Com empates, América-MG, Boa Esporte-MG e Botafogo-RJ se classificam na Copa do Brasil

Jogando como visitantes, equipes asseguram empates e estão classificados para próxima fase; América é único que já conhece adversário

Uma quarta-feira (6), recheada de emoções em campos do país. Equipes estrearam pela Copa do Brasil 2020, que já conheceu alguns classificados para a próxima fase. No estádio Centenário, em Caxias do Sul, o Botafogo despachou o Caxias após 1×1 no placar. Em Macapá, o América acabou com as chances do Santos-AP e também eliminou o rival. Já no Estádio Portal da Amazônia, em Vilhena-RO, o Boa Esporte assegurou a igualdade até o final da partida e com sofrimento também conseguiu a vaga diante o Vilhenense.

Assim, as equipes aguardam o desfecho dos classificados para organizarem a próxima batalha. Além disso, asseguraram a cota de R$650 mil reais pela classificação. Posteriormente, o América já tem adversário definido: a equipe enfrenta o Operário-PR, que venceu o Barbalha por 3×0. O Boa Esporte espera o vencedor de Cruzeiro e São Raimundo, já o Botafogo pega o vencedor de Toledo ou Náutico.

COPA DO BRASIL – PRIMEIRA FASE

CAXIAS-RS 1×1 BOTAFOGO-RJ

O Caxias iniciou bem a partida, tomando a iniciativa desde o apito do juiz. Mas, mesmo com a posse de bola e as jogadas, Pedro Raul marcou de cabeça numa jogada de bola parada do Botafogo e deu um banho de água fria nos jogadores e torcedores. Posteriormente, o Caxias acordou e o empate veio rápido. Em belo chute de Carlos Alberto, a equipe do Rio Grande do Sul empatou o duelo. Mas, depois disso, acomodou e acabou sofrendo na defesa.

Ainda no primeiro tempo, um pênalti não marcado gerou muita discussão entre os jogadores do Caxias e a comissão de arbitragem. Em cruzamento de Gilmar, a bola bateu no braço de Marcelo Benevenuto dentro da área. Para o comentarista Sandro Meira Ricci, da TV Globo, a penalidade foi clara e deveria ter sido marcada. No fim do jogo, o árbitro foi agredido com uma joelhada por um membro da comissão técnica do Caxias.

VILHENA-RO 1×1 BOA ESPORTE-MG

Jogado diante a torcida, o Vilhenense pressionou o Boa no início de jogo, trocando passes rápidos e chegando com muito perigo ao gol da equipe mineira. Precisando apenas do empate para se classificar, o Boa Esporte soube assustar o goleiro Gil e quando acelerou, conseguiu marcar com Gindre. Depois disso, o Vilhenense passou a tentar ligações direta, mas, não teve sucesso.

Na segunda etapa, com mudanças, Vilhenense apostou em Ximba e Yan. Posteriormente, os jogadores fizeram a diferença em campo e ajudaram a equipe a igualar o placar. O camisa 10, Ariel, empatou a partida aos 28 minutos. Com isso, o Boa voltou a pressionar e teve um gol anulado, depois que o árbitro assinalou toque de mão do camisa 16. Edilsinho foi chamado pelo técnico Tiago Batizoco e a torcida vibrou com a entrada do jogador, que conseguiu ter boas finalizações e quase aumentou o placar a favor do Vilhenense. O time da casa ainda tentou fazer o segundo gol, mas, o Boa Esporte conseguiu se defender e garantir a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil.

“O campo não ajuda em nada, mas, não é justificativa pela qualidade. Tivemos um pouco de pressão no final do jogo. Mas, agora é vibrar a classificação”, disse o técnico Nedo Xavier.

SANTOS-AP 1×1 AMÉRICA-MG

Com menos de 30 segundos, os donos da casa chegaram pela primeira vez. E foi só. A partir daí, somente o América jogou. Com o trio Rodolfo, Felipe Augusto e Ademir infernizando a zaga do alvinegro, porém sem tanta pontaria, o América ameaçou durante todo primeiro tempo. Aos 16 minutos o placar foi aberto. Posteriormente, após bom lançamento para Rodolfo, que limpou do goleiro e bateu firme. O Santos tentou esboçar reação, mas o América voltou a tomar as rédeas da partida. A equipe mineira desperdiçou várias chances de ampliar, algumas pararam nas mãos do goleiro Rubens.

Na segunda etapa, o peixe apostou na experiência de Jean Marabaixo, de 42 anos, no ataque. Até tentou, mas não funcionou. O time amapaense manteve a bola na frente, experimentou lançamentos diretos, mas pecou na falta de entrosamento. Assim, sem ter o que fazer, partiu para a raça e acabou se expondo aos contra-ataques, muitos deles não aproveitados pelo América. No abafa, o empate saiu aos 35 depois de bonita finalização de Diego MacLaren. O Santos-AP se animou, foi para cima, mas o América segurou a pressão e saiu com a classificação para alívio de Lisca Doido, que fazia sua estreia na equipe mineira.

“Um jogo extremamente difícil. Eles complicaram no segundo tempo com as bolas longas com ajuda do vento. Mas a nossa equipe suportou bem. Conseguimos nosso objetivo que era passar de fase. Graças à Deus nossa equipe lutou até o final. Cabeça erguida, corrigir os erros e não passar por isso na próxima fase”, disse Rodolfo, autor do gol do Coelho.

Foto destaque: Vitor Silva/Botafogo

Avatar

Sobre Iago Almeida

Iago Almeida já escreveu 202 posts nesse site..

Iago de Almeida Silva, mineiro, nascido em Seritinga, interior de Minas Gerais, e residente em Varginha, também em Minas, 25 anos. Cursando o 7° período de jornalismo no Centro Universitário do Sul de Minas - UNIS. "Desde criança sou vidrado pela área da comunicação. Estou me apaixonando a cada dia mais pelo Jornalismo Esportivo. Uma frase que me motiva: "O futuro não se encaixa nos contentores do passado" - Rishad Tobaccowala".

BetWarrior


Avatar
Iago Almeida
Iago de Almeida Silva, mineiro, nascido em Seritinga, interior de Minas Gerais, e residente em Varginha, também em Minas, 25 anos. Cursando o 7° período de jornalismo no Centro Universitário do Sul de Minas - UNIS. "Desde criança sou vidrado pela área da comunicação. Estou me apaixonando a cada dia mais pelo Jornalismo Esportivo. Uma frase que me motiva: "O futuro não se encaixa nos contentores do passado" - Rishad Tobaccowala".

Artigos Relacionados

Topo