É oficial! Léo Moura é do Botafogo-PB

Jogador é ídolo do Flamengo e teve boa passagem por outro nordestino, o Santa Cruz
Léo Moura Botafogo-PB

Depois de muita negociação e até vídeo nas redes sociais se associando ao clube, finalmente, o Botafogo-PB anunciou, oficialmente, o lateral direito Léo Moura. Assim, o anúncio foi feito pelo presidente do Belo, Sérgio Meira, em entrevista coletiva no CT do clube. Dessa forma, o experiente jogador é aguardado, em João Pessoa, até o próximo sábado (1/2), dia em que será apresentado. Logo, antes da próxima partida pela Copa do Nordeste contra o Confiança-SE, a torcida já poderá ver o atleta no campo, mas não para jogar. Pois, a previsão de estreia é no duelo contra o Náutico, também válido pelo Nordestão, no sábado (8/2).

https://www.instagram.com/p/B71VU6PgUZS/?utm_source=ig_web_copy_link

DETALHES DA NEGOCIAÇÃO

Desse modo, o presidente Sérgio Meira deu maiores detalhes das tratativas e pontuou fatores que atraíram Léo Moura a desembarcar na capital paraibana, como salários em dia, estrutura do clube e a reputação no cenário nordestino e brasileiro:

A credibilidade que o Botafogo-PB tem em todo o Brasil. Esse reflexo é muito grande ea história que nós temos trabalhado nos últimos anos. Ele também vem morar em uam cidade com qualidade de vida. Tudo isso pesou. Tenho certeza que, se fosse pesar pelo salário dos últimos anos, a gente não teria condições de fechar com ele. A segurança que nós passamos para ele de salário em dia, estrutura e o projeto pessoal dele de trazer a família, assim como futuros projetos que quer implantar no Nordeste, colaboraram. É um grande projeto e temos uma grande responsabilidade de trazer Léo Moura para cá” – afirmou Sérgio Meira.

Além disso, o vice-presidente de futebol, Ariano Wanderley, falou de como o lateral-direito chega ao Botafogo-PB após uma temporada em que pouco atuou pelo Grêmio, em apenas 23 jogos:

Ele estava fazendo treinos com um personal trainer e estava fazendo uma pré-temporada no Boavista. Continuou treinando e se cuidando desde o fim do Brasileirão do ano passado. Um jogador que se cuidou muito, nunca bebeu e nunca teve problema extracampo. É uma linha que nos motivou a procurar trazê-lo para cá” – disse Meira.

Assim, ele já chegou mandando recado nas redes sociais do Belo:

OBJETIVOS DO BOTAFOGO-PB

Com isso, Léo Moura, de 41 anos, chega com contrato até o final da Série C deste ano. Dessa maneira, se junta ao elenco do Belo que nessa temporada disputa além do Campeonato Paraibano, a Copa do Nordeste, a Copa do Brasil e buscará o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro. Pois, já são seis temporadas no inferno da terceira divisão do Brasil.

O nosso objetivo não é só ganhar as competições do primeiro semestre. Queremos, no segundo semestre, chegar à Série B. É o sonho de todos nós que fazemos o Botafogo-PB. Léo vem para nos ajudar nisso. Ele estava há três meses jogando uma semifinal de Libertadores. É um jogador que já empolga não só a torcida, mas nós da diretoria. Estamos na expectativa muito grande de ele começar a jogar” – finalizou Wanderley.

LÉO MOURA

Dessa forma, com passagens pelas categorias de base do Linhares e do Botafogo, antes mesmo de se profissionalizar, Léo Moura atuou no futebol da Bélgica e da Holanda até voltar à Estrela Solitária em 2001. No retorno, ele assumiu a titularidade da lateral direita, órfã desde a saída de César Prates. No entanto, no ano seguinte, ele se transferiu para o Vasco, onde teve bom entrosamento com a dupla Romário e Euller. Todavia, uma nova transferência de clube, dessa vez, para o Palmeiras fez o jogador fazer parte do elenco rebaixado à Série B em 2002. Algo que, anos depois, ele confessou ter se arrependido.

Após a queda com o Palmeiras, atuou por São Paulo, Fluminense e Braga, de Portugal, até retornar ao Brasil no Flamengo. E foi no Urubu que teve seus melhores momentos no futebol. Pelo Rubro-Negro carioca, foi cinco vezes campeão estadual e duas vezes da Copa do Brasil, 2006 e 2013. Além disso, conquistou o Campeonato Brasileiro de 2009, ao lado de Adriano e Petkovic. Assim, após mais de 500 jogos e 11 anos de clube, ele se despediu do Flamengo em 1 de março de 2015 contra o Botafogo, pela 7ª rodada do Brasileirão. No entanto, quase 50 mil torcedores viram a derrota da equipe no clássico por 1 x 0.

Fase pós-Flamengo

Tempos depois, a história de Léo Moura teria um capítulo agridoce quando o jogador acionou o clube na justiça cobrando encargos trabalhistas. Com isso, se transferiu para o Strikers, clube da MLS, e após para o Goa, da Índia. Dessa forma, a volta ao Brasil foi em 2016, em uma rápida passagem pelo Metropolitano, antes de desembarcar em Recife, no Santa Cruz. Pelo clube pernambucano, foi campeão do Nordeste e fez parte do elenco rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro. Sendo assim, as boas atuações pelo tricolor de Recife chamaram a atenção do técnico Renato Gaúcho e ele foi contratado para três temporadas no Grêmio.

Pela equipe gaúcha, conquistou quatro títulos, sendo o maior a Libertadores da América, em 2017, e atuou na final do Mundial de Clubes contra o Real Madrid de Cristiano Ronaldo. Agora, chega para ser o pilar técnico do Botafogo-PB. Além disso, em 2008, o lateral direito vestiu a camisa da Seleção Brasileira em uma única convocação contra a Irlanda, em um amistoso, substituindo Maicon, então da Inter de Milão. No prêmios individuais, entrou na seleção do Campeonato Brasileiro por quatro vezes (2006/07/08/09) e foi Bola de Prata, em 2007, todas pelo Flamengo.

Foto Destaque: Divulgação / Botafogo-PB 

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 277 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

BetWarrior

Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

Artigos Relacionados

Topo