Mexicanos e a Libertadores da América

- A história, a saída dos times e o futuro duvidoso que cerca a temática
Mexicanos

A coluna Papo Azteca desta semana vem contar sobre a história do futebol mexicano na Libertadores da América e o que podemos esperar para o futuro. A Copa Libertadores da América 2020 teve a sua fase de grupos iniciada nesta terça-feira (03) com times de 10 países diferentes. Está é a quarta edição seguida do torneio sem a presença dos times mexicanos. Durante 19 anos, entre 1998 e 2016, clubes do México foram convidados a participar da maior competição de clubes da Conmebol, todavia, a mudança de calendário impossibilitou a sequência dos times no torneio.

Os clubes mexicanos de fato nunca pertenceram ao torneio, todavia, passaram pela competição 20 equipes do país em quase 20 anos e com isso participaram e construíram momentos históricos na Libertadores. Quem não lembra do América do México de Cabañas ou da grande final entre Chivas e Internacional? Apesar de a interrupção das participações e de diversos atritos entre a Conmebol e a Concacaf nos últimos tempos, todo ano surge diversas especulações sobre o retorno das equipes mexicanas para competição. Nos últimos meses não só eles, como também a ideia de adicionar times dos Estados Unidos apareceu com certa força nas conversas de bastidores.

PRIMEIRO CONVITE E PARTICIPAÇÃO

A primeira vez que clubes mexicanos participaram da Libertadores foi no ano de 1998. A inserção da Toyota como patrocinadora do torneio e consequentemente uma premiação maior aos times chamou a atenção de clubes de fora da Conmebol. Após diversas conversas foi costurado o acordo entre a dona da competição e a Federação Mexicana desde que os times entrassem como convidados. Além disso, os times donos das vagas se ganhassem o torneio não tinham o direito de disputar o Mundial de Clubes.

Curiosamente, coube aos dois maiores vencedores tanto na época quanto hoje em dia representarem o país na competição. Contudo, América e Chivas Guadalajara tiveram que participar de uma quadrangular preliminar contra times da Venezuela para definir quais times iriam para a fase de grupos. Os dois clubes da América do Norte levaram a melhor, com o Chivas passando em primeiro e os Americanistas em segundo.

Na fase seguinte, com a Libertadores ainda sendo organizada no modelo antigo, onde os grupos eram divididos por países, os times mexicanos caíram no Grupo 2 onde encontraram Vasco da Gama e Grêmio. Desta vez, as Las Aguillas e o Rebaño Sagrado sucumbiram ao futebol brasileiro. Por sorte, há época passavam três clubes por grupo e com isso o América levou a terceira vaga.

Apesar de ter se classificado o América caiu na fase seguinte, quando foi derrotado pelo River Plate ao perder na Argentina. Surpreendentemente, o maior público dessa edição de Libertadores foi entre as equipes mexicanas na vitória por 2 x 0 do América no Estádio Azteca. O público de 85 mil pessoas superou as 82 mil presentes no jogo de volta da final entre Vasco da Gama e Barcelona de Guayaquil realizado no Equador.

Libertadores 1998
Chivas x América Mex – Libertadores 1998

 

MEXICANOS E SEUS MAIORES FEITOS

Não demorou muito para os clubes mexicanos logo começarem a fazer boas campanhas. Se em 1999, a campanha de Necaxa e Monterrey foram frustrantes, no ano seguinte o América chegou a semifinal do torneio e teve o vice artilheiro da competição, Cuauhtémoc Blanco com 13 gols. O time caiu para o Boca Juniors em dois grandes jogos. Em 2001, pela primeira vez, um clube da terra do Chaves, figurou em uma final de Libertadores. O Cruz Azul chegou na final após campanha sensacional, onde eliminou os tradicionais Cerro Porteño e River Plate no mata mata, além do argentino Rosário Central. Contudo, mais uma vez, lá estava o Boca Juniors para estragar a felicidade mexicana. Mesmo vencendo na La Bombonera, os Cementeros perderam a final nos penaltis.

Além do Cruz Azul, outros dois times mexicanos chegaram a final de Libertadores. Foram eles o Chivas Guadalajara em 2010 e o Tigres em 2015, no entanto, nenhum deles conseguiu conquistar o caneco. O Rebaño Sagrado perdeu para o Internacional, em dois jogos nos quais o clube brasileiro venceu de virada. Por sua vez, o Tigres foi derrotado pelo River Plate após empatar no México e perder de 3 x 0 na Argentina.

Outras campanhas memoráveis ficaram marcadas na história da Libertadores, como por exemplo, a do América do México de 2008. O time liderado pelo paraguaio Salvador Cabañas eliminou nas oitavas e quartas de final os brasileiros Flamengo e Santos, respectivamente, e só foi eliminado pelo gol fora de casa na semifinal contra a campeã Liga Universitária de Quito.  Cabañas, inclusive, foi o artilheiro daquele torneio. Outra boa lembrança é o Tijuana de 2013 que apesar de eliminado para o Atlético Mineiro fez bons jogos e apresentou o gramado sintético na competição.

Inter x Chivas
Chivas x Internacional – Final Libertadores 2010

FIM DO CONVITE E FUTURO: O QUE PODE ACONTECER?

Com as mudanças previstas após a Libertadores de 2016, os clubes mexicanos relataram que seria impossível disputar a competição e com isso houve a interrupção dos convites. Todavia, todo ano surgem especulações sobre a possível volta de times mexicano e a entrada de equipes dos Estados Unidos ou até mesmo uma confecção de um torneio envolvendo todas as Américas. Contudo, nos últimos meses a relação entre as confederações entrou em colapso por conta de divergências a cerca da Copa América de 2020. Apesar de todas as problemáticas, dirigentes ligados a ambas dizem que existe sim a possibilidade de volta a estabelecer conversas para competições de seleções entre os países das Américas.

Algumas outras questões são levantadas no que se diz respeito as competições de clubes. A principal delas, é as grandes distancias e a logística de trajetos, uma vez que, muitos vôos diretos não existirem. Um exemplo já citado pelo presidente da Concacaf é a impossibilidade de fazer o percurso de 11 mil quilômetros entre Seattle e Buenos Aires direto. Já um fator citado por Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, no ano passado, é não existência mais de convites. Em suma, se clubes de um determinado país quiserem jogar a Libertadores, a Federação deste país deverá se associar a Conmebol. O que resta é esperar e ver o que vai acontecer, quem sabe não veremos clubes mexicanos nas próximas Libertadores.

Foto Destaque: Reprodução /FÚTBOL SIN COMPROMISOS

Yuri Murta

Sobre Yuri Murta

Yuri Lima Murta já escreveu 106 posts nesse site..

Estudante de jornalismo e geografia, apaixonado por futebol e por tudo que o cerca. Isso define quem é Yuri Lima Murta. O amor pelo esporte vem desde pequeno e o gosto por relacionar ele com outros temas vem desde o colégio, não atoa a minha monografia na faculdade de Geografia tem como tema a “Chapecoense e a cidade de Chapecó: Como o clube reflete a cidade”

365 Scores

BetWarrior


Yuri Murta
Yuri Murta
Estudante de jornalismo e geografia, apaixonado por futebol e por tudo que o cerca. Isso define quem é Yuri Lima Murta. O amor pelo esporte vem desde pequeno e o gosto por relacionar ele com outros temas vem desde o colégio, não atoa a minha monografia na faculdade de Geografia tem como tema a “Chapecoense e a cidade de Chapecó: Como o clube reflete a cidade”

Artigos Relacionados

Topo