Forsberg é protagonista e decide classificação com único gol da partida

Enquanto suíços se despedem, equipe nórdica é a sexta a se classificar para as quartas de final da Copa do Mundo de 2018

Foram 24 faltas marcadas, três cartões amarelos e uma expulsão nos mais de 90 minutos de jogo. E mesmo com a vitória sueca por 1 x 0, quem mais tinha posse de bola eram os adversários (38% x 62%). Muitas finalizações, muitas criações de gol, mas quase todas falhas. Exceto por uma que foi fundamental: a da vitória. A classificação sueca foi concretizada após gol de Emil Forsberg, nesta terça-feira, em São Petersburgo.

“Com orgulho e lágrimas nos olhos”. É assim que o autor do gol descreve a classificação da Seleção Sueca para as quartas de final na Rússia: “Poder levar a Suécia para as quartas de final é um sonho. Trabalhei muito para isso. Toda a minha família me dá um apoio muito grande. A Suécia precisava de mim e eu estava lá”, comentou Forsberg. O camisa 10 foi eleito o melhor jogador em campo da partida pelas oitavas de final.

1º TEMPO

Logo no primeiro minuto de jogo, falta no sueco Ola Toivonen pelo Granit Xhaka e uma oportunidade de gol suíço desperdiçada por Xherdan Shaqiri após finalização com pé esquerdo de fora da área. Aos sete minutos outra chance perdida por Steven Zuber, com chute de pé direito em direção ao centro do gol. Um minuto depois, resposta da Suécia com duas finalizações pelo jogador Marcus Berg, sem êxito. Até os 18′, novas oportunidades criadas, mas apenas pelo oponente da Suíça: Albin Ekdal aos nove minutos, Mikael Lustig aos 14′ e Marcus Berg novamente aos 18′.

Marcação e contra-ataque para forçar o erro da defesa suíça eram o que mais predominava na primeira metade do primeiro tempo de jogo. Mas aos 24′ os suíços começaram a reagir: Steven Zuber ameaçou lance de cabeça no meio da área, sem sucesso, depois de uma falta sofrida por Mikael Lustig, que recebeu cartão amarelo por uma entrada perigosa, em Josip Drmic, outra oportunidade perdida com belo chute do lado esquerdo do gol e, por fim aos 34′, Granit Xhaka com assistência de Xherdan Shaqiri, após finalização com pé esquerdo de mais de 30 metros.

Suécia busca classificação para as quartas de final (Reprodução/Reuters)

Aos 40′ os suecos contra-atacam em busca do primeiro gol: finalização bloqueada de Emil Forsbeg com pé direito de fora da área. Um minuto depois, quem tem e perde a chance é Albin Ekdal, após cruzamento. Seleções da Suécia e Suíça tiveram mais dois minutos de acréscimo para abrir o placar, mas termina no 0 x 0.

2º TEMPO

Suécia já mostrou um melhor contra-ataque. Primeira chance de gol aos quatro, por Ola Toivonen, após finalização com pé esquerdo no meio da área. Resposta suíça aos oito, com quatro escanteios marcados de uma vez só. Segundo cartão amarelo do jogo aos 16′ para Valon Behrami da Suíça após falta no campo defensivo. Aos 19′, finalização com o pé direito por Emil Forsberg no canto esquerdo, mas bloqueada.

Quase na metade do segundo tempo e nada de oportunidades reais de gol, além de apresentarem muita dificuldade de aproveitar lances por finalização. Aos 21′, Forsberg recebeu na entrada da grande área, limpou o marcador, bateu firme, bola desviada no zagueiro suíço Manuel Akanji, que passa direto para o fundo do gol. Suécia abre o placar e deixa equipe mais perto da classificação.

Na tentativa de correr contra o prejuízo, aos 23′ Granit Xhaka comete falta após entrada perigosa em Viktor Claesson. Terceiro cartão amarelo do jogo. No minutos seguinte, finalização de Ricardo Rodríguez com o pé direito de fora da área defendida em direção ao centro do gol. Aos 26′ e 27′ duas finalizações bloqueadas por Granit Xhaka e Xherdan Shaqiri, de pé esquerdo de fora da área e pé esquerdo do lado direito da área, respectivamente.

Aos 28′, Vladimir Petković faz duas substituições para a Suíça: sai Blerim Dzemaili e entra Haris Seferovic e sai Steven Zuber para dar lugar a Breel Embolo. Num intervalo de 60 segundos, quatro finalizações bloqueadas da Suíça: uma de pé esquerdo de fora da área, outra com o direito pelo lado direito e duas de cruzamento.

Essa é a primeira vez que as duas seleções se enfrentam no Mundial (Reprodução/Reuters)

Suíça aperta e Jan Andersson faz suas primeiras substituições aos 37′: Mikael Lustig dá lugar a Emil Krafth e Emil Forsberg, lesionado, a Martin Olsson. Para garantir placar, uma última substituição sueca no último minuto de jogo antes do acréscimo: sai Marcus Berg e entra Thelin. Cinco minutos. Aos 48′, falta grave por Michael Lang em Martin Olsson dentro da área. Cartão vermelho para Michael e árbitro esloveno Damir Skomina marca penalidade máxima para Suécia, mas acionado pelo VAR anulou, mantendo apenas a expulsão. Falta na meia-lua, batida por Toivonen e defendida por Sommer. Aos 52′, partida encerrada e Suécia classificada.

E AGORA?

Fazia 24 anos que a Suécia não chegava tão longe na competição. E agora promete jogo difícil contra sua próxima adversária, Inglaterra, no mata-mata que será realizado neste sábado (7), às 11h, (Brasília), na Arena Samara. Quem segue para as semi-finais?

Melhores Momentos

Beatriz do Vale

Sobre Beatriz do Vale

Beatriz do Vale já escreveu 317 posts nesse site..

Comunicativa desde pequena, graduada em Rádio e TV e também em Jornalismo pela FIAM, e pós-graduada pela Cásper Líbero.Tudo o que envolva pesquisa, escrita, locução, entrevista e criação, busco me aprimorar e fazer o melhor. Futebol na Veia surgiu sem qualquer pretensão e, hoje, me proporciona uma verdadeira imersão neste mundo esportivo, com ensinamentos pessoais e profissionais a cada dia. Sou paulistana, 30 anos, não sou parente do Luciano, mas vou experimentando...


 

365 Scores

 

Beatriz do Vale
Beatriz do Vale
Comunicativa desde pequena, graduada em Rádio e TV e também em Jornalismo pela FIAM, e pós-graduada pela Cásper Líbero.Tudo o que envolva pesquisa, escrita, locução, entrevista e criação, busco me aprimorar e fazer o melhor. Futebol na Veia surgiu sem qualquer pretensão e, hoje, me proporciona uma verdadeira imersão neste mundo esportivo, com ensinamentos pessoais e profissionais a cada dia. Sou paulistana, 30 anos, não sou parente do Luciano, mas vou experimentando...

Artigos Relacionados

Topo