Da Colina a Les Gones: Juninho Pernambucano é Rei

Da Colina a Les Gones: Juninho Pernambucano é Rei

Já dizia o poeta Fiori Gigliotti: “Abrem-se as cortinas e começa o espetáculo”, porque o show d’uma carreira de muitas histórias, belezas e glórias começará. A nascente é Recife, a Colina um amor. Lyon a prometida, onde ao mundo encantou. Al-Gharafa é um brinde, New York o princípio do adeus. Volta para casa e não se cansa e o adulto volta ser criança, Rede Globo aqui estou eu.

JUNINHO – 43 anos

O berço é o lar onde damos os primeiros passos

Olhe só este menino que se encanta com a bola. Bate nela como poucos. Brasil é sua escola.
Oriundo de Recife, por futebol se apaixonou. E foi Sport Clube do Recife onde se profissionalizou.
Debutou em 11 de novembro de 1993, hora de mostrar qualidade e que pode ser um jogador de verdade.
Logo em 1994, tornou-se Campeão Pernambucano e da Copa do Nordeste. Eita Cabra da peste!
Duas temporada, 89 jogos, 27 gols e a mídia ressalta: “Olha, ele sabe bater falta!”

Da Colina a Les Gones: Juninho Pernambucano é Rei
Leonardo (esq.) e Juninho (dir.) atuando juntos pelo Sport | Imagem: Super Esportes PE

Expresso da glória: Reizinho da Colina

Juninho então virou destaque. Ídolo na Ilha do Retiro, tinha tudo para ser craque.
Em 1995, foi para o Vasco da Gama, ser um Gigante da Colina. Apenas 20 anos, quem é que não se fascina?
Garoto novo, inexperiente, teve dificuldade para se firmar. Mas o pernambucano sabia que sua hora ia chegar.
E em 1997 ela chegou! E Antônio Augusto Ribeiro Reis Júnior, vingou!
Com inteligência, técnica e espírito de liderança, Juninho Pernambucano virou esperança.
Marcando gols, dando assistências, cobrando faltas e sendo decisivo, levando o torcedor cruz-maltino ao deleite.
Quem não se lembra do “Monumental” gol de Juninho na semifinal da Libertadores contra o River Plate?
Se fosse hoje, seria meme. No passado, virou canção. A camisa 19 entrou para a história da cruz-maltina nação.

“Vou torcer pro Vasco ser campeão. São Januário, meu caldeirão!
Vasco, a tua glória e a tua história é relembrar, o “expresso da vitória”!
Contra o River Plate, sensacional (gol de quem?)
Gol do Juninho, MONUMENTAL!!!”

E os cariocas se rendem ao craque. Um gol que entrou para a história, assim como Juninho.
Pegaram a coroa e o fizeram rei. Ou reizinho. O importante é que seus feitos eu sei.
Guardados na memória os 400 jogos e 80 gols. Além de dois Campeonatos Brasileiros (1997 e 2000).
Foi Carioca (1998), Guanabara (1998 e 2000), Rio (1998 e 2000), Rio-São Paulo (1999) e Mercosul (2000).
Copa Libertadores da América de 1998, esse foi o maior sonho do mundo.
Nem Romário, nem Bebeto, Ademir de Menezes, Dinamite ou Edmundo.

Da Colina a Les Gones: Juninho Pernambucano é Rei
(Foto: AFP)

Les Gones: a França é seu reino e Lyon seu castelo

O treinador  Jacques Santini, do Lyon, então pede sua contratação. De cara foi da Ligue 1 campeão.
Bicampeão! Tri… Tetra… Penta… Hexa… Hepta! A França parou. Lyon era uma festa.
Apelido de rei cabe perfeitamente. Seu reinado foi extenso e admirado.
Também foram seis Supercopas (2002 a 2007) e uma Coupe de France (2008).
A única frustração, foi não conquistar uma Champions League ou a Copa do Mundo de 2006.
344 jogos, 100 gols, 44 deles de falta e se tornou o maior ídolo da história do Lyon.
E não existe jogador com mais títulos franceses que ele.
Líder, capitão e decisivo. Carimbou seu nome na França como maior jogador do século XXI no país!
Antes dele “não havia” história. Pós-Juninho, “ainda não há”.

Da Colina a Les Gones: Juninho Pernambucano é Rei
Foto: GOAL.com

Seleção Brasileira, Al-Gharafa, New York e volta ao Vasco

Ganhou uma Copa das Confederações, em 2005, com a Seleção Brasileira. 40 jogos, 10 gols.
Fez parte dos time galático que não venceu a Copa do Mundo de 2006:
Dida, Cafú, Lúcio, Roberto Carlos, Zé Roberto, Kaká, Ronaldinho, Adriano, Ronaldo, Robinho…
No Al-Gharafa, ganhou 3 Copas e um Campeonato Catariano. 77 jogos, 10 gols.
Voltou ao Vasco jogando bem, levando o time a sonhar com títulos.
Mas a “Era de Ouro” fora no final dos anos 90. 96 jogos e 21 gols nas duas últimas passagens.
Entre elas, passou em pelo New York Red Bulls, onde conquistou Thierry Henry.
O astro francês soltou: “De longe, ele é o maior cobrador de faltas da história”.
O italiano Andrea Pirlo, considerado um exímio cobrador de faltas, cita Juninho em sua auto-biografia:

“Eu sou italiano, mas também sou em parte brasileiro. Podem até me chamar de Pirlinho. Quando eu bato faltas, penso em português”, Pirlo colecionou DVD’S do brasileiro cobrando falta para se aperfeiçoar. O mito das faltas parou de jogar, mas não abandonou o futebol. É comentarista da maior emissora de televisão do país. Esse cara não cansa de ser GIGANTE!

Da Colina a Les Gones: Juninho Pernambucano é Rei
Reprodução
Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1077 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.


 

365 Scores

 

Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 25 anos, jornalista de formação e apaixonado por futebol.Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, sou Peixe, sou Palestra e sou Timão. Sou da Colina, Botafogo, sou Flu e sou do Mengão. Sou Brasil, sou Hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 a 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões, sou Clássico das Multidões. Sou sul, sou nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, sou Raposa, sou Bavi e sou Grenal. Sou Ásia, sou África, sou Barça e sou Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia, sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo