Com empate na Fonte Nova, Fla perde chance de liderar e Bahia pode entrar na degola

Igualdade não foi nada boa para os baianos que correm risco de entrar na degola, enquanto cariocas ainda permanecem perto dos líderes

Jogando na Fonte Nova (BA), pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro Série A 2018BahiaFlamengo não saíram do zero. O empate frustra ambas as torcidas que não veem nem os donos da casa se distanciarem do Z4 e nem os visitantes assumirem a liderança. O duelo marcou a estreia do técnico Dorival Junior, que assumiu o rubro-negro carioca nesta sexta-feira, após a demissão de Maurício Barbieri. Veja detalhes da partida.

1º tempo

Com muitos erros de passe “bobos”, os cariocas praticamente se defenderam. As vezes que tentaram subir ao ataque, foram tímidas. Por outro lado, o Bahia fazia marcação sobre pressão no campo de ataque, a fim de roubar uma bola ou aproveitar-se dos erros flamenguistas. Porém, assim como o Flamengo, os baianos pecavam demais na troca de passes, fazendo dos minutos iniciais agonizantes. A primeira chance no ataque saiu dos pés visitantes. Lucas Paquetá recebeu de Vitinho na entrada da área e chutou fraco, para a fácil defesa do goleiro Anderson. Vitinho arriscou de longe, aos 10′, mas foi outro chute sem força, também sem perigo.

Aos 13′, surgiu o primeiro lance de perigo para o Bahia. Em cobrança de falta pela direita do ataque, Bruno cruzou e a bola passou frente aos atacantes e Pará cortou para a linha de fundo. Aos 22′, Gilberto limpou o zagueiro na entrada da área e mandou fraquinho na mão de César, sem perigo para os cariocas. Dois minutos depois, após bola cruzada na área, Léo Duarte afastou, Léo (do Bahia) ficou com a sobra e chutou forte, passando rente a trave do rival, sendo o lance de maior perigo até então. Os chutes eram todos fracos e sem perigos.

Os mandantes cresceram nos minutos finais e tiveram mais chances. Aos 40′, após falta na intermediária, a bola espirrou na barreira e caiu na marca da cal, Cuéllar foi cortar e mandou na mão de Léo Duarte. Obviamente, os jogadores do Bahia pediram pênalti, mas o árbitro ignorou e deu escanteio. Antes o final da etapa inicial, aos 46′, Zé Rafael fez fila nos defensores do Flamengo, entrou na área e, quando sairia cara a cara com o arqueiro César, adiantou demais a bola e, vendo que não chegaria mais nela, caiu. Os baianos novamente cercaram o árbitro pedindo pênalti, mas o juiz, corretamente, mandou seguir o jogo.

2º tempo

Aos seis minutos, o Fla perdeu sua melhor chance na partida até então. Pará fez um cruzamento da direita para a área. Vitinho subiu junto ao zagueiro para cabecear, mas o goleiro Anderson foi para tentar o soco, mas não segurou e nem socou, deixando a bola cair na frente do atacante rubro-negro que tentou a conclusão, mas a bola escapou e o chute saiu muito fraco, dando tempo da zaga se jogar frente a bola e cortar. Aos nove minutos Gilberto mandou uma pancada de esquerda, de fora da área, mas César encaixou com tranquilidade.

Aos 33′, Elber arriscou um chute muito forte de fora da área e o goleiro César espalmou para fora da área, evitando o gol dos baianos. Um minuto mais tarde o lance mais icônico do jogo, e que serve de exemplo para o que foi a partida, aconteceu. O atacante Vinicius, do Bahia, tentou duas vezes o chute e furou. Na sequência, o zagueiro Réver roubou e bola e na hora de isolar para o ataque, também furou. Zé Rafael teve boa chance aos 35′, num chute cruzado, mas a bola foi para fora. Uma partida horrorosa que retrata o momento de crise política do Flamengo e de altos e baixos no futebol baiano.

E agora?

Com o resultado, o Flamengo chega a 5ª posição do Campeonato Brasileiro com 49 pontos e permanece perto dos líderes. Já o Bahia chega aos 30 pontos e sobe para a 14ª colocação, e fica ameaçado de entrar na zona de rebaixamento, pois as equipes abaixo ainda jogam. Após a eliminação na Copa do Brasil, os cariocas só voltam a campo no próximo dia 5 de outubro, às 21h, numa sexta-feira (você não está vendo errado), pelo Brasileirão, frente ao próprio algoz da eliminação, o Corinthians. Já os tricolores viram a chave para a Copa Sul-Americana, onde visitam o Botafogo, nesta quarta-feira (3), às 21h45, pelo jogo de volta das oitavas de final. O duelo de ida foi vencido pelos baianos por 2 x 1.

Melhores Momentos

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1039 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.


 

365 Scores

 

Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo