Fernanda Tenório compara seu futebol ao de Arrascaeta, em live

- Jogadora do Danubio concedeu mais uma entrevista ao FNV, agora pelo Instagram
Fernanda Tenório - Danubio - Futebol Feminino

A atacante da equipe feminina do Danubio-URU, Fernanda Tenório participou de uma live no Instagram oficial do Futebol na Veia, na noite desta quinta-feira (28). Sendo assim, o bate-papo foi conduzido pelo jornalista Eric Filardi, e teve assuntos como o futebol feminino no Uruguai, jogadores brasileiros e muito mais. A saber, a jogadora já havia concedido uma entrevista ao site, que você pode conferir aqui:

Além de jogar futebol pelo Danubio, Fernanda também é atleta de futsal pelo Nacional-URU. Assim, aos 16 anos foi chamada por Jorge Sere para integrar o plantel do Seleção Sub-20 do país, para disputar o sul-americano da categoria. Perguntada sobre a sensação de ver seu nome entre as convocadas e a experiência pela seleção, ela respondeu:

“Surgiu a oportunidade de treinar em Montevidéu. Foram 40 dias de treinamento, e na pré-seleção saiu a lista definitiva das 14 jogadoras. Fomos para o Paraguai, para o Brasil e foi minha primeira vez na Seleção, uma grande oportunidade para mim.”

Fernanda é natural de Artigas, cidade fronteira com o Rio Grande do Sul, e falando sobre o futebol brasileiro, ressaltou que gosta e jogaria por dois times no Brasil: o Internacional e o Santos. Além disso, se inspira na jogadora do Colorado, Júlia e na Debinha. No futsal, as influências são na Amandinha e na Diana. A jogadora ainda acompanha a programação brasileira. Segundo a mesma, aprendeu um pouco de português assistindo Sessão da Tarde e a novela de grande sucesso, Avenida Brasil.

Fernanda Tenório Danubio FC - chegada ao danubio
Foto: Fernanda Tenório, atleta de futebol feminino/Divulgação Acervo Pessoal

BAIRRISMO

Os dois clubes mais notórios do país charrúa, são o Nacional e o Peñarol, e apenas três times da elite masculina não são da capital uruguaia: Plaza Colonia, Deportivo Maldonado e o Cerro Largo. Ao ser questionada sobre como é a torcida do Danubio tanto no masculino quanto no feminino, Fernanda declarou:

“A torcida do Danubio é muito do bairro. A sede do clube fica no bairro De La Curva de Maroñas, então a torcida é mais a vizinhança. A diferença é que na torcida masculina tem mais pessoas sem ser familiares dos jogadores. Já na feminina, a maioria é o seu pai, sua mãe, sua amiga. 

E ainda completou dizendo que são poucas as pessoas que comparecem aos jogos.

Quem acompanhou a live, também mandou perguntas à atleta. Entre elas, foi questionado em que se assemelha mais o seu futebol, a raça uruguaia ou a ginga brasileira. “Acho que a uruguaia. O Brasil é muito drible, pedala Robinho, isso não é meu forte”

FUTEBOL FEMININO

O futebol feminino uruguaio, ainda não é profissional, mas caminhas a passos curtos para ser. As jogadoras não recebem nada financeiramente dos seus clubes. Dessa forma, as jogadoras precisam de um meio a mais para conseguir uma renda. A entrevistada ainda não trabalha, mas faz faculdade de Educação Física em Montevidéu. Entretanto, Fernanda sonha em viver apenas do futebol: “O futebol me faz bem. É o que eu gosto de fazer e o que vou fazer sempre”

“Os homens que jogam futebol não estudam, então eles não precisam se preocupar em fazer outras coisas. Já a mulher, tem uma carga social muito maior. Portanto, para a mulher é muito difícil equilibrar tempo e dinheiro.”

Recentemente, três jogadoras do Nacional foram profissionalizadas pelo clube, o que foi um grande passo para o futebol do Uruguai. Porém, falta muito para chegar aos demais clubes do campeonato. Em relação a isso, Fernanda citou que cabe aos clubes investirem melhor o dinheiro na modalidade feminina, e que não parecem fazer questão do futebol feminino desenvolver.

“Os jogos femininos não são transmitidos. Quando acaba o jogo, você não tem fotos, não tem vídeos, não tem entrevistas. Assim, você faz o gol e não tem vídeo. Se tiver, é de alguém da sua família que gravou.”

A atleta ainda assegura que a equipe auxilia com um convênio junto a um hospital da cidade, caso aconteça de alguma jogadora machucar durante o treino. Por outro lado, não há apoio financeiros com o transporte de ônibus ou gasolina para as que conseguem ir aos treinos de carro.

Fernanda Tenório - Jogadora do Uruguai
Foto: Fernanda Tenório,, atleta de futebol feminino do Danubio/Divulgação: Acervo Pessoal

DANUBIO E O APOIO AS CAUSAS SOCIAIS

A atleta é a capitã do time uruguaio e a braçadeira da equipe tem as cores da bandeira LGBTQ+. Só para ilustrar, o Danubio é um time social, que preza bastante no engajamento das causas sociais. De acordo com a jogadora, elas mais as companheiras de clube gostam muito porque significa que as suas vozes foram escutadas. Ou seja, elas sentem que o clube dá importância para àqueles que fazem a diferença na sociedade.

Posteriormente, foi abordado sobre a experiência mais marcante da uruguaia com a camisa do De la franja:

“Foi o primeiro clássico em nosso campo, empatamos em 4 x 4 para o nosso rival, o Defensor. Mas estávamos perdendo por 4 x 0 no 1º tempo e não sei como terminamos a partida empatados. E eu fiz o primeiro gol, foi sabor de vitória.”

COMPARAÇÃO A JOGADORES BRASILEIROS

Quando jogava pelo Peñarol, Fernanda Tenório disse que mudava bastante de posição. Em alguns momentos jogava pelo meio, em outros por fora. Então, não teve continuidade em apenas uma posição, ao passo que no Danubio já conseguiu se destacar jogando como atacante pelas laterais.

Para encerrar o bate-papo, foi perguntada a qual jogador brasileiro ou uruguaio ela se compararia na forma de jogar e suas características, não exitou em dizer dois jogadores – um ex e outro atual – do Flamengo e um do Grêmio: Vinícius Jr, De Arrascaeta e Everton Cebolinha.

 

Para assistir a entrevista na íntegra, basta acessar a página oficial do Futebol na Veia, pelo Instagram. 

“Sempre tem aqueles comentários que futebol não é pra mulher. E eu sempre ‘vem ao meu jogo, veja como jogamos iguais aos homens, treinamos igual'. Então não tem porque você dizer que futebol não é para mulher”, argumentou.

 

 

Mariana Dias

Sobre Mariana Dias

Mariana Tolentino Dias já escreveu 99 posts nesse site..

Meu nome é Mariana Tolentino Dias, sou goiana, tenho 20 anos e curso Jornalismo na PUC-GO. Não me vejo fazendo outra área a não ser o esportivo. Futebol e NBA são minhas paixões. Torcedora roxa do Goiás Esporte Clube e do Houston Rockets

365 Scores

BetWarrior


Mariana Dias
Mariana Dias
Meu nome é Mariana Tolentino Dias, sou goiana, tenho 20 anos e curso Jornalismo na PUC-GO. Não me vejo fazendo outra área a não ser o esportivo. Futebol e NBA são minhas paixões. Torcedora roxa do Goiás Esporte Clube e do Houston Rockets

Artigos Relacionados

Topo