Melgar-PER x Caracas-VEN – Vitória para tranquilizar

Times lutam por uma vaga na fase de grupos da competição
Melgar-PER x Caracas-VEN - Vitória para tranquilizar

Melgar e Caracas começam a disputa pela 3ª fase da Conmebol Libertadores. O jogo é acontece às 21h30 (horário de Brasília), no  Monumental Virgen de Chapi em Arequipa, Peru. Com dificuldades até aqui, os times querem tranquilidade no duelo e principalmente na sequência da temporada de 2019.

Melgar

O time peruano não vem muito bem para essa partida, já que perdeu por 3 x 0 para o Deportivo Municipal, no campeonato local. Na Libertadores, o time passou pela Universidad de Chile, graças ao gol de Alexis Arias, ainda na primeira partida do confronto. Ele deve estar em campo, ajudando na transição da defesa para o ataque, até chegar no principal jogador ofensivo do time, Bernardo Cuesta, que tem 12 gols somando Apertura e Clausura no Peru. Em compensação, Nicolás Freitas será o desfalque, por conta do cartão vermelho da partida contra a La U.

Provável escalação: Penny; Narvaez, Quina, Camona e Loyola; Arias, Fuentes, Biancucchi, Gonzales e Sanchez; Cuesta. Técnico: Jorge Pautasso.

https://twitter.com/MelgarOficial/status/1097695598910803968

Caracas

Os venezuelanos também tiveram bastante dificuldade para bater o Delfín na fase anterior. Foram dois empates, e graças ao gol marcado no Equador, a equipe da capital avançou na competição. O time deve ser o mesmo que garantiu a classificação, com Jesús Arrieta e Carlos Espinoza, no comando do ataque para empurrar a bola no fundo do gol adversário.

Provável escalação: Baroja; Eduardo Ferreira, Villanueva, Juan Muriel e Bernardo Añor; Néstor Canélon, Ricardo Martins, Leonardo Flores e Robert Hernandez; Carlos Espinoza e Jesús Arrieta. Técnico: Noel Sanvicente.

https://twitter.com/Caracas_FC/status/1097918848693620737

Retrospecto

Essa será a primeira vez que Melgar e Caracas se enfrentam em toda a história. O time da casa teve dois jogos complicados contra a Universidad de Chile, segurando o 0 x 0 no segundo jogo até o fim. Os visitantes não foram muito distintos, pois foram dois empates e da mesma maneira, segurou o resultado sem gols até o fim do jogo da volta, para avançar na competição.

Ruan Silva

Sobre Ruan Silva

Ruan Silva já escreveu 759 posts nesse site..

Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.


 

365 Scores

 

Ruan Silva
Ruan Silva
Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.

Artigos Relacionados

Topo