Depois de vitória e assumir a liderança, por que o São Paulo ficou três anos sem ser líder?

Após triunfo no último domingo, o tricolor paulista chegou a liderança do BR, que não acontecia desde 2015
São Paulo 2018

Nesta temporada o São Paulo vem em crescente evolução, após eliminação no paulista e copa do Brasil, Diego Aguirre arrumou a defesa e deu uma “cara” ao time, que vem brigando lá em cima no campeonato brasileiro. Após a derrota do Flamengo no sábado, uma vitória daria a liderança para o time do Morumbi no domingo, o triunfo veio e assim o SPFC assumiu a primeira colocação, quebrando um tabu de três anos. Pra terminar o primeiro turno e garantir o título simbólico, o tricolor enfrenta o Sport em Recife e depois pega a Chapecoense em casa.

O São Paulo não era líder do Campeonato Brasileiro desde 13 de junho de 2015, porém após assumir a liderança, a equipe ficou as próximas quatro rodadas sem vencer, caindo para a oitava colocação e terminando o campeonato na quarta colocação.

Diego Aguirre, Técnico do São Paulo, durante o treino no CCT da Barra Funda, Zona Oeste da capital paulista.

Alguns motivos podem ser destacados para o São Paulo ter ficado tanto tempo sem ter alcançado a liderança do BR, fato é que um time do tamanho do São Paulo e que é hexa campeão da competição, teve muitos problemas desde 2014 e agora em 2018 parece estar voltando as suas épocas de brigas por títulos.

Hernanes com a camisa do São Paulo. Foto: Gazeta esportiva

Um motivo que era a falta de jogadores de qualidade, em certos momentos, muitos jogadores iam embora durante o andamento da temporada e a reposição nem sempre eram com a mesma qualidade.  Vale lembrar Hernanes no ano passado que saiu, em outros tempos pode se lembrar de Kaká, Pato, David Neres e outros.

Rogério Ceni e Osório no São Paulo. Foto: UOL

Mais um fator é a troca constante de treinadores, tendo uma mudança de ideias, formas de trabalho e formas de se pensar o futebol. Esse imediatismo fez com que os trabalhos no São Paulo fossem interrompidos no meio, muitas vez colocando os interinos pra trabalhar com a desconfiança da torcida. Nesse período de três anos, o tricolor do Morumbi teve seis treinadores, são eles: Dorival Júnior, Rogério Ceni, Osório, Bauza, Doriva, Ricardo Gomes e Muricy Ramalho, além de dois interinos, Milton Cruz e André Jardine.

O último fator e não menos importantes, é a diretoria, que teve muitos problemas em suas gestões, com muita polêmica, pedidos de saída de presidente, troca de diretores, vendas não muitas bem digeridas. A torcida protestou muito contra as gestões que vinham sendo feitas e ao que parece a chegada de Raí e Ricardo Rocha vem blindando o São Paulo, dando muita credibilidade.

Avatar

Sobre Marcus Vinícius de Morais

Marcus Vinícius de Morais já escreveu 45 posts nesse site..

Me chamo Marcus Vinícius de Morais, tenho 22 anos, paulista e apaixonado por essa cidade cinza. Sou formado em jornalismo pela Universidade Fiam Faam, amo futebol desde que me conheço por gente, pra mim o esporte mais emocionante que existe, acho que nascemos duas vezes na vida, quando saímos da barriga da mãe e quando descobrimos porque viemos ao mundo, eu descobri que é trabalhar com futebol. Torcedor, imparcial e fascinado por essa prática jornalistica que é passar a minha verdade e a verdade do futebol.Comentarista de web rádio, escritor, apresentador, muito bom humor e tenho o apelido de Poetinha, vem comigo e chama que vem.

Avatar
Marcus Vinícius de Morais
Me chamo Marcus Vinícius de Morais, tenho 22 anos, paulista e apaixonado por essa cidade cinza. Sou formado em jornalismo pela Universidade Fiam Faam, amo futebol desde que me conheço por gente, pra mim o esporte mais emocionante que existe, acho que nascemos duas vezes na vida, quando saímos da barriga da mãe e quando descobrimos porque viemos ao mundo, eu descobri que é trabalhar com futebol. Torcedor, imparcial e fascinado por essa prática jornalistica que é passar a minha verdade e a verdade do futebol.Comentarista de web rádio, escritor, apresentador, muito bom humor e tenho o apelido de Poetinha, vem comigo e chama que vem.

Artigos Relacionados

Topo