Estudiantes define nomes das arquibancadas do novo estádio

Reinauguração do Jorge Luis Hirschi está marcada para os dias 9 e 10 de novembro, após jogo contra o Talleres.
Estudiantes

O sonho do retorno à casa está cada vez mais perto para os torcedores do Estudiantes.

Desde o final dos anos 90, os Pinchas e o Gimnasia y Esgrima disputavam a cessão definitiva das terras onde, hoje, se localiza o Estádio Jorge Luis Hirschi. Sendo assim, o fechamento aconteceu em setembro de 2005 e a última partida foi o clássico local, válido pelo antigo Torneio Apertura do Campeonato Argentino. Após 14 anos, o León ajusta os últimos detalhes para à volta a antiga casa.

Para tanto, a direção nomeou os quatro setores das arquibancadas da nova arena. Embora se esperasse homenagens aos grandes ídolos do futebol dos Pincharratas, as alusões da vez foram aos títulos conquistados em sua história. Sendo assim, ganharam nomes tais como “Campeões da América“, “Campeões do Mundo“, “Campeão Nacional” e “Terceira que mata“.

A RAZÃO PARA OS NOMES

Um dos maiores clubes da Argentina, o Estudiantes é um dos poucos que pode se orgulhar de ter conquistas nos três níveis do futebol: nacional, continental e mundial. Dessa forma, a 1ª referência é ao tetracampeonato da Libertadores da América. Os títulos foram obtidos nos anos de 1968, 1969, 1970, os dois últimos de forma invicta, e 2009, em pleno Mineirão contra o Cruzeiro. A pecha de Campeão do Mundo se deve a Copa Intercontinental, considerada o antigo Mundial. Ela foi vencida em 1968, diante do Manchester United, na Inglaterra.

Assim, para fazer jus ao rótulo de Campeão Nacional, o clube ostenta seis títulos do Campeonato Argentino1913, 1967, 1982, 1983, 2006 e 2010 – e duas Copas da Argentina1944 e 1945. A quarta homenagem é ao elenco formado na temporada de 1962. Neste ano, o Estudiantes jogou a 3ª divisão e cinco anos mais tarde foi campeão da Libertadores da América.

ESTÁDIO DO ESTUDIANTES

Apelidado de Tierra de Campiones, o estádio do time de La Plata está localizado na esquina da Rua 1 com a rua 57 no Paseo del Bosque. Ele foi inaugurado em 25 de dezembro de 1907 e não recebeu uma partida para marcar o fato. Contou com shows musicais e exibição de vídeos sobre o clube para marcar a data. Assim, o estádio possuía capacidade para 2 mil pessoas, tendo um espaço exclusivo para as mulheres, já naquela época. Em 1911, a primeira tribuna foi construída e 26 anos depois, a iluminação do espaço, fato que permitiu ao clube começar a mandar seus jogos à noite.

Com efeito, o Jorge Luis Hirschi foi palco de quatro finais de Libertadores da América, ajudando o clube a ganhar três dessas. Em 1968, o Estudiantes fez o jogo de ida contra o Palmeiras, em 2 de maio, vencendo pelo placar de 2 x 1. Naquele ano, se sagrou campeão em um jogo de desempate, em Montevidéu, no Uruguai. No ano seguinte, nova decisão, dessa vez, diante o Nacional-URU, quando foi bicampeão, após vitória por 2 x 0, em casa. Em 1970, o tri  veio contra o Peñarol, depois de ganhar, em seus domínios, por 1 x 0, levantou a taça na capital uruguaia, com o empate em 0 x 0.

Nesse meio tempo, a única final de Libertadores decidida em La Plata que não teve êxito foi diante, novamente, do Nacional-URU. Nessa ocasião, o time uruguaio se sagrou campeão no jogo de desempate em Lima, no Peru. Mesmo com o vice, a Tierra de Campiones contribuiu com a vitória na primeira partida da melhor de três.

Após o fechamento do estádio, em 2005, o clube passou a mandar seus jogos no estádio do rival, Gimnasia, no Juan Carmelo Zerillo, apelidado de Bosque. Assim, ainda atuou no Estádio Centenário de Quilmes até exercer mando definitivo no Ciudad La Plata, onde foi campeão da Libertadores, em 2009.

SOBRE JORGE LUIS HIRSCHI

Sendo assim, a personalidade que dá nome ao estádio do Estudiantes foi jogador e presidente do clube, entre os anos de 1927 e 1931. Fez parte do elenco campeão nacional, em 1913, ainda na fase amadora do futebol argentino e recebeu a homenagem no estádio em 1970.

A saber, atualmente, o Estudiantes está na 16ª posição na classificação da Superliga Argentina, com 10 pontos e enfrenta o Córdoba, pela 10ª rodada, na segunda (21), às 19h (horário de Brasília), no Estádio Victor Antônio Aguirre, em Santiago del Estero. No entanto, antes, visita o Estudiantes de San Luis, pela Copa Argentina, hoje, às 18h10 (horário de Brasília).

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 27 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."


Que tal assistir a final da Libertadores no Chile? Cadastre-se e concorra:

Rexona


Forza Football

 

Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

Artigos Relacionados

Topo