Colômbia vence Argentina na estreia da Copa América

Os Cafeteros não batiam a Albiceleste há 12 anos
Argentina

O público vendo sendo destaque nesta Copa América. Isso porque o ensurdecedor silêncio da plateia, a qual presenciou a estreia da Seleção Brasileira, gritou aos ouvidos de quem está habituado com os sons da arquibancada, ao passo que o baixíssimo público presente na Arena do Grêmio para acompanhar Venezuela e Peru (foram apenas 13.370 espectadores) foi incapaz de produzir qualquer ruído. Esse cenário apático não foi exibido neste sábado (15), na Arena Fonte Nova, onde o caloroso povo baiano revelou-se diferente da frieza demostrada por paulistas de gaúchos. Assim, a partida entre as Seleções Argentina e Colombiana foi a primeira a ocorrer um ambiente tipicamente futebolístico. Entretanto, dentro das quatro linhas, o gramado do estádio não foi motivo de críticas por parte dos protagonistas:

“Primeiro, gostaria de fazer um comentário: é lamentável o estado do campo, principalmente depois do segundo tempo. Imaginem na segunda e terceira partida que tivermos aqui… Deixou muito a desejar para ter uma boa partida de futebol, afirmou Lionel Scaloni, técnico da Argentina. 

Estava um pouco ruim, e para uma Copa deveria estar melhor“, opinou James Rodríguez.

Ao final do confronto, que colocava frente a frente dois potenciais candidatos ao título da competição, os Cafeteros derrotaram a Albiceleste pelo placar de 2 x 0, o qual foi construído por atletas vindos do banco de suplentes. Desse modo, Roger Martínez, do América do México, e Duván Zapata, da Atalanta, foram os artilheiros da noite. Além disso, a Colômbia encerrou um longo jejum de 12 anos sem vitória sobre a Argentina, que não era derrotada na estreia da Copa América há 40 anos, quando foi batida, na edição de 1979, pela Bolívia pelo mesmo resultado.

1º TEMPO

Scaloni, como adiantado durante a coletiva de imprensa concedida no dia anterior a partida, escalou a Seleção da Argentina em um 4-3-3, onde Messi, Agüero e Di María eram os componentes do trio ofensivo. Por outro lado, o português Carlos Queiroz, comandante da Seleção da Colômbia, divulgou os titulares horas ante do embate, nos quais destacavam-se a presença de James Rodríguez, Juan Cuadrado e Falcão García. Dessa maneira, com a presença de ambos os camisas 10 confirmadas, a torcida presente foi ao delírio quando os canhotos realizaram suas primeiras aparições. Aos 3′, Messi recebeu lançamento e dominou com imensa tranquilidade causando imenso alvoroço, que também pode ser observado e ouvido no momento em que James, dois minutos mais tarde, chapelou com maestria o zagueiro Nicolás Otamendi.

Ambos os conjuntos jogaram um futebol aquém de suas capacidades no decorrer da etapa inicial. Contudo, os colombianos obtiveram ligeira superioridade, visto que, sob a perspectiva defensiva, conseguiram neutralizar as ações de Messi, de quem os argentinos são extremamente dependentes. Já no momento ofensivo, a meta de Franco Armani foi rondada em três ocasiões, onde um jogador se fez presente em duas: Roger Martínez. O atacante entrou na vaga de Luis Muriel, que precisou ser substituído logo aos 13′, e deu trabalho ao sistema defensivo rival.

2º TEMPO

Porém, o marasmo da primeira etapa ficou nos vestiários, assim como o apagadíssimo Di María. Logo no minuto inicial, Leandro Paredes arriscou uma bomba da intermediária que assustou David Ospina. Aos 9′, Messi tabelou com Agüero, canetou Davinson Sánchez e invadiu a área. Mas, a boa leitura de jogo do volante Wilmar Barrios, impediu a finalização do gênio. Melhor na partida, o time argentino trouxe perigo novamente ao arco adversário aos 13′. Assim, Paredes, finalizou firme, exigindo boa defesa de Ospina, que espalmou a bola. Então, a redonda caiu nos pés do camisa 10 Albiceleste, que mandou a bola por cima da meta. O craque argentino teve outra grande chance aos 20′, quando cabeceou para fora depois do goleiro realizar bela intervenção em cabeçada de Otamendi.

Contundo, a Colômbia saiu do sufoco da melhor maneira: com um gol. Na metade da etapa complementar, Martínez, posicionado na extremidade esquerda do ataque, recebeu lançamento de James Rodríguez. Então, encarrou o lateral-direito Renzo Saravia, do qual passou com imensa facilidade e finalizou cruzado, sem chances para Armani. O gol foi um balde de água fria para os Hermanos, que estavam no melhor momento da partida:

No segundo tempo a gente se soltou mais, mas tomamos o gol quando estávamos melhores. Foi um golaço, um chutaço. No melhor momento nosso eles marcaram, analisou Messi.

Restando dez minutos para o final do confronto, Duván substituiu Falcão. Logo em seu primeiro toque na bola, o atacante autor 23 gols com a camisa do Atalanta nesta temporada, ampliou a contagem. Novamente pelo lado esquerdo, Martínez enfiou em profundida para o lateral Tesillo. Então, o atleta do Independiente Santa Fé cruzou rasteiro na pequena área, onde Zapata apareceu para balançar as redes entre o Pezzella e Guido Pizarro.

E AGORA?

Com essa vitória, a Colômbia largar na frente e lidera o Grupo B, com três pontos. O outro jogo da chave, entre Paraguai e Catar, será neste domingo, às 16h, no Maracanã, no Rio de Janeiro. A Colômbia volta a campo pela Copa América na quarta-feira, às 18h30 (de Brasília), para enfrentar o Catar na segunda rodada do Grupo B. A Argentina joga no mesmo dia, às 21h30 (de Brasília), contra o Paraguai.

MELHORES MOMENTOS

 

 

 

 

 

 

Pedro Ferri

Sobre Pedro Ferri

Pedro Rodrigues Nigro Ferri já escreveu 62 posts nesse site..

Pedro Rodrigues Nigro Ferri, 19, nascido em Assis-SP. Jornalista em formação pela Faculdade da Cásper Líbero e um fiel devoto. Católico? Protestante? Não, corinthiano. Sou mais um integrante do bando de loucos e nunca me conheci sem essa doença. Frequentador de arquibancada, sou apaixonado por torcidas. Sabe aquela música do seu time? É, eu canto ela no chuveiro. Supersticioso ao extremo e disseminador da política "NÃO GRITA GOL ANTES DA BOLA ENTRAR!".

Pedro Ferri
Pedro Ferri
Pedro Rodrigues Nigro Ferri, 19, nascido em Assis-SP. Jornalista em formação pela Faculdade da Cásper Líbero e um fiel devoto. Católico? Protestante? Não, corinthiano. Sou mais um integrante do bando de loucos e nunca me conheci sem essa doença. Frequentador de arquibancada, sou apaixonado por torcidas. Sabe aquela música do seu time? É, eu canto ela no chuveiro. Supersticioso ao extremo e disseminador da política "NÃO GRITA GOL ANTES DA BOLA ENTRAR!".

Artigos Relacionados

Topo