Futebol Feminino: como está a França pós Copa?

A Coluna "Além dos Bleus" viaja para entender a relação da França e os desafios com o futebol feminino
futebol feminino francês

O Futebol Feminino ganhou muita visibilidade no ano de 2019, principalmente com a Copa do Mundo que aconteceu na França. No entanto, o evento chamou atenção para diversos problemas que afetam a área, além de reforçar que ainda existem muitas desigualdades nos salários, entre homens e mulheres, e na valorização do esporte. Afinal, os investimentos em patrocínio e o enfoque da mídia são exclusivamente para os campeonatos de futebol masculinos.

As federações lutam para que as mulheres ganhem mais espaço. Porém ainda existem desafios e barreiras que devem ser quebrados todos os dias. O futebol feminino vem se tornando mais comum e, agora, não é mais estranho ver meninas se interessando pela modalidade, mas como ficou a relação com o futebol feminino francês pós Copa?

Leia Mais

RACING CLUB ROUBAIX E A PRIMEIRA SOBERANIA DO CAMPEONATO FRANCÊS

NEYMAR E MBAPPÉ – RAIO-X DOS CRAQUES PARISIENSES

O MESSI DOS ANOS 70 É O MAIOR ARTILHEIRO DO CAMPEONATO FRANCÊS. VOCÊ O CONHECE?

Futebol Feminino na França

Atualmente, das 2 milhões de licenças registradas pela Federação Francesa de Futebol (FFF), pouco mais de 180.000 são de jogadoras, o que corresponde a um aumento de 414% em relação aos anos 2000, quando haviam apenas 34.997 licenças de mulheres. No entanto, mesmo com esse aumento extraordinário, a Federação não vai conseguir atingir sua meta, que era de 200.000 licenças até 2020.

A FFF têm sido muito ativa e vem trabalhando pesado no desenvolvimento e, principalmente divulgação do futebol feminino, porém a falta de infraestrutura impede que melhorias se intensifiquem. Além disso, o orçamento proveniente do Ministério do Esporte vem caindo e os subsídios públicos, praticamente desaparecendo. Somado a isso, o governo francês interrompeu os empregos subsidiados que, são indispensáveis para o funcionamento das organizações e clubes menores. Assim, o dinheiro é distribuído apenas para as grandes competições internacionais, como por exemplo, as Olimpíadas de Paris de 2024. Com isso, nenhum recurso é destinado às cidades e comunidades praticantes de esportes, nem para o universo amador.

Dessa forma, cria-se também uma hegemonia, em que apenas os grandes clubes possuem recursos e estrutura, como é o caso do futebol feminino no Lyon e no PSG. Os clubes menores ou amadores que, disputam a mesma liga, não conseguem prestar um serviço público de qualidade e não garantem à todas as jogadoras uma prática do esporte, de forma absoluta. A França precisa desenvolver espaços físicos e estruturas para os clubes.

A Copa pode não ter produzido 100% dos resultados que desejava. No entanto, conseguiu despertar foco para problemas que precisam ser resolvidos logo.

Patrocínio e Mídia

A Copa do Mundo Feminina teve um efeito impressionante na televisão e nas redes sociais, em termos globais. Não foi diferente na França, onde os registros de audiência foram altos no TF1 e no Canal+. Inclusive, este último, trasmite há mais de uma ano a Liga feminina. Assim, o grupo M6 decidiu seguir com a transmissão os jogos da seleção feminina francesa, porém, sem a qualificação para as olimpíadas ou qualquer compromisso importante antes da Euro-2021, isso vai demorar. Além disso, as empresas de equipamentos e artigos esportivos, com foco em camisas, impulsionaram o envolvimento com as mulheres, principalmente nesse período de Copa do Mundo.

Foto Destaque: Divulgação/Equipe de France

Emanuelly Cardoso

Sobre Emanuelly Cardoso

Emanuelly Cardoso já escreveu 157 posts nesse site..

Emanuelly Cardoso, 18 anos. Estudante de jornalismo, apaixonada pelo mundo da comunicação. Gosto de levar a vida com alegria e leveza. Sempre tive interesse por esportes, cultura e questões sociais. O futebol foi o tema que meu coração escolheu para falar sobre meus interesses e dar voz ao que me conecta com o universo.

365 Scores

BetWarrior


Emanuelly Cardoso
Emanuelly Cardoso
Emanuelly Cardoso, 18 anos. Estudante de jornalismo, apaixonada pelo mundo da comunicação. Gosto de levar a vida com alegria e leveza. Sempre tive interesse por esportes, cultura e questões sociais. O futebol foi o tema que meu coração escolheu para falar sobre meus interesses e dar voz ao que me conecta com o universo.

Artigos Relacionados

Topo