Invasão verde-amarela na Superliga Chinesa? Nem tanto assim!

Acostumado a ter muitos brasileiros, o Campeonato Chinês pode ter o menor número desde o boom de 2011, superando apenas números antes disso

O número de brasileiros na Superliga Chinesa 2019 segue em alta, sendo a maioria dos estrangeiros no país. Porém, desde o boom de brasileiros na China, em 2011, o país pode ter a menor quantidade de atletas tupiniquins desde então. Os números de brazucas desde a explosão de investimento financeiro dos chinês foi: 2011 (24), 2012 (29), 2013 (27), 2014 (27), 2015 (31), 2016 (28), 2017 (25), 2018 (26) e em 2019 são 23, até então.

Fernando Karanga foi para o time B do Henan Jianye, não estando inscrito na Superliga. Enquanto Róger Guedes, que ainda não estreou, está prestes a sair. Desta forma, a liga que está com 23 brasileiros, pode cair para 22 e se tornar o número mais baixo de representantes do Brasil na Superliga Chinesa, desde o forte investimento. Entretanto, isso tem uma explicação. A ampla aplicação capital nos estrangeiros é uma forma de enriquecer o campeonato, seja com aumento de público ou com as qualidades e ensinamentos passados dos de fora para os de dentro.

Contudo, a Seleção Nacional Chinesa, principal interessada nesse intercâmbio, ainda segue em processo de crescimento. Obviamente que para se tornar um país vencedor internacionalmente neste esporte não é de uma hora para a outro e serão alguns anos de trabalho árduo. Porém, a ideia é começar a revelar mais nomes para o exterior e transformar este câmbio em vantagens ainda maiores para os chineses. Isto posto, podemos analisar o primeiro jogador chinês a marcar gol nas grandes ligas europeias: Wu Lei. O melhor jogador da última Superliga Chinesa e artilheiro chegou ao Espanyol de Barcelona e está conquistando o público local.

Uma nova estratégia no mercado

Contudo, seu sucesso na Seleção Chinesa está fadado ao fracasso pelo fato de muitos jogadores chineses ainda não esterem no mesmo nível do atual camisa 24 do Espanyol. A queda para o Irã nas quartas de final da Copa da  Ásia é a prova disso. Mas o nível vem aumentando e o emprego de estrangeiros vem diminuindo. As apostas chinesas são de jogadores do segundo escalão europeu, alguns asiáticos, e pegar jogadores que podem se naturalizar, como o caso do peruano Roberto Siucho, contratado pelo Guangzhou Evergrande e empretado ao Shanghai Shenxin, neto de chineses. Outra prova disso é o Beijing Guoan, de Renato Augusto. Sem grandes estrelas, a equipe foi campeã da Copa da China, tendo o brasileiro, os espanhóis Jonathan Vieira e Jonathan Soriano, que já saiu, e o congolês Bakambu.

A saída de Soriano não fez com que o Guoan contrasse ou o título não os “obrigou” a investir pesado em contratações visando a Champions Asiática, da qual estreou com derrota. Optaram pela manutenção do elenco, permanecendo com o plantel anterior e trazendo estrangeiros sem forte apelo comercial ou financeiro, como o sul-coreano Kim Min-jae, sino-norueguês Hou Yongyong, como é conhecido na China, que nasceu John Hou Sæter, em Trondheim, na Noruega. Hou tem mãe chinesa e em 23 de fevereiro de 2019 fez sua estreia na Supercopa da China de 2019 contra o Shanghai SIPG. Substituindo Chi Zhongguo aos 71 minutos, se tornou o primeiro jogador naturalizado a jogar em um clube chinês.

Além dele, os Pequineses trouxeram Li Ke, outro jogador estrangeiro de ascendência chinesa. Nascido Nicholas Harry Yennaris, mas conhecido no futebol como Nico Yennaris, o atleta é inglês, Leytonstone. O volante de 25 anos começou nas categorias de base do gigante de Londres, Arsenal. Com poucas chances no clube, rodou por times pequenos da Inglaterra em busca de espaço, Brentford a sua melhor temporada, entre 2014 e 2018, chegando ao Guoan este ano. Ele tem um pai cipriota e uma mãe chinesa. Essas “novidades” agrega muito a Superliga Chinesa, sem um alto custo ou ocupar vagas de estrangeiros, e, principalmente, por trazer/levar ensinamentos de outras escolas, tanto da América do Sul quanto da Europa.

Confira os brasileiros que jogaram a competição, pelo menos uma partida, desde 2011.

Brasileiros na Superliga Chinesa

2011

Beijing Guoan: Betinho. Changchun Yatai: Dori e Nei. Dalian Shide: Adriano. Guangzhou Evergrande: Cléo, Muriqui, Paulão e Renato Cajá. Henan Jianye: Fabão, Leandro Netto, Thiago Potiguar e Rômulo. Jiangsu Suning: Eleílson. Liaoning: Valdo. Shanghai Shenxin: Camilo, Di Carmo, Johnny e Paulo Roberto. Qingdao: Éber LuísLéo San. Beijing Renhe: Wilson. Shandong Luneng: FabianoObina e Renato Silva.

2012

Beijing Guoan: Reinaldo. Changchun Yatai: Cássio, Weldon e Marquinhos. Dalian Yifang: Fábio Rochemback. Dalian Shide: Carlos Alberto. Guangzhou Evergrande: Cléo, Muriqui e Paulão. Guangzhou R&F: Rafael Coelho, Davi, Jumar e Leonardo. Zhejiang Greentown: Fabrício, Mazola e Renatinho. Henan Jianye: Adaílton e Leandro Netto. Jiangsu Suning: Eleílson. Shanghai Shenxin: Antônio Flávio, Johnny, Jaílton Paraíba e Anselmo Tadeu. Qingdao: Bruno Meneghel e Léo San. Shandong Luneng: Gilberto Macena, Obina e Fabiano. Shanghai Shenhua: Moisés.

