Corinthians x Palmeiras: o que o Palmeiras ainda não aprendeu sobre o Derby

Neste domingo (13) Corinthians e Palmeiras protagonizaram mais um Derby Paulista, só que dessa vez, sem polemicas
Corinthians x Palmeiras: o que o Palmeiras ainda não aprendeu sobre o Derby

Na Arena Corinthians, em São Paulo, os rivais paulistas Corinthians e Palmeiras se enfrentaram em jogo válido pela 5° rodada do Campeonato Brasileiro de 2018. Os times se encontraram pela primeira vez depois da final do Paulistão. O time da casa venceu os visitantes.

1° Tempo

Foto: Reprodução/ Veja

O jogo, apesar de equilibrado, contou com mais ataques do clube alvinegro ao gol de Jailson, que fez ótimas defesas durante a partida. Mas a torcida palmeirense parece viver um looping de terror em jogos contra o Corinthians.

O Palmeiras até tentou, mas a bola parou nas traves de Cássio. O Alviverde paulista, apesar da boa sequência, não conseguiu encontrar o jogador matador, capaz de acabar com o jogo e golear o adversário. A história de amor e ódio dos torcedores com o colombiano Borja ganhou um novo capítulo, já que ele foi a contratação mais cara do clube e veio para marcar gols, e mais uma vez, não o fez no clássico.

Pedrinho deu início à jogada que passou por Sidcley e Jadson, chegando à Rodriguinho para finalizar e marcar o único gol da partida.  O meia já estava sozinho dentro da pequena área, sem ninguém para marcar, e sem acompanhamento, ficou fácil para colocar a bola na rede aos 38 do primeiro tempo.

2° Tempo

Foto: Reprodução/ Globo.com

O segundo tempo seguiu o escopo do primeiro. Um jogo de dois lados, com ataques e defesas dos dois times, um pouco mais morno que a primeira etapa. Mais uma vez as traves de Cássio barraram o ataque palmeirense.

O clima esquentou quando o atacante Romero aproveitou que estava ganhando o jogo e provocou os adversários fazendo a “foquinha” com a bola. Os jogadores do Palmeiras não gostaram muito da atitude do paraguaio. Lembrando que há algum tempo o atleta foi fazer uma matéria para o Globo Esporte e não conseguiu dominar a bola, parece que ele aprendeu.

O meia Bruno Henrique ficou irritado com a atitude do rival e desabafou. “Isso não é futebol, é desrespeito. Se você faz uma jogada, vai para cima de forma objetiva, é normal. O que ele fez não é uma coisa sadia, porque somos jogadores e acho que foi desrespeito. Por isso todos foram para cima dele ali. Xinguei ele para caramba porque estava nervoso na hora e falei bastante besteira para ele”.(Citação: Globo.com).

Fora isso o jogo terminou sem maiores polemicas.

Análise

O time do Corinthians tem o estilo de jogo que é a cara do Carille. Porém, segue sem novidades. O Palmeiras dificilmente vence o rival nos últimos anos. Isso é preocupante, porque parece que o clube alviverde não aprendeu ainda a segurar o adversário.

O Palmeiras, mais uma vez, tomou um gol do Rodriguinho após desconsertar a zaga. Essa jogada, entretanto, vem se repetindo, e inclusive, foi a jogada realizada pelos alvinegros na final do Paulista, onde eles fizeram um gol aos 2 minutos do primeiro tempo, e depois do gol, se fecharam e conduziram o jogo. E é isso que o Palmeiras não aprendeu.

Lucas Lima ainda não mostrou para o que veio no Palmeiras, tanto é que estava perdendo espaço para Moisés, que se machucou no jogo contra o Atlético Paranaense. Do outro lado, Romero, que vinha de uma seca de gols, marcou duas vezes na Copa do Brasil, na vitória contra o Vitória, na última quarta.

Com esse resultado, portanto, o Corinthians passa a ter 10 pontos, empatado com o líder Flamengo, e ocupa a 2° posição. Enquanto o Palmeiras caiu para 5° colocação.

Valéria Contado

Sobre Valéria Contado

Valéria Contado já escreveu 132 posts nesse site..

Eu sou a Val Contado, quase jornalista há 3 anos, apaixonada por futebol há 22, desde quando meu pai colocou em mim o uniforme do nosso time do coração. Adepta da arte da resenha, falar e respirar futebol é o que eu mais gosto de fazer.

Forza Football

 

Rivalo Apostas Esportivas
Valéria Contado
Valéria Contado
Eu sou a Val Contado, quase jornalista há 3 anos, apaixonada por futebol há 22, desde quando meu pai colocou em mim o uniforme do nosso time do coração. Adepta da arte da resenha, falar e respirar futebol é o que eu mais gosto de fazer.

Artigos Relacionados

Topo