A crise do futebol carioca

Por Mônica Alvernaz
Novamente com um clube rebaixado, futebol carioca vive momento delicado

Chegou ao fim ontem (06/12) o Campeonato Brasileiro 2015, que consagrou o Corinthians campeão e rebaixou Avaí, Vasco, Goiás e Joinville. Com ele, mais uma temporada do futebol brasileiro se encerra evidenciando novamente a crise que vive o futebol carioca.

Pelo segundo ano consecutivo, o estado terá novamente apenas 3 representantes na primeira divisão do campeonato nacional. Em 2014, com o rebaixamento do Botafogo, o clube ficou apenas com três representantes na elite do futebol brasileiro. O alvinegro disputou a série B, foi campeão e retornará a primeira divisão no próximo ano. Seria motivo de comemoração para o futebol do Rio, não fosse o rebaixamento de outro clube carioca. Pela terceira vez em 8 anos o Vasco ficou entre os 4 últimos e disputará a série B 2016.

Aos que não foram rebaixados, o ano passou longe de ter um bom resultado. A dupla Fla x Flu ficou longe de conquistas e almejaram o G4 do Brasileirão apenas por um período curto de tempo, sem sucesso para ambos. O clube de melhor colocação no campeonato, o Flamengo, terminou apenas em 12º lugar, sendo seguido pelo Fluminense, na 13ª colocação, o que está longe de ser razão de comemoração de suas diretorias e torcidas.

Tornando ainda mais evidente a crise que o futebol vive, o racha entre os 4 grandes do estado promete mudanças relevantes para o próximo ano. O estadual 2016 não contará com as equipes titulares da dupla Fla x Flu, que enviará o time de base para a disputa e estará com a equipe principal no torneio Sul-Minas. Esse torneio foi criado em meio aos desentendimentos da dupla com a federação local (FERJ), que contou com apoio apenas de Vasco e Botafogo para disputa do carioca 2016.

As duas últimas temporadas foram marcadas por desempenhos pífios e ausência de títulos de expressão pelos 4 grandes clubes do Rio. O conflito de interesses entre dirigentes cariocas e federações gera um desgaste que resulta diretamente nos resultados obtidos pelos clubes gerando uma única vítima: o futebol carioca. As mudanças são essenciais para épocas áureas possam ser novamente parte da rotina dos clubes cariocas e suas torcidas voltem a ter motivos para comemorar.

*Texto publicado originalmente no Futebol Latino em 07/12/2015.

Avatar

Sobre Mônica Alvernaz

Mônica Alvernaz já escreveu 3 posts nesse site..

Carioca de 27 anos, engenheira de produção e estudante de Jornalismo na FIAM-FAAM. Apaixonada por futebol, hoje atuo como colaboradora no Futebol na Veia e no Futebol Latino, escrevendo sobre temas e clubes diversos, mas sempre com um ponto em comum em todos eles: a paixão por esse esporte que corre na veia e está presente em cada palavra escrita.


 

365 Scores

 

Avatar
Mônica Alvernaz
Carioca de 27 anos, engenheira de produção e estudante de Jornalismo na FIAM-FAAM. Apaixonada por futebol, hoje atuo como colaboradora no Futebol na Veia e no Futebol Latino, escrevendo sobre temas e clubes diversos, mas sempre com um ponto em comum em todos eles: a paixão por esse esporte que corre na veia e está presente em cada palavra escrita.

Artigos Relacionados

Topo