Entrevista com Tiago Alves, meia-atacante do Sagan Tosu

Campeão na Coréia do Sul e na Arábia Saudita, ele conta como é atuar no futebol asiático e sobre o novo desafio na J-League

O Futebol na Veia conseguiu uma entrevista com Tiago Alves Sales, que deixou a cidade de São João do Araguaia (distante cerca de 608 km da capital Belém), para tentar a sorte na base do Santos Futebol Clube. Deu certo. Logo o atacante passou a fazer parte do elenco principal de 2011 que contava com um tal Neymar, como destaque. O plantel em questão também tinha nomes como: Paulo Henrique GansoElanoEdu Dracena, entre outros.

Logo depois Tiago Alves passou por: Boa Esporte (MG), América (MG), Penapolense (SP) e Paraná, até desembarcar na Coréia do Sul para defender as cores do Pohang Steelers. No continente asiático, Tiago soltou o grito de ‘campeão’. No Al Hilal da Arábia Saudita levantou a taça do campeonato nacional. Posteriormente na temporada 2018, foi a vez de comemorar o título sul-coreano com o Jeonbuk Motors.

Desde o final de julho de 2019, Tiago Alves veste a camisa do Sagan Tosu na disputa da J-League. Esta é sua segunda passagem pela terra do sol nascente. Em 2017, atuou pelo Shimizu S-Pulse. Nesta entrevista concedida ao Futebol na Veia, ele conta sobre sua passagem pela Ásia, incluindo o acerto com a nova equipe.

Entrevista com Tiago Alves

VOCÊ CHEGA PARA A SUA SEGUNDA PASSAGEM NO FUTEBOL JAPONÊS. PORÉM JÁ ATUOU NA ARÁBIA SAUDITA E POSTERIORMENTE NA CORÉIA DO SUL. QUAL A DIFERENÇA, TECNICAMENTE FALANDO, ENTRE O FUTEBOL JOGADO NESSES PAÍSES?

EM 2018 VOCÊ FOI CAMPEÃO COM O JEONBUK MOTORS COMO TITULAR. FALE UM POUCO SOBRE ESTA TEMPORADA.

A SITUAÇÃO DO SAGAN TOSU ATUALMENTE É COMPLICADA, A EQUIPE SE REVEZA NAS ÚLTIMAS POSIÇÕES. O QUE TE FEZ ACEITAR A PROPOSTA DO CLUBE, AFINAL?

“O que me fez aceitar a proposta do Tosu, foi meu coração! Tive outras propostas inclusive para ficar na Coréia do Sul mas acabei optando pelo Japão. Mas foi coisa de instinto mesmo, orei, pedi para Deus me mostrar para onde eu deveria ir. Eu sabia da situação do time, que era complicada, porém isso em nenhum momento atrapalhou na minha decisão”.

(Reprodução/Tuddo Comunicação)

POR ALGUM TEMPO VOCÊ TEVE COMO COMPANHEIRO DE EQUIPE O ESPANHOL FERNANDO TORRES, QUE ACABOU SE APOSENTANDO. NESSE MEIO TEMPO, COMO FOI ATUAR AO LADO DELE?

“Fui companheiro do el niño, el matador. Confesso que assim que eu cheguei fiquei muito nervoso nos primeiros dias. Até brinquei com ele, disse que jogava muito com ele no videogame, quando ele era do Chelsea. Sempre o admirei por ser um goleador. Mas infelizmente ele está encerrando a carreira. Um jogador experiente consagrado, que ganhou praticamente tudo. Também é muito humilde, eu o via como um bad-boy na TV, mas não é nada disso pessoalmente”.

COMO ÚNICO BRASILEIRO NO ELENCO, ACHA QUE TERÁ ALGUMA DIFICULDADE NA CONVIVÊNCIA E NA INTEGRAÇÃO COM OS DEMAIS JOGADORES?

“Não vou ter nenhuma dificuldade de adaptação com os demais jogadores. Os japoneses são muito gente boa! Me receberam super bem aqui. Eles fizeram até uma janta para comemorar a minha chegada. E já fomos inclusive em uma churrascaria brasileira que fica em Fukuoka”.

PENSA EM VOLTAR A JOGAR NO BRASIL?

O SANTOS ESTÁ NAS PRIMEIRAS POSIÇÕES NO BRASILEIRÃO 2019. TEM ACOMPANHADO O TRABALHO REALIZADO NO PEIXE, CLUBE QUE O REVELOU EM 2009?

Integrado ao elenco principal do Santos (Divulgação/Ivan Sorti/Santos FC)
Avatar

Sobre Rafael Regis

Rafael Regis já escreveu 105 posts nesse site..

Tenho 31 anos. Sou formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu e em Radialista (setor locução) pelo Senac-SP. Trabalho também como repórter da Rádioweb Poliesportiva, onde participo de coberturas in-loco de diversos esportes como: futebol, vôlei, basquete e futsal. Apaixonado pelo jornalismo e pelas coberturas esportivas, moro na capital paulista e sou torcedor fiel do Nacional Atlético Clube (SP).

Forza Football

 

Rivalo Apostas Esportivas
Avatar
Rafael Regis
Tenho 31 anos. Sou formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu e em Radialista (setor locução) pelo Senac-SP. Trabalho também como repórter da Rádioweb Poliesportiva, onde participo de coberturas in-loco de diversos esportes como: futebol, vôlei, basquete e futsal. Apaixonado pelo jornalismo e pelas coberturas esportivas, moro na capital paulista e sou torcedor fiel do Nacional Atlético Clube (SP).

Artigos Relacionados

Topo