frustração assombra jogos da Seleção Brasileira

Time sofre com vaias dos torcedores na Copa América

No último jogo da Seleção Brasileira, o time recebeu muitas vaias. O empate contra a Venezuela, na Fonte Nova, foi o estopim para gerar uma crise entre time e torcida. Os torcedores já tinham se irritado no jogo contra a Bolívia, em São Paulo. Pois a seleção não havia aberto o placar antes do primeiro tempo. Exagero ou não, é fato que a relação está por um fio.

Depois da Copa América Centenária, em 2016, quando nossa seleção foi desclassificada na primeira fase. E, irrefutavelmente, contratou Tite para o lugar de Dunga, parecia que as coisas dentro e fora dos gramados iriam, de fato, melhorar. Porém, a derrota na Copa do Mundo de 2018, dessa vez para a Bélgica, escolhas de amistosos contra times tecnicamente inferiores. E pior que isso, maus desempenhos diante dessas equipes fazem, corretamente, os torcedores reprovarem a seleção.

Mas vaiar a Seleção Brasileira, é certo?

É difícil não estar do lado do torcedor. Veja bem, o último título da seleção brasileira foi em 2013 na Copa das Confederações, aqui no Brasil. De lá pra cá, foram muitas expectativas e muitas decepções. Mesmo assim, os torcedores compareceram em peso na Rússia para apoiar o time. E para essa Copa América, os ingressos, caríssimos, foram esgotados com antecedência. Portanto, não está fácil torcer e se orgulhar pela nossa seleção.

O único jeito para sair dessa situação é, ironicamente, apoiar o time. Não ajuda vaiar quando o jogador erra um passe ou quando não finaliza na direção do gol. E não inspira em nada, as vaias quando acaba o primeiro tempo. Até porque, o Brasil não esteve atrás do placar em nenhum dos três jogos. Logo, o melhor a se fazer para, ajudar o time a vencer é apoiar os 90 minutos.

Ainda sim, o treinador Tite precisa ajudar a seleção e se ajudar. Não dá pra convocar Fernandinho, o jogador é alvo de crítica da torcida e da imprensa constantemente. É desnecessário convocá-lo e colocá-lo para jogar, mesmo que só segundo tempo, sendo que tem Allan e Paquetá no banco. Além disso, Éverton e Gabriel Jesus estão pedindo passagem. Os melhores jogadores da seleção até aqui, estão vindo do banco de reservas. O time pode dar a volta por cima, tem grande chance de ser campeão, basta tomar decisões “simples”.

Brasil é vaiado em jogo contra a Venezuela
Torcida não perdoa e vaia a seleção brasileira pelo péssimo jogo. (Reprodução/Globoesporte)

Giovanna Matiello

Sobre Giovanna Matiello

Giovanna Matiello já escreveu 202 posts nesse site..

Meu nome é Giovanna Matiello, tenho 19 anos e sou estudante de jornalismo na UNIP. Sou apaixonada por esportes por causa da minha família, meu pai é fanático por futebol, minha tia é ex jogadora profissional de futsal e meu tio é vidrado no vôlei e é professor de educação física. Fica óbvia minha relação com o esporte.A NBA e a NFL entraram na minha vida por admiração à organização americana. Sonho em ser jornalista esportiva porque acredito que o esporte é um caminho de educação e, porque culturalmente falando, talvez seja uma das poucas tradições que uni verdadeiramente o povo brasileiro.

BetWarrior

Giovanna Matiello
Giovanna Matiello
Meu nome é Giovanna Matiello, tenho 19 anos e sou estudante de jornalismo na UNIP. Sou apaixonada por esportes por causa da minha família, meu pai é fanático por futebol, minha tia é ex jogadora profissional de futsal e meu tio é vidrado no vôlei e é professor de educação física. Fica óbvia minha relação com o esporte.A NBA e a NFL entraram na minha vida por admiração à organização americana. Sonho em ser jornalista esportiva porque acredito que o esporte é um caminho de educação e, porque culturalmente falando, talvez seja uma das poucas tradições que uni verdadeiramente o povo brasileiro.
http://redacao%20fnv

Artigos Relacionados

Topo