Mais um para o Rei do Rio!

Novamente, e de forma invicta, o Flamengo se sagrou campeão carioca pela 34ª vez ao bater o Fluminense por 2 a 1. Após vencer o primeiro jogo por 1 a 0 a equipe da Gávea sofreu um susto no começo do confronto de ontem (7), mas, no segundo tempo virou a partida e garantiu a conquista do sexto estadual invicto.

1º Tempo

Jogadores do Fluminense comemorando o gol de Henrique Dourado

Como prometido por Abel Braga, técnico tricolor, o Fluminense deu trabalho para o Fla. Precisando da vitória foi para cima no início e logo aos 3 minutos abriu o placar, com Henrique Ceifador, que testou a bola no ângulo superior esquerdo de Muralha.

O início eletrizante do time das Laranjeiras parou logo depois do gol. Sem Gustavo Scarpa, a estratégia de jogo do Flu ficou claramente nítida quando a equipe de Abel começou a deixar o Flamengo jogar, posicionando-se para os contra-ataques. Já sem a vantagem o rubro-negro se lançou ao ataque e pressionava, muitas vezes sem perigo, com Trauco, Berrío, Everton e Guerrero. Trauco estava improvisado como armador do time e não resolveu a vida de seu time no primeiro tempo, que encerrou-se com vitória tricolor.

2° Tempo

Berrío, mal na partida, perdendo bola para Renato Chaves

Os dois times voltaram os mesmos para a segunda etapa. Os primeiros dez minutos do segundo tempo foi de superioridade do Fluminense, porque presenciava mais seu campo de ataque, não deixando seu rival assustar Cavalieri.

Berrío não melhorou sua atuação na volta do intervalo e foi sacado, aos 11′, por Zé Ricardo. No lugar do colombiano foi colocado o Gabriel. Logo em seguida Rodinei entrou no lugar de Trauco e mudou a história do jogo, pois deu equilíbrio ao Flamengo, que não conseguia parar a bola em seu campo de ataque. Abel resolveu mexer aos 17′ ao colocar Maranhão na vaga de Wellington Silva, que jogava mal.

Depois dessas alterações o Fla-Flu ficou equilibrado. Até que, aos 40 minutos, em um escanteio, Cavalieri bate-roupa em uma cabeçada de Rever e a bola fica viva na pequena área, e ali Guerrero não perdoa: chega batendo para o fundo do gol: empate rubro-negro.

A partir daí o Flu, desesperadamente, se joga à frente e em um contra-ataque Cavalieri é expulso ao fazer falta em Rodinei. Como o tricolor já havia feito suas três alterações (além de Maranhão, Abel Braga colocou Marcos Jr e Pedro no lugar de Wendel e Richarlison, aos 42′ e 43′) um jogador de linha precisou ir para o gol e o volante Orejuela foi o escolhido.

Para ter mais um zagueiro na área, Zé Ricardo botou Juan na vaga de Everton aos 43′. Já no último lance, em mais um contra-ataque, Rodinei recebe antes do meio-campo e parte com a bola, sozinho, em direção a Orihuela, que nada pode fazer com o arremate rasteiro de Rodinei: gol do Fla, 2 a 1, e Mengão campeão!

Rodinei indo à galera depois do gol do título
Foram 68.165 presentes no Maracanã (58.399 pagantes) e uma renda de R$ 3.242.130,00. Recorde de público no Brasil este ano. Agora a dupla Fla-Flu se preparam para a disputa do Brasileirão, mas antes o Fla enfrenta o Atlético-GO, próximo dia 10, pela Copa do Brasil enquanto o Flu encara o Liverpool, em Montevidéu, também dia 10, pela Sul-Americana.

 

Leonardo José

Sobre Leonardo José

Leonardo José já escreveu 382 posts nesse site..

Sou o Leonardo José, jovem alagoano, estudante de jornalismo e esquerdista, sim. O esporte, a filosofia e a sociologia correm em minhas veias simultaneamente. Louco pelo futebol latino. Prefiro Libertadores à Champions League. No Brasil, clássicos como CSA x CRB, Sampaio Corrêa x Moto Club e ABC x América-RN são bem mais emocionantes que Flamengo x Vasco, Cruzeiro x Atlético-MG e Corinthians x Palmeiras. Para você, leitor, não se cansar lendo minha biografia, finalizo dizendo que "todos os detalhes e os bastidores da vida precisam ser olhados com atenção".Twitter: @leo_silva997


Que tal assistir a final da Libertadores no Chile? Cadastre-se e concorra:

Rexona


Forza Football

 

Leonardo José
Leonardo José
Sou o Leonardo José, jovem alagoano, estudante de jornalismo e esquerdista, sim. O esporte, a filosofia e a sociologia correm em minhas veias simultaneamente. Louco pelo futebol latino. Prefiro Libertadores à Champions League. No Brasil, clássicos como CSA x CRB, Sampaio Corrêa x Moto Club e ABC x América-RN são bem mais emocionantes que Flamengo x Vasco, Cruzeiro x Atlético-MG e Corinthians x Palmeiras. Para você, leitor, não se cansar lendo minha biografia, finalizo dizendo que "todos os detalhes e os bastidores da vida precisam ser olhados com atenção".Twitter: @leo_silva997

Artigos Relacionados

Topo