Ídolo e “Pé de anjo” – Parabéns, Marcelinho!

Ídolo e “Pé de anjo” – Parabéns, Marcelinho!

O primeiro de fevereiro, para os mais fanáticos corintianos é uma data bastante especial. Nesse dia, nascia um dos maiores ídolos da história centenária do clube. Muito mais do que isso, ele tinha o “pé de anjo”, há 47 anos atrás nascia Marcelinho Carioca.

A descoberta do craque

Nascido no Rio de Janeiro, Marcelinho bom de bola foi descoberto no Madureira ainda moleque e começou logo depois nas categorias de base do Flamengo, após boas atuações no time do amarelo e azul, a partir daí o caminho para o sucesso começou a ser trilhado. Muito cedo também, acabou se destacando e conquistando seu espaço no time principal da Gávea, tendo o status de substituir ninguém mais, ninguém menos do que Zico.

Foto: site Sportv

Chegada ao Corinthians

1993 foi o ano em que o pé de anjo caiu nos braços da fiel torcida. No Corinthians o status de ídolo foi sendo atribuído a cada título e a gol importante com camisa do clube. Como naquele gol contra o Santos em 1996, após um chapéu no zagueiro. Ou aquele gol de falta contra o Palmeiras, no Paulista de 1995, sem barreira, sem nada.

[wpdevart_youtube]VJwK5FQzVSU[/wpdevart_youtube]

[wpdevart_youtube]96Dxs4xnRZ4[/wpdevart_youtube]

O Mundial de 2000, talvez tenha sido o mais importante das conquistas, como maestro daquele time, ele é quem regia nomes como Ricardinho, Edilson, Luisão, Vampeta, Rincón e outros jogadores que passaram por cima dentre outros times, o poderoso Real Madrid. A fiel lotou os estádios fora das quatro linhas, dentro delas Marcelinho deixava os adversários desconcertados a cada passe genial.

Foto: site Folha de São Paulo

Marcelinho nunca deixou de ser herói

Mas nem de glórias vive o herói. Todo corintiano que se preze, infelizmente vai lembrar da cobrança de pênaltis da Libertadores de 2000, contra o Palmeiras, em que Marcelinho perdeu o único daquela série e ficou marcado na desclassificação do clube naquele ano. Justo ele!? Uma tristeza sem fim! Não foi só perder o até então título inédito do time, mas vê o seu jogador de confiança ali desperdiçando uma cobrança. Nada disso abalou o sentimento do torcedor.

[wpdevart_youtube]JMlarCDWycs[/wpdevart_youtube]

A galeria de títulos só cresceu e a torcida apaixonou

Por toda sua vitoriosa carreira, por onde passou deixou sua marca, dentre os títulos podemos destacar além do Mundial de 2000, os quatro títulos paulistas, dois brasileiros seguidos (1998, 1999), um Carioca, uma Copa do Brasil e diversas outras conquistas que fazem do Marcelinho ser considerado um dos jogadores mais renomados de sua época.

(Foto: Evelson de Freitas/Folha Imagem)

É por esses outros motivos que o Pé de Anjo está marcado na memória dos mais fanáticos corintianos, que foram citados ainda no início desse texto. Muita gente não teve o privilégio de vê-lo jogar, mas com a ajuda dele, a massa corintiana cresce, é só parar para ver um pouquinho de suas jogadas e se encantar, pois Marcelinho, com toda certeza foi e sempre será um dos maiores batedores de falta que o futebol brasileiro viu jogar.

Ruan Silva

Sobre Ruan Silva

Ruan Silva já escreveu 761 posts nesse site..

Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.


 

365 Scores

 

Ruan Silva
Ruan Silva
Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.

Artigos Relacionados

Topo