Conheça os 6 brasileiros que atuam no Uruguai

Plaza Colonia, Boston River, Fénix e Cerro abrigam os brazucas no paisito
Conheça os seis brasileros que atuam no Uruguai

Desclausurando o Uruguaio é uma coluna semanal com o intuito de explorar histórias, curiosidades e tudo o que envolve o futebol bicampeão mundial. Por certo, o tema dessa semana será sobre os seis brasileiros que atuam no Uruguai. Historicamente o mercado sul-americano não é o principal destino dos brazucas. Muitos deles se aventuram na Europa, Ásia e até mesmo no mundo árabe. Entretanto, toda regra tem a sua exceção…

LEIA MAIS:

LÉO COELHO E RONALDO CONCEIÇÃO – FÉNIX

Uruguai

Coelho (esquerda) e Conceição (direita) atuando pelo Fénix

Ronaldo Conceição Silveira é um velho conhecido dos hinchas charruas. O zagueiro de 32 anos, natural de Capão da Canoa-RS, possui uma vasta experiência no Uruguai. Desde março de 2019 no Fénix, Ronaldo iniciou sua carreira profissional em 2008, no Bento Gonçalves-RS. Na sequência passou pelo Cerâmica-RS e um ano depois foi adquirido pelo tradicional Nacional-URU, mas ficou pouco por lá. Afinal o xerifão seguiu sentido River Plate-URU, onde disputou 17 jogos e despertou o interesse do Internacional-RS.

Contudo, Ronaldo Conceição atuou só uma vez na equipe principal, sendo remanejado para o time B. Depois disso, foi emprestado ao Naútico-PE, São José-RS, El Tanque Sisley-URU e voltou ao River. Nesse retorno o atleta fez 22 boas partidas pela equipe Darsenera, até que em 2016 acertou a sua mudança para o Peñarol. Essa transferência fez com que Ronaldo se tornasse um dos poucos a vestir a camisa dos dois arquirrivais. Por fim, ainda em 2016, rumou ao Atlético Mineiro e dois anos depois acertou com o Real Sport, clube da sua cidade natal. Atualmente o gaúcho acumula 390 minutos em campo, 5 jogos e nenhum gol marcado no Uruguai.

Diferentemente de seu companheiro nos Albivioletas, Leonardo Henriques Coelho dá os seus primeiros passos no paisito. De origem carioca, o zagueiro de 26 anos não começou a sua carreira profissional na Cidade Maravilhosa. Em 2015 seguiu para São Paulo, onde assinou com a equipe do Penapolense. No mesmo ano, Léo foi emprestado ao Paraná Clube, mas ficou pouco, acertou o retorno para o interior paulista e fechou com o Rio Claro.

Decerto, a passagem pelos rioclarenses lhe rendeu bons frutos, afinal o atleta despertou interesse do tradicional Santos. Com intuito de lapidar o talento de Leonardo Coelho, a equipe alvinegra colocou o atleta no time B. Entretanto, o zagueiro não agradou e foi dispensado da Vila Belmiro. Posteriormente, ele voltou à Penápolis e depois passou pela Portuguesa-SP, Comercial-SP até enfim desembarcar no Fénix em 2019. Desde então vestiu a camisa Albivioleta em apenas cinco oportunidades e ainda não balançou as redes.

LEONAI E DIOGO – PLAZA COLONIA

Leonai com a camisa do Plaza (direita) e Diogo quando atuava no Brasil-RS (esquerda)

Incorporado ao elenco Patablanca em janeiro de 2020, Leonai Souza de Almeida, meia de 24 anos, ainda está desbravando o futebol profissional. A saber, Leonai assinou o seu primeiro contrato em 2017, junto ao Taquaritinga-SP. Um ano depois acertou sua transferência para o Comercial de Ribeirão Preto-SP. Por lá atuou 36 vezes, marcou um gol e despertou o interesse do Plaza Colonia. Diogo de Oliveira, atacante de apenas 23 anos, também se profissionalizou em 2017, mas no Elosport-SP. No mesmo ano ganhou a oportunidade de atuar pelo sub-23 do Vasco da Gama. Ademais, Diogo teve uma breve passagem pelo cruzmaltino, e seguiu para o Independente de Limeira-SP e depois Francana-SP. Sem dúvida, atacante se destacou em Franca, com quatro gols em 19 jogos, e assinou com o Plaza em janeiro de 2020.

WEVERTON – BOSTON RIVER

Weverton com as cores do Cuiabá (Reprodução/oGol)

Dando prosseguimento na lista temos mais um defensor: Weverton da Silva Jacinto zagueiro de 26 anos. Natural de Serra-ES, o atleta deu o pontapé incial de sua carreira em 2012 no Holanda-AM. Weverton ficou por cinco anos no futebol amazonense, alternando entre Rio Negro, Fast Clube e Princesa do Solimões. Depois disso, o atual companheiro de Sebastián Loco Abreu, assinou com o Fortaleza-CE. Com a camisa tricolor atuou apenas quatro vezes, e rumou para o Cuiabá, onde fez quatro gols em 11 jogos. Mesmo com esses números, no ano seguinte, 2019, Weverton passou por Brusque-SC, Sergipe-SE e Cianorte-PR. Atuando no futebol sulista, o jogador recebeu a proposta para atuar no Boston River, sua atual equipe.

FELIPE KLEIN – CERRO

Felipe Klein treinando junto ao plantel do Cerro (Reprodução/UOL)

Natural de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Felipe Ely Klein nasceu em 9 de abril de 1987. Proveniente das categorias de base do Internacional, Felipe se profissionalizou no Novo Hamburgo-RS, em 2006, mas retornou à base do Anilado. Somente em 2008, defendendo as cores do Porto Alegre FC, Felipe profissionalizou-se de vez. Posteriormente atuou pelo Ulbra-RS, Ypiranga-RS e Ferroviário-CE. Após a passagem pelos cearenses, o camisa 8 partiu para o Ahli Sidab, do Omã.

Do mesmo modo, voltou ao Brasil, para atuar no Fortaleza-CE, mas logo rescindiu seu contrato. Rumando, pela primeira vez, ao Uruguai, e assinou com o Cerro Largo em 2011. Três anos depois, 2014, Felipe Klein regressou ao seu país-natal, com a missão de atuar pelo Icasa-CE. Por fim, em 2015, retornou ao futebol uruguaio, dessa vez pelo Club Atlético Cerro, onde permanece até hoje.

Foto destaque: Reprodução/Internet

Luciano Massi

Sobre Luciano Massi

Luciano Massi já escreveu 265 posts nesse site..

Me chamo Luciano Massi, tenho 20 anos, sou paulistano. Estou no 6º semestre do curso de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Desde criança fanático pelo futebol dentro e fora das quatro linhas, histórias que vão além do esporte. Produzo o Derbicast, podcast voltado ao futebol alternativo, dando enfâse aos esquecidos. Entretanto, nunca me dei bem com a bola...

BetWarrior


Luciano Massi
Luciano Massi
Me chamo Luciano Massi, tenho 20 anos, sou paulistano. Estou no 6º semestre do curso de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Desde criança fanático pelo futebol dentro e fora das quatro linhas, histórias que vão além do esporte. Produzo o Derbicast, podcast voltado ao futebol alternativo, dando enfâse aos esquecidos. Entretanto, nunca me dei bem com a bola...

Artigos Relacionados

Topo