Gilberto, o Gibagol, completa 31 anos entre bolas na rede e artilharia

- Atacante é ídolo do Santa Cruz e se encontrou no futebol no Bahia, o Tricolor da Boa Terra
Gilberto

Nesta sexta-feira (5), a coluna Parabéns ao Craque rende homenagem a um dos principais atacantes em atividade no futebol brasileiro. Isso porque, estamos a falar do artilheiro Gilberto, ídolo de grandes clubes brasileiros, como Santa Cruz e Bahia, que completa 31 anos de vida. Atualmente, é um dos principais goleadores da Copa do Nordeste na grande campanha realizada pelo Esquadrão de Aço.

O INÍCIO NO SANTA CRUZ

Natural de Piranhas, cidade do sertão alagoano, Gilberto Oliveira Souza Júnior começou sua vida no futebol nas divisões de base do Confiança, de Sergipe. Tão logo se destacou por lá, chegou ao Santa Cruz em 2009 para a disputa do Campeonato Pernambucano Sub-20. Assim, logo de cara, já demonstrava o faro artilheiro que lhe acompanha durante a carreira. Pois, foi o maior goleador da competição com 23 gols. Após uma passagem pelo Vera Cruz, do interior de Pernambuco, voltou para o Tricolor para, enfim, brilhar no Arruda.

Logo, em crise financeira e na Série D após sucessivos rebaixamentos no Campeonato Brasileiro, a parceria entre Santa Cruz e Gilberto não poderia ter sido melhor. Isso porque, ao retornar em 2011, sob a batuta do experiente treinador Zé Teodoro, nosso aniversariante foi um dos responsáveis pelo título do Campeonato Pernambucano. Assim, uma conquista memorável para o torcedor coral, ainda mais por ter sido a primeira do Tricampeonato que contou com os vices do rival Sport em todas os anos. Além disso, foi vice-artilheiro daquela edição com 12 gols e eleito o melhor atacante do estadual pela Federação Pernambucana de Futebol.

Leia mais:

ENTRE IDAS E VINDAS, CHEGOU A MLS

Assim, tão logo foi vencedor pelo Santa Cruz, Gilberto despertou o interesse do Internacional. Ao final do Pernambucano, já vestia as cores coloradas. Apesar do Bi do Gaúchão, não teve sequência. Após 31 jogos com apenas cinco gols, retornou para Pernambuco, dessa vez para o rival Sport. Na ocasião, o Leão estava na Série A, em 2012, e o atacante marcou sete tentos em 25 jogos. Apesar disso, nunca ganhou identificação com o Rubro-Negro, muito pelo histórico no rival tricolor.

Em seguida, ainda seria devolvido ao Internacional até chegar à Portuguesa em 2013. Pelo clube paulista, foi o quarto maior artilheiro do Campeonato Brasileiro com 14 gols em 24 partidas. Assim, sua principal atuação foi no confronto contra o Corinthians em que marcou três gols, aplicando o famoso hat-trick. Na sequência, teve sua primeira experiência internacional à serviço do Toronto. Na Major League Soccer, marcou sete gols em 30 jogos. Além disso, um de seus gols foi eleito o mais bonito da temporada de 2014.

Dessa forma, de férias no Rio de Janeiro, como quem não quer nada, Gilberto treinava com o elenco do Vasco quando o Cruz-Maltino viabilizou o seu empréstimo junto ao Toronto. Logo, após um início bastante promissor, caiu de rendimento após o título do Campeonato Carioca e fechou sua passagem no clube com nove gols em 26 partidas. O novo destino era um velho conhecido, não o Santa Cruz, e sim, a MLS. No Chicago Fire, guardou cinco bolas na rede em 19 atuações.

SÃO PAULO E BAHIA

Após um novo período na MLS, Gilberto retornou para o Brasil para atuar pelo São Paulo. Assim, no Tricolor Paulista demorou para engatar uma sequência de jogos. Logo, ganhou notoriedade apenas na segunda temporada pelo clube. Em 2017, marcou 13 gols em 35 partidas e foi o artilheiro do estadual com nove tentos. Dessa forma, pelo Campeonato Paulista, o atacante anotou mais um hat-trick na carreira, agora, na goleada por 5 x 2 diante da Ponte Preta. Assim, ao final da partida, foi ovacionado e teve seu nome gritado a plenos pulmões pela torcida. Apesar desse bom momento, o atacante não permaneceu por muito tempo no São Paulo.

Logo, com uma breve passagem pelo Yeni Malatyaspor, da Turquia, Gilberto rumou para ser feliz no Bahia. Enfim, um clube que lhe acolheu e por onde desenvolve o seu melhor futebol. Hoje, podemos dizer, sem medo, que vive o auge da carreira no Esquadrão de Aço. Isso porque, no clube desde 2018, foram 45 gols marcados em 92 jogos, sendo 29 tentos só em 2019, ano do melhor desempenho. Talvez, o seu grande jogo pelo Tricolor baiano e em toda sua história tenha sido o hat-trick contra o Flamengo de Jorge Jesus, em 2019, na Fonte Nova. Não apenas pelo adversário, que ainda iniciava o trabalho campeão, mas pela repercussão e importância que a partida teve.

UM ANDARILHO DA BOLA

Assim, Gilberto é o clássico centroavante finalizador, oportunista, forte no cabeceio e nos chutes de longa distância. Além disso, é um andarilho da bola com 11 clubes no currículo em 10 anos de profissionalismo. Apesar disso, sempre deixou sua marca por onde passou. Em especial, no Santa Cruz, clube formador, e, atualmente, no Bahia onde conquistou o Campeonato Baiano de 2019 e foi artilheiro da Copa do Nordeste do mesmo ano com oito gols.

Dessa forma, perto dos 100 jogos e com contrato renovado com o Bahia até 2021, Gilberto já declarou seu amor ao Tricolor da Boa Terra:

O orgulho de vestir a camisa do Bahia não tenho nem como descrever. Estava quase fazendo 100 jogos, é a primeira vez na minha carreira que iria fazer isso por um clube. Posso falar muitas coisas positivas do Bahia e daqueles que comandam o clube, colocam nos trilhos. (…) Estou muito feliz de fazer parte disso, a cada dia que passa me torno 10 mil vezes mais Bahia. Meu maior sonho como jogador é ganhar um título grande, se eu conseguir realizar isso com o Bahia será importantíssimo.

Foto destaque: Reprodução / Felipe Oliveira

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 459 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

365 Scores

BetWarrior


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

Artigos Relacionados

Topo