2013

Beijing Guoan: André Lima. Changchun Yatai: Éder Baiano, Eninho, Isac e Zé Carlos. Dalian Yifang: Fábio Rochemback. Guangzhou Evergrande: Elkeson e Muriqui. Guangzhou R&F: Rafael Coelho, Davi e Jumar. Zhejiang Greentown: Mazola. Jiangsu Suning: Eleílson. Shanghai Shenxin: Antônio Flávio, Johnny, Kieza e Jaílton Paraíba. Liaoning: Edú. Qingdao: Gustavo e Bruno Meneghel. Shandong Luneng:  Vágner Love e Gilberto Macena. Tianjin Teda: Andrézinho, Baré, Éder Lima e Dinélson. Wuhan Zall: Júnior Santos.

2014

Changchun Yatai: Eninho e Rafael Coelho. Dalian Yifang: Bruno MeneghelGuangzhou Evergrande: Elkeson, Renê Júnior e Muriqui. Guangzhou R&F: Davi. Zhejiang Greentown: Gilberto Macena e Anselmo Ramon. Jiangsu Suning: Eleílson e Elias. Shanghai Shenxin: Everton, Johnny, Kieza e Jaílton Paraíba. Shandong Luneng:  Vágner Love, Aloísio e Júnior Urso. Tianjin Teda: Andrézinho, Baré e Éder Lima. Beijing Renhe: HyuriZhijiang Yiteng: Dori e RodrigoHenan Jianye: Rafael MarquesShanghai Shenha: Paulo André e Paulo Henrique.

2015

Beijing Guoan: Kléber. Chongqing Dangdai: Fernandinho, Jael, Guto e Jájá. GuangzhouEvergrande: Elkeson, Ricardo Goulart, Robinho, Alan, Paulinho e Renê Júnior. Guangzhou R&F: Renatinho. Beijing Renhe: Hyuri e Ricardo Santos. Zhejiang Greentown: Anselmo Ramon. Henan Jianye: Ivo. Jiangsu Suning: Sammir (croata-brasileiro) e Eleílson. Liaoning: Paulo Henrique. Shandong Luneng: Aloísio, Diego Tardelli, Jucilei (palestino-brasileiro) e Júnior Urso. Shanghai Shenxin: Everton, Johnny e Zé Eduardo. Shanghai SIPG: Davi. Shijiazhuang Ever Bright: Rodrigo Defendi. Tianjin Teda: Lucas Fonseca, Wágner e Andrézinho.

2016

Beijing Guoan: Renato Augusto, Ralf e Kléber. Changchun Yatai: Bruno Meneghel. Chongqing Dangdai: Fernandinho, Alan Kardec e Jael. Guangzhou Evergrande: Alan, Ricardo Goulart e Paulinho. Guangzhou R&F: Renatinho e Bruninho. Zhejiang Greentown: Denílson Gabionetta e Anselmo Ramon. Hebei China Fortune: Aloísio. Henan Jianye: Ivo. Jiangsu Suning: Ramires, Alex Teixeira, e Sammir (croata-brasileiro). Shandong Luneng: Gil, Jucilei (palestino-brasileiro) e Diego Tardelli. Shanghai SIPG: Hulk e Elkeson. Shijiazhuang Ever Bright: Matheus e Diego Maurício. Tianjin Teda: Wágner.

2017

Beijing Guoan: Renato Augusto e Ralf. Changchun Yatai: Marinho e Bruno Meneghel. Chongqing Dangdai: Fernandinho, Hyuri e Alan Kardec. Guangzhou Evergrande: Alan, Ricardo Goulart, Muriqui e Paulinho. Guangzhou R&F: Renatinho e Júnior Urso. Hebei China Fortune: Aloísio e Hernanes. Jiangsu Suning: Ramires e Alex Teixeira. Shandong Luneng: Gil e Diego Tardelli. Shanghai SIPG: Hulk, Oscar e Elkeson. Tianjin Quanjian: Alexandre Pato, Geuvânio e Júnior Moraes.

2018

Beijing Guoan: Renato Augusto. Changchun Yatai: Marinho. Chongqing Dangdai: Fernandinho, Fernandinho Conceição, Alan Kardec e Sebá. Guangzhou Evergrande: Alan, Ricardo Goulart, Paulinho e Anderson Talisca. Guangzhou R&F: Renatinho e Júnior Urso. Hebei China Fortune:  Hernanes. Henan Jianye: Ivo e Fernando Karanga. Jiangsu Suning: Alex Teixeira, Éder (ítalo-brasileiro) e Ramires. Shandong Luneng: Gil, Diego Tardelli e Róger Guedes. Shanghai SIPG: Hulk, Oscar e Elkeson. Tianjin Quanjian: Alexandre Pato. Tianjin Teda: Johnathan.

https://twitter.com/futebolnaveiabr/status/1005125913317662720

2019

Beijing Guoan: Renato Augusto. Chongqing Dangdai: Fernandinho, Fernandinho Conceição e Alan Kardec. Guangzhou Evergrande: Paulinho e Anderson Talisca. Hebei China Fortune: MarcãoHenan Jianye: Ivo e Henrique Dourado. Jiangsu Suning: Alex Teixeira, Éder (ítalo-brasileiro) e RamiresShandong Luneng: Gil e Róger Guedes. Shanghai SIPG: Hulk, Oscar e Elkeson. Tianjin Tianhai: Alexandre Pato, Renatinho e Alan. Tianjin Teda: Johnathan. WuhanZall: Rafael Silva e Léo Baptistão.

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 949 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia.Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.

1X Bet
Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia.Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo