Mantém-se o tabu e São Paulo segue sem vencer o Furacão na Arena da Baixada

Atlético Paranaense e São Paulo se enfrentaram na noite da última quarta-feira, em jogo válido pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena da Baixada e o time mandante levou a melhor, e manteve o tabu de nunca ter perdido para o rival paulista em sua Arena.

Eduardo Baptista, técnico do Furacão, colocou o time com um 4-3-3. O time de Rogério Ceni veio com um 3-4-3, que poderia variar para um 4-3-3, dependendo da ocasião do jogo.

O time paranaense partiu pra cima do São Paulo logo no início da partida com uma marcação alta e bastante velocidade. Logo aos 5 minutos, escanteio para o time da casa e o zagueiro Wanderson tenta de cabeça, mas acaba se enrolado com o também zagueiro Éder Militão, que na sequência falhou na marcação e o próprio Wanderson chutou, dentro da pequena área para marcar o único gol do jogo. O CAP ainda assustou o gol de Renan Ribeiro em, pelo menos, mais 3 oportunidades ainda antes dos 10 minutos do primeiro tempo.

Após o gol, Eduardo Baptista pediu para o Atlético se fechar e jogar no contra-ataque. Com isso, o time do São Paulo foi pra cima, mas parava na bem postada defesa atleticana e também nas faltas.

No segundo tempo, Baptista tirou dois jogadores amarelados e manteve o time jogando no contra-ataque. Já Rogério foi ousado. Quando viu que o time não respondia, promoveu a estreia de Denílson e Brenner (atacantes), e também colocou Wellington Nem, todos durante o decorrer da segunda etapa, mas nada funcionava.

Denílson e Brenner até tentaram chutes, mas sem força ou perigo para o gol de Weverton. Pratto não recebeu nenhuma bola de qualidade e Cueva vem melhorando, mas ainda não voltou a ser “aquele” camisa 10 esperado.

2 DESTAQUES DA PARTIDA

1- Rogério Ceni não é o único culpado pela fase do São Paulo ser ruim. O técnico tem mostrado personalidade, vem trazendo sempre novidades a campo, promovendo muitas entradas de jogadores da base e também dos recém-contratados. É um treinador que não tem medo de atacar e nem de expor seu time se estiver perdendo.

2- A zaga segue mal. Agora sem Lucão e Maicon, que falharam recentemente, a zaga foi formada por Rodrigo Caio, Lugano e Militão, que tiveram falhas individuais e uma delas custou o gol do jogo. Lugano recuou mal uma bola, à lá Lucão em 2016 contra o Corinthians, mas para sua sorte a bola saiu, porque Renan já havia passado da bola. Rodrigo Caio tentou dar um passe bonito na zaga, mas a bola bateu no atacante e voltou nele e cedeu escanteio. E por fim, como já dito acima, Militão falhou na marcação em cima do zagueiro paranaense Wanderson.

Com a vitória o Atlético Paranaense sai da zona de rebaixamento e vai para a 12º, com 11 pontos e passa o Tricolor Paulista que permanece com 10, na 15ª posição, a 1 ponto da zona de rebaixamento. O próximo confronto do Furacão é contra o Vitória, no domingo, às 16h, em casa. O Tricolor também joga em casa, recebe o Fluminense, no mesmo dia e horário do jogo do Atlético.

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1223 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.

365 Scores

BetWarrior


Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo