DFB Pokal: a primeira mistura de futebol com cerveja na Alemanha

- Competição tem mais de 75 anos de história

A Copa da Alemanha é o torneio mais antigo do país. Realizado pela primeira em 1934, quase 30 anos mais velha que a Bundesliga, a competição é a mais democrática possível. Originalmente, seu nome é DFB Pokal (Deutscher Fussball Bund), traduzido ao pé da letra, Copa da Federação Alemã. Sendo assim, a coluna Quebrando Muros dessa semana navega pela história da segunda taça mais importante da terra da cerveja.

Leia Mais:

SANKT PAULI, O CLUBE REVOLUCIONÁRIO DO FUTEBOL MUNDIAL

O NAZISMO NA ALEMANHA E NOS CAMPOS DE FUTEBOL

CONHEÇA A PRIMEIRA TEMPORADA DA BUNDESLIGA

O início

Seu primeiro nome foi Tschammer Pokal, em homenagem ao ministro de esportes de Hitler, Hans Von Tschammer. No seu primeiro ano, participaram mais de 4.000(!) clubes. Dessa forma, qualquer clube de esquina já estava inscrito e jogou pelo menos uma partida naquele ano. O campeão foi o Nuremberg, após bater o Schalke 04, por 2 x 0, no Rheinstadion de Dusserdolf, que tinha um público de 55 mil pessoas. Assim, já se percebeu que o campeonato era um sucesso e teria vida longa.

No entanto, sua primeira parte durou apenas 10 anos. Pois, em 1944, devido a bombardeios na Alemanha, por causa da Segunda Guerra Mundial, houve uma paralisação no campeonato. Ele só voltou em 1952, já com seu nome de DFB Pokal. E o primeiro vencedor com esse novo nome foi o Rot Wiest Essen, que bateu o Alemannia Aachen, por 2 x 1, também em Dusserdolf. Aliás, o marcador do gol do título foi Helmut Hahn, o mesmo que abriu o placar na final da Copa do Mundo de 1954. Será que era decisivo?

Formato

Desde sua rebatização, o formato mudou nos detalhes, mas sua essência continuou. A primeira rodada contém 64 equipes, sendo as 18 da Bundesliga, outros 18 da segunda divisão (ambos da temporada anterior), os campeões e vices de terceira e quartas divisões. Além disso, os 21 campeões regionais da Alemanha participam e, para complementar, três equipes são escolhidas pela Associação Alemã de Futebol, que se baseia em estrutura, torcida e história na definição.

Nesta fase, os 40 times profissionais ficam em um pote, e os 24 armadores em outro. Todos nesse segundo pote têm a sede. Assim, os gigantes como Bayern de Munique podem ir a Cottbus, enfrentar o time da cidade e lotar o estádio, ainda dando um divertimento ao público, como ocorreu nessa temporada. Os times profissionais que sobram, costumam fazer confrontos interessantes, como Paderborn e Ingolsdadt, que os azuis venceram por 2 x 1, de virada, em 2018/19.

Todos os confrontos são definidos por sorteio (menos a final, obviamente), assim como data e local das partidas, a partir da segunda fase. Sempre em jogo único, hoje em dia, o empate gera pênalti. No entanto, até 1971, a indefinição gerava jogo extra, que em caso de um não-vencedor, haveria o sorteio. Em uma dessas o Werder Bremen passou pelo Aachen, em 1970. A decisão nos penais foi aderido apenas em 1972, como solução para o jogo extra. O Schalke 04 foi o primeiro a vencer uma disputa nesse formato, sobre o Colônia naquele ano.

Só a partir de 1978, os empates no jogo único acabaram em confrontos na cal. Na final da temporada 1982/83, Bayern de Munique e Borussia Monchengladbach decidiram o confronto assim, após 1 x 1, no tempo normal e os bávaros levaram a melhor, por 7 x 6. Esta foi a última partida de Matthaus nos Potros, que em seguida desembarcou em Munique, e gerou polêmica, pois o acusaram de ter jogado a final vendido.

Recordistas

A DFB Pokal tem como artilheiro Gerd Muller, com 75 gols em 11 temporadas, seguido por Dieter Muller (sem parentesco com o outro), que tem 48 gols marcados, logo após, vem Claudio Pizarro e seus 34 tentos. Já os jogadores que mais pisaram em campo pelo torneio são: Mirko Votava (75), Charly Kolbel (71) e Oliver Kahn (68). O goleiro ainda é o maior jogador campeão da competição, junto com Bastian Schweinsteiger, ambos têm seis títulos.

Mais de cinco técnicos dividem o posto de maiores campeões, todos eles com três taças. São eles: Thomas Schaaf, Ottmar Hitzfeld, Otto Rehhagel, Karl-Heinz Feldkamp, Udo Lattek e Hennes Weisweiler. O primeiro, somado a Jupp Heynckes e Louis Janda, venceram como jogadores, mas também, como comandantes. No comando do apito, Albert Shower e Gerhard Schulenberg foram árbitros por três finais.

O maior campeão é o Bayern de Munique, com 19 taças, tendo uma enorme vantagem ao Werder Bremen, que tem seis títulos, o Hamburgo e Eintracht Frankfurt fecham o top 3, com cinco conquistas. Além disso, há o maior vice campeão, é o MSV Duisburg, que perdeu a grande final por quatro vezes. Lembrando que, desde 1999/2000, o vencedor vai a fase grupos da Europa League. Caso o campeão já esteja em um torneio continental, a vaga fica para o segundo, se repetir a situação, o glorificado é o sétimo colocado da Bundesliga. Na última temporada, isso ocorreu quando oa bávaros e os Touros já estavam na Champions, assim as águias foram a UEL. 

Logicamente, a maior goleada da DFB Pokal teria de estar aqui. Em 1941, o Stuttgarter Kickers aplicou um sonoro 17 x 0 no Vfb 05 Knielingen. Edmund Conen e Albert Sing fizeram cinco gols e ainda teve Hans Walz fazendo hat trick. Outro time de Stuttgart também tem um jogo inusitado, mas pelo lado negativo. A vitória do VfbS por 2 x 1 sobre o Wehen Wehesbaden é a partida com mais cartões da competição: 16, destes, quatro foram vermelhos.

Jogos históricos

A rivalidade entre Bayern e Dortmund sempre foi forte, no entanto, ganhou mais força após uma final da Pokal. Em 2011-12, as duas equipes se encontraram no Estádio Olímpico de Berlim (local das finais desde 1985). Logo aos três’ Kuba aproveitou falha de Luís Gustavo para tocar a Kagawa, que abriu o placar. Não demorou muito para Robben empatar de pênalti. Weindefeller saiu aos 34′ para dar lugar ao jovem Langerak. Os bávaros fizeram forte pressão para aproveitar a inexperiência do arqueiro, mas os aurinegros foram sucintos. Hummels, de pênalti, e Lewandowski, em duas aulas de contra ataque garantiram vantagem. O polonês ainda fechou o placar aos 86′, em falha de Neuer. Antes disso, Ribery fez o segundo vermelho, em um golaço que deixou Schmelzer e Kehl no chão. Essa partida marcou toda uma geração de jovens torcedores.

Em 2001/02, o Bayer Leverkusen teve um grande time, mas que foi vice em todas as competições que disputou. Um dos grandes jogos daquela equipe foi a semifinal da DFB Pokal contra o Colônia. Após um primeiro tempo muito franco, Zellweger fez contra e abriu o placar para os Lowen. Os bodes pressionaram e no último minuto Song empatou. Assim, o jogo foi para a prorrogação (instaurada no torneio na década de 80). Berbatov deu lugar a Zivkovic, que aos 100′ fez o gol da virada. Com os visitantes atordoados Ballack armou grande jogada para Schneider fechar o jogo aos 114′. O Koln buscou o empate, no entanto, a expulsão de Donkov esfriou os planos e o B04 foi a final.

A TV e a Taça

Em 1954, a partida entre St. Pauli 4 x 3 Hamborn foi a primeira televisionada na competição. Dessa forma, desde a década de 90, a federação obriga que todas as partidas sejam transmitidas. Da mesma forma, os clubes também são obrigados a participar desde 1999, quando clubes da Bundesliga buscaram a desistência por achar que o campeonato apenas enchia o calendário. Apenas os segundos times que não participam para não ocorrer duelos entre as mesmas “equipes”.

O mais cobiçado do campeonato vale 100 mil euros, pesa 5,5 kg e tem 52 centímetros. Além disso, já é um velho de 65 anos, nascido em Colônia pelas mãos do ourives Wilhelm Nagel. Em seu atual formato, a última placa será colocada nessa temporada. Para a próxima será necessária a colocação de mais arco para os campeões. Anteriormente, não há muitas informações sobre o antigo troféu, apenas, que era mais pesado do que o atual. A partir da próxima terça (2), temos as oitavas de finais da competição e a definição do campeão será em 23/05. Claramente, você acompanha tudo aqui no Futebol na Veia.

A primeira transmissão na TV: o lendário St. Pauli derrotou o Hamborn por 4 a 3 em 1952
Propaganda da primeira transmissão de Tv da Copa da Alemanha (DW/Reprodução)
Guilherme Ribeiro

Sobre Guilherme Ribeiro

Guilherme Ribeiro já escreveu 348 posts nesse site..

Sou Guilherme Ribeiro, 20, paulista da região do ABC. Ler e escrever é um hobby, para o esporte que é a minha paixão.

365 Scores

BetWarrior


Guilherme Ribeiro
Guilherme Ribeiro
Sou Guilherme Ribeiro, 20, paulista da região do ABC. Ler e escrever é um hobby, para o esporte que é a minha paixão.

Artigos Relacionados

Topo