Gol nos acréscimos castiga Tunísia e Inglaterra vence na estreia

A tentativa dos africanos de segurar o empate foi frustrada pelo segundo gol de Harry Kane

Parecia que mais uma campeã mundial sucumbiria diante de uma zebra e deixaria pontos importantes escaparem, tal como aconteceu com Brasil, Argentina e Alemanha. Porém, a Inglaterra decidiu seguir o exemplo do Uruguai e, com um gol de cabeça nos últimos minutos, venceu a valente seleção tunisiana por 2 x 1, com dois gols de Harry Kane. Ferjani Sassi fez para os africanos.

1º TEMPO

Os primeiros 45 minutos foram de superioridade dos ingleses. Porém, esse panorama não se transformou em vantagem para os europeus ao intervalo. Logo aos 2′, uma confusão dentro da área quase terminou em gol de Lingard, que bateu para defesa de Hassen.

Dois minutos mais tarde, após boa troca de passes, foi a vez de Raheem Sterling desperdiçar uma chance sem goleiro. A pressão dos europeus continuou. Aos 11′, enfim, a rede balançou. Ashley Young cobrou escanteio da esquerda, Stones subiu bem mais que os adversários e Hassen fez milagre para evitar o gol. Mas no rebote, Harry Kane completou para a meta e abriu o placar. Após o tento inglês, o goleiro tunisiano saiu machucado com dores no ombro esquerdo e Ben Mustapha entrou em seu lugar.

John Stones vai no quinto andar em lance que originou gol inglês. (Reprodução/internet)

Os Três Leões relaxaram e a Tunísia cresceu no jogo. A primeira descida veio em um contra-ataque aos 22′, resultando somente num escanteio mal aproveitado. A equipe africana sempre atacava em menor número em relação à defesa adversária. Porém, aos 33′, a bola foi cruzada na área da Inglaterra e Kyle Walker deixou o braço no rosto de Youssef. O árbitro colombiano Wilmar Roldán assinalou pênalti com convicção mais um amarelo para o camisa 2 da seleção britânica. Ferjani Sassi foi para a cobrança e não desperdiçou. Pickford chegou a encostar na bola, mas não evitou o empate africano. Foi o primeiro gol de pênalti sofrido pela Inglaterra em tempo normal desde 1998.

O revés serviu para acordar os ingleses, que ainda colocaram duas bolas na trave: uma após bate-rebate dentro da área, em bola que ainda sobrou para Stones furar feio e desperdiçar uma chance incrível, e a outra após o passe em velocidade para Lingard, que chegou primeiro que o goleiro tunisiano e tirou dele, mas a bola caprichosamente tocou o pé da trave e saiu. Foi o último lance importante da primeira etapa.

Momento do pênalti de Walker em Youssef. (Reprodução/internet)

2º TEMPO

Na segunda metade, a defesa tunisiana se arrumou e dificultou a vida do ataque inglês. A melhor chance veio aos 6′, quando Trippier cobrou escanteio na cabeça de Dele Alli, mas a bola foi no centro do gol e Mustapha fez uma defesa segura. Sem muita criatividade e com um ferrolho bem montado à frente, a Inglaterra não levava perigo.

Aos 23′, Southgate fez sua primeira substituição. Tirou um apagado e discreto Sterling e promoveu a entrada do jovem Marcus Rashford. O técnico tunisiano Maaloul respondeu e colocou Ben Amor no lugar de Sliti. O duelo seguiu em banho-maria. Ainda que a bola ficasse mais no pé dos europeus, a posse de bola não era convertida em oportunidades de gol.

Aos 34′, uma falta na entrada da área parecia uma boa chance. Young foi para a bola, mas jogou por cima do gol. Nos minutos finais, Southgate colocou Loftus-Cheek em campo para tirar Dele Alli e tentar mudar o resultado, mas parecia não adiantar. A Tunísia manteve a boa postura defensiva quase até o final e ainda pôs Khalifa no lugar de Khazri.

O golpe de misericórdia veio a um minuto do fim do tempo regulamentar. Em novo escanteio para a Inglaterra, Maguire dividiu no alto e desviou na marca do pênalti. A bola foi para o artilheiro inglês na segunda trave, que cabeceou firme e não desperdiçou. Mais um gol de Harry Kane – o 32º na temporada. Houve tempo somente para Southgate fechar o meio, substituindo Lingard por Eric Dier.

Kane comemora seu segundo gol na partida na vitória inglesa. (Reprodução/internet)

E AGORA?

Com o resultado, a Inglaterra vai para o segundo lugar do Grupo G, atrás da Bélgica pelo saldo de gols. A Tunísia é a última colocada. A próxima rodada poderá definir os dois classificados do Grupo G, caso as equipes vencedoras na primeira rodada ganhem novamente. A Tunísia joga contra a seleção da Bélgica no sábado (23), às 9h, e o Panamá será o adversário da Inglaterra no domingo (24), também às 9h.

Colaborou: Beatriz do Vale

Sobre Guilherme Guidetti

Guilherme Guidetti já escreveu 57 posts nesse site..

Guilherme Guidetti, paulista, nascido em São Caetano do Sul no dia 17 de fevereiro de 1994, mas residente de Santo André desde os primeiros dias de vida. A paixão por futebol vem da família, enquanto o gosto por escrever foi herdado do pai, caminhoneiro. Habilidoso com a canhota – exclusivamente segura a caneta na mão –, realiza diariamente o sonho de ficar perto do esporte através do jornalismo. De apresentador de programa de rádio a assessor de imprensa, sua ainda curta carreira na profissão já foi o suficiente para saber que faz aquilo que mais ama – e o faz com a mesma paixão com que joga bola com os amigos.

Guilherme Guidetti
Guilherme Guidetti, paulista, nascido em São Caetano do Sul no dia 17 de fevereiro de 1994, mas residente de Santo André desde os primeiros dias de vida. A paixão por futebol vem da família, enquanto o gosto por escrever foi herdado do pai, caminhoneiro. Habilidoso com a canhota – exclusivamente segura a caneta na mão –, realiza diariamente o sonho de ficar perto do esporte através do jornalismo. De apresentador de programa de rádio a assessor de imprensa, sua ainda curta carreira na profissão já foi o suficiente para saber que faz aquilo que mais ama – e o faz com a mesma paixão com que joga bola com os amigos.

Artigos Relacionados

Topo