drasticamente no começo da etapa final. Nicolás Fernández foi expulso com apenas cinco minutos de jogos e deixou os donos da casa com um jogador a menos. A expulsão precoce condicionou o duelo. A equipe do estreante Jorge Giordano cresceu no futebol, passou a controlar o confronto e manter a posse de bola. Eis então que surge a estrela de Luis Urruti, marcando aos 58′ e 70′, dando uma bela vitória aos Darseneros. O albivioletas agora ficam em situação complicada para permanecer na elite uruguaia.

https://twitter.com/cariveruruguay/status/1035987200578646016

Nacional 1 x 0 Racing

O Nacional ganhou e deixou para trás a derrota para o Defensor Sporting – também perderam para o San Lorenzo na Copa Sul-Americana – na última rodada. Entretanto, é da queda que se reergue e ela foi deixada de lado para garantir, mesmo que provisoriamente, a liderança do Clausura. O gol de Rafa García, da defesa ao ataque, fez a diferença no sábado no Gran Parque Central. A equipe de Alexander Medina só se expôs na segunda parte. Antes disso, atacou, arriscou e gerou superioridade, mas o gol não saia. A Racing executou perfeitamente sua proposta na etapa inicial: não sofrer gols. Neutralizou seu oponente e não lhe deu espaço. Teve, ainda, uma chance ótima de cabeça, que atingiu a trave.

Porém, a entrada de “Chory” Castro no lugar de Zunino deu velocidade aos donos da casa, mas o albiverde distanciou os tricolores do gol de Martín Rodríguez, aplicando uma marcação sob pressão e com a defesa alta. Quase deu certo. Javier Méndez, de cabeça, marcou para os visitantes, entretanto o árbitro invalidou o lance, impedimento. O tricolor não mostrava surpresa no ataque, Gonzalo Bergessio estava isolado e não tinha oportunidades. “Chori” Castro faz jogada pela esquerda, tabela com Sebastián Fernández que serve Rafa García na área, para que o zagueiro, de direita, marcasse o único gol do jogo. O jogo então mudou. O Racing arriscou para o empate em outra cabeçada na trave. Entretanto, o Nacional assumiu o controle do jogo, cadenciou e soube usar a experiência para vencer. Houve ainda uma penalidade em Castro que o árbitro não marcou.

https://twitter.com/Nacional/status/1036237807910408193

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1144 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.

Forza Football

 

Rivalo Apostas Esportivas
Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo