Derby d’Itália: polêmicas, decisões e muita rivalidade

- Os dois grandes nomes do futebol italiano recebe o nome do país no clássico
Derby D'Itália

A CalcioStoria está em semana de lembrar os grandes clássicos italianos. Sendo assim, hoje (23) é dia de falar do Derby d'Itália, entre Inter de Milão e Juventus. São mais de 100 anos de história, com mais de 50 títulos italianos e mais 10 europeus na galeria de troféus.

O começo e o nome

O primeiro confronto aconteceu em 1909, com uma vitória da Juventus por 2 x 0, em Turim pela Serie A italiana. Ali nasceu uma rivalidade que não envolve não só o campo e bola, mas também, arte, moda e indústria. Foi assim, que o jornalista Gianni Brera deu nome de Derby D'Itália ao confronto a essas equipes em 1965.

Mesmo não sendo da mesma cidade, Milão e Turim são as maiores cidades do estado da Lombardia. Muito se fala qual é a mais importante economicamente para o país, o que já fomenta uma rivalidade. Para melhorar, os dois times viviam brigando por taças desde os anos 1920. Sendo assim, os 140 km de distância entre os municípios se estendeu por todo o país e a disputa entre os dois times aflorou até pelo tamanho das torcidas. Dali, surgiu a ideia desse apelido que coube tão bem.

Estes são os maiores campeões italianos na história. Juventus 35 x 18 Inter em Serie A. 13 x 7 em Coppa Itália. Além disso, 8 x 5 na Supercopa. Dando total vantagem aos bianconeri. Assim como na história do confronto 111 x 77 e 61 empates. No entanto, no continente a vida é diferente. Os nerazzurri tem três Champions, Ligas Europa (antiga Taça Uefa) e Mundiais, enquanto o rival tem dois.

Um jogo que marcou a história

Apesar das maiores goleadas serem interistas. Incluindo dois 6 x 1, um 6 x 0, e a maior de todas o 10 x 0, nas décadas de 10 e 50. No entanto, foi um 9 x 1 que aumentou a rivalidade. Na temporada de 1960/61, a Juve liderava com os dois times de Milão atrás com quatro pontos de diferença. O Delle Alpi estava superlotado, e o time mandante vencia até uma invasão aglomerada de torcedores, que fez os azuis saírem de campo e a partida encerrada dando vitória por 2 x 0 a Inter. Devido a todos problemas causados pelo time de Turim.

A Velha Senhora entrou com um recurso na Federação Italiana, que TAMBÉM era presidida por Umberto Agnelli. Sendo assim, o recurso foi aceito e o jogo ocorreria novamente. Tudo isso, dois dias antes da rodada final em que as duas equipes dividiam a liderança com 46 pontos. Assim, a Internazionale perdeu dois pontos, além de perder o título após derrota para a Catania.

No dia 10 de junho, a bola rolou. Com Helenio Herrera mandando a campo um time cheio de reservas em forma de protesto. Sandro Mazzola, ainda menino, marcou o de honra nos minutos finais. Mas a estrela do jogo foi Omar Sivori, que esbanjava habilidade e marcou seis gols naquele dia. Sendo três em 16′ logo no início do jogo. Nicole, Mora e Riefolo, contra, ainda fecharam o placar. Para bianconeris, o jogo da glória efêmera para o outro lado, o jogo da vergonha. A partir dali, a rivalidade que já era grande, fica simplesmente enorme e encantadora.

Grandes jogos

O leque de jogos para colocarmos aqui é gigante. No entanto, vou citar dois nem tão conhecidos. Na temporada 1970/71, Herrera já havia passado seu bastão para Invernizzi, e o começo de temporada não foi tão boa para o time de Milão. Até que em meio a toda desconfiança um Derby d'Itália aconteceu. Corso pressionou e abriu o placar os nerazzurris. O atacante bianconeri Anastasi fez 10 gols na história do confronto. No entanto, parou na defesa azul, que viu aos 67′ Boninsegna marcar um golaço para fechar o placar. Aquele jogo ficou marcado pelo começo da arrancada da Inter para o sexto título na história, o quarto em 10 anos.

Pelas quartas de final da Coppa Itália 1991/92, o duelo ocorreu. Matthaus x Baggio, Kohler x Brehme, Antonio Conte, atual treinador da Inter, pelo lado juventino e outros craques em campo. Na ida, Di Canio fez o gol da partida aos 47′. Já na volta, no San Siro, muita tensão, cartões amarelos e grandes defesas de Zenga e Peruzzi. No entanto, aos 80′ Ciocci marcou de cabeça para levar o jogo para a prorrogação. Roberto Baggio, lesionado, saiu do banco para deixar o seu aos 99′. Nos minutos finais, Desideri foi expulso pelo lado azul. Então, a pressão juventina que já era enorme, se intensificou e o camisa 10 mostrou sua estrela, de carrinho, fechou o placar, deixando um silêncio estrondoso no estádio.

Polêmica?

 Em 1997/98, Del Piero fez para a Vecchia Signora o gol da partida. Até ali, tudo lindo. Só que ninguém saiu muito feliz. Faltando poucas rodadas para o fim da Serie A, os dois brigavam ferozmente pelo Scudetto e o resultado ajudou os bianconeri. O problema também ficou na arbitragem. A Inter, que era líder e veio a perder o título para o rival, até hoje reclama de dois pênaltis claros não marcados, um deles antes do contra ataque armado por Del Piero para marcar o gol da partida. Além disso, o camisa 10 também sofreu um pênalti naquele jogo, bem depois, de um não marcado para o lado adversário, o que gera ainda mais discussão.

Calciopoli

Todo torcedor desses times sabem o peso dessa polêmica para o Derby d'Itália. Além disso, não há quem conheça o futebol italiano e não conheça essa história. Em 2006, foi deflagrado um grande esquema de manipulação de resultados envolvendo diversos times, principalmente, Juventus, Milan, Lazio e Fiorentina. As denúncias iam desde escolhas de árbitros para as partidas até escalação de jogadores. A FIGC foi completamente desfigurada em meio ao tetra da Azzurra e teve dirigente banido do esporte.

Grampos telefônicos ilegais mostraram conversas entre os dirigentes para acertaram os detalhes da temporada 2004/05. O diretor Moggi, da Juventus, e Galliani, do Milan, foram os mais escutados e mesmo que suas equipes brigassem pelo título da temporada 2005/06, os dirigentes perderam qualquer apoio da torcida. No entanto, a Inter não passou imune pelo menos nas conversas. Os nomes de Moratti e Facchetti foram muito citados e indícios mostravam que os vazamentos dos áudios haviam sido bem calculados pelo presidente da TIM, que era acionista da equipe nerazzurri. No entanto, as sentenças ajudaram somente o lado azul de Milão.

O clube conquistou dois títulos, após perda de pontos dos seus rivais, e ainda viu a Juve ser rebaixada. Muitos dirigentes perderam o cargo, e o novo presidente da Federação Italiana era interista, Guido Rossi. Devido a pressa no fechamento do processo, toda a torcida juventina acredita na interferência externa do clube. Ainda mais com a frase diga por um árbitro nas escutas “os policiais não se interessavam pela Inter”, levantando uma suspeitada de que era normal os diretores do clube invadirem o vestiário da arbitragem para pedir mudanças na súmulas. Se existia algo para alimentar a rivalidade do Derby D'Itália, isso praticamente triplicou os ânimos.

Foto Destaque: Reprodução/Trivela.

Guilherme Ribeiro

Sobre Guilherme Ribeiro

Guilherme Ribeiro já escreveu 383 posts nesse site..

Sou Guilherme Ribeiro, 20, paulista da região do ABC. Ler e escrever é um hobby, para o esporte que é a minha paixão.

365 Scores

BetWarrior


Guilherme Ribeiro
Guilherme Ribeiro
Sou Guilherme Ribeiro, 20, paulista da região do ABC. Ler e escrever é um hobby, para o esporte que é a minha paixão.

Artigos Relacionados

Topo