Com certa dificuldade, Brasil goleia Bolívia na estreia da Copa América

Coutinho fez dois gols para ajudar a Seleção

O Brasil enfrentou a Bolívia no jogo de estreia da Copa América 2019. O duelo foi realizado no Morumbi, em São Paulo, e trouxe vários sentimentos para todos os envolvidos. A esperança de um gol cedo, foi se transformando em nervosismo, que resultou em raiva até o intervalo. Depois disso, veio o alívio e no fim, a festa dos brasileiros com o bom resultado.

1º Tempo

Os primeiros 20 minutos de partida, foi com o Brasil pressionando e atacando o rival. Aos 5′, o time teve a melhor chance da etapa, após o cruzamento na área e o chute de Firmino, nas mão de Carlos Lampe. Aos 10′, foi a vez de Thiago Silva aproveitar outro cruzamento e jogar para fora. A partir daí as chances surgiram, graças ao apoio dos laterais que subiam a todo instante para o ataque, porém esbarravam na defensiva, que estava bem armada. No fim, o 0 x 0 permaneceu e as vaias da torcida foram o maior som que se ouvia.

2º Tempo

Depois de choque com a torcida nada feliz, o time brasileiro voltou atacando mais, e aos dois minutos, o VAR acusou toque mão de Jusino dentro da área, Nestor Pitana concordou e apontou a penalidade. Coutinho bateu bem e colocou o Brasil na frente. Assim, o time acordou de vez e no minuto seguinte, em boa jogada pela direita, Coutinho apareceu livre para cabecear e fazer mais um. A partir daí o jogo esfriou novamente, com a Canarinho esbarrando na muralha boliviana. Até que aos 39 minutos, Everton Cebolinha, que tinha acabado de entrar, avançou para o campo central e arriscou, colocando no ângulo do goleiro para fazer o terceiro e encerrar o duelo com chave de ouro.

E Agora?

Dessa forma, o Brasil abre a competição com três pontos e a Bolívia sem nada, apostando todas suas fichas nas partidas seguintes. A seleção da casa, entra em campo novamente na próxima terça-feira (18), para encarar a Venezuela, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Já os bolivianos jogam contra o Peru, no mesmo dia, porém no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Melhores Momentos

Ruan Silva

Sobre Ruan Silva

Ruan Silva já escreveu 799 posts nesse site..

Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.


Que tal assistir a final da Libertadores no Chile? Cadastre-se e concorra:

Rexona


Forza Football

 

Ruan Silva
Ruan Silva
Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.

Artigos Relacionados

Topo