Kieza deve permanecer no Fortaleza em 2020

- Com contrato até abril com o Leão do Pici, atacante é sonho do Náutico para 2020, na Série B
Kieza

Ao que tudo indica não deve ser nesse momento que o Náutico conseguirá repatriar Kieza para os Aflitos. Isso porque o diretor de futebol do Fortaleza, Daniel de Paula Pessoa, confirmou que o atacante cumprirá seu contrato, que vai até o final de abril. Além disso, o cartola revelou que está em negociação para uma renovação até o fim de dezembro de 2020. Assim, o clube pernambucano, que havia iniciado conversas com o jogador, aguardava apenas a liberação por parte do Leão do Pici. Agora, com a negativa, terá que recorrer a outras opções no mercado já inflacionado de fim de ano.

A PRINCÍPIO, FICA NO FORTALEZA

Em entrevista ao site Superesportes, de Pernambuco, o presidente do tricolor, Marcelo Paz, afirmou que a decisão já estava tomada desde antes da renovação com o técnico Rogério Ceni. Além disso, houve um reforço do treinador após o anúncio da permanência. Pois, no retorno ao clube após passagem pelo Cruzeiro, passou a utilizá-lo em mais jogos, nas últimas 13 partidas do Brasileirão, sendo três como titular. Nesse ínterim, anotou seu único gol pelo clube, na derrota por 3 x 2 para o Corinthians.

A princípio, o Fortaleza tem interesse em ficar com o jogador. A gente já vinha conversando sobre isso com o Rogério antes mesmo da renovação de contrato. De fato, houve sondagens por parte do Náutico, mas algo muito superficial. Mas como eu disse, a principio temos interesse no atleta“, confirmou Marcelo Paz.

Vindo por empréstimo do Botafogo, o Fortaleza dividia os vencimentos do atleta com o clube carioca. O Leão do Pici pagava R$ 140 mil, enquanto que a Estrela Solitária desembolsava R$ 30 mil. No entanto, com uma possível renovação, o novo contrato prevê o pagamento integral pelos cearenses. Apesar disso, para defender o Náutico, Kieza estava disposto a reduzir o salário para o teto ofertado pelos pernambucanos. O objetivo do Timbu era que o Fortaleza aceitasse pagar parte do salário até abril, quando então assumiriam integralmente.

KIEZA

A carreira de Kieza, de 33 anos, começou em 2005, na Desportiva Ferroviária. Atuou por clubes menores até chegar ao Fluminense, em 2009. No clube carioca, teve uma boa passagem marcando seis gols em 20 jogos e despontando para o futebol brasileiro. Após trabalhos sem grandes destaques no Cruzeiro e na Ponte Preta, se encontrou no Náutico em 2011, quando foi artilheiro da Série B com 21 gols. Após uma breve estadia no Al Ahli, dos Emirados Árabes, retornou para os Aflitos para marcar 16 gols em 23 partidas e participar da campanha que classificou o Timbu para a Copa Sul-Americana.

Assim, em duas passagens por Pernambuco, fez 70 jogos e marcou 43 tentos, se tornando um ídolo recente da torcida alvirrubra. Em seguida, jogou na China, até voltar para o Brasil e ter destaque atuando com as camisas do Bahia, onde anotou 35 gols em 72 jogos, e Vitória, 25 tentos em 80 partidas. Dessa forma, foi campeão baiano pelos dois times entre os anos de 2015 e 2017. Antes de voltar para o Nordeste, jogou pelo Botafogo, onde fez 10 gols em 40 jogos e foi campeão carioca de 2018. Pelo Fortaleza, Kieza disputou 24 partidas e marcou apenas um gol.

Foto Destaque: Reprodução / Daniel Vorley / Globoesporte.com

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 460 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

365 Scores

BetWarrior


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

Artigos Relacionados

Topo