Mondragon defende pênalti e Náutico empata com River-PI pelo Nordestão

Partida marcou a reestreia do atacante Kieza pelo alvirrubro de Rosa e Silva
River-PI .

Na noite desta quinta-feira (23), Náutico e River-PI estrearam em jogo válido pela 1ª rodada da Copa do Nordeste. Assim, nos Aflitos, logo de cara, o Galo Carijó balançou as redes com Eduardo. No entanto, poucos minutos depois, ele deixou o campo sentindo dores. Sem seu principal jogador, os visitantes viram o Timbu crescer e chegar ao empate com Matheus Carvalho. Já na etapa final, mesmo com a entrada do atacante Kieza, os Alvirrubros não conseguiram alterar o placar. Além disso, perderam um pênalti no final do jogo em que Mondragon defendeu e garantiu o 1 x 1 na estreia no Nordestão.

1º TEMPO

A partida já começou agitada. Logo aos 2′, o Náutico se complicou na defesa e a bola chegou em Eduardo, que invadiu a área e chutou. Jefferson deu rebote e o mesmo Eduardo mandou para as redes, abrindo o placar para o River-PI. No entanto, 10′ depois, o atacante riverino caiu de mal jeito e foi substituído sentindo muita dor. Sem seu principal jogador, o Galo Carijó viu o Timbu crescer no jogo. Assim, os Alvirrubros pressionavam com Jean Carlos, Salatiel e Álvaro, mas não conseguiam concluir em gol.

Dessa forma, aos 30′, o River-PI respondeu com Érico Júnior, que recebeu de Bacabal, e desperdiçou boa chance de aumentar a vantagem. Em seguida, Mondragon começou a brilhar no gol piauiense. Salatiel lançou Álvaro em profundidade, que chegou batendo para grande defesa do goleiro riverino. Na sequência, os Alvirrubros reclamaram de um pênalti em Salatiel, mas o árbitro nada marcou. Aos 38′, após escanteio, Salatiel e Álvaro tentaram finalizar, mas, na sobra, foi Matheus Carvalho que, de calcanhar, empatou a partida. Com isso, em uma nova desatenção da zaga visitante, as equipes foram para o vestiário com a igualdade no placar.

https://www.instagram.com/p/B7rv6K3BOtA/?utm_source=ig_web_copy_link

2º TEMPO

Na volta do intervalo, o River-PI já buscou a virada aos 2′. Willian Simões errou a saída de bola, Bacabal roubou e cruzou. A redonda resvalou em Lombardi e quase enganou o goleiro Jefferson. Assim, o clube do Piauí era melhor no princípio da etapa final, explorando jogadas com Érico Júnior e Bismarck. O baixo desempenho fez a torcida alvirrubra entoar pedidos pela (re)estreia do atacante, e ídolo, Kieza, que foram atendidos aos 19′. Dessa forma, com sua entrada, o clube de Rosa e Silva melhorou na partida. Aos 25′, Jean Carlos cobrou escanteio e Lombardi cabeceou forte, o goleiro visitante mandou para escanteio.

Em seguida, Ronaldo Alves lançou na área, Salatiel ajeitou de peito e Kieza arrematou. No entanto, a bola passou à esquerda do gol do Galo Carijó. Só dava Náutico e, na sequência, Lombardi, novamente, subiu alto para cabecear e o arqueiro riverino fez boa defesa. Assim, a resposta dos visitantes veio aos 42′. após Carlos Henrique fazer o que quis na área alvirrubra, tocou para Bacabal que, de frente para Jefferson, chutou próximo ao travessão. Por fim, o lance capital da partida. Já nos acréscimos, Cris fez falta dentro da área, pênalti para o Náutico. Salatiel cobrou e Mondragon defendeu. No rebote, o goleiro voltou a defender e garantiu o empate.

E AGORA?

Assim, com o empate, as equipes seguem sem vencer na temporada. Náutico soma um ponto e ocupa a 2ª posição do Grupo B. Já o River-PI, inicia a rodada na liderança do Grupo A, já que nenhum time ainda venceu pela sua chave. Dessa forma, na próxima rodada, o Galo Carijó recebe o CSA, no sábado (1/2), às 16h (horário de Brasília). No mesmo dia, mas às 20h (horário de Brasília), o Timbu viaja até Sergipe para enfrentar o Freipaulistano.

MELHORES MOMENTOS

Foto Destaque: Reprodução / Aldo Carneiro / Globoesporte.com

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 281 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

BetWarrior

Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

Artigos Relacionados

Topo