Brasil x Peru – Prognóstico da final da Copa América

Brasileiros são favoritaços ao título, enquanto os peruanos querem que a zebra, ou melhor, a lhama passei no Maracanã

Brasil e Peru protagonizarão neste domingo (7) a final da Copa América. A bola rolará às 17h (horário de Brasília) no gramado do Maracanã. Assim, a Seleção Brasileira regressará ao maior palco do futebol mundial após seis anos. A última ocasião em que a Canarinho adentrou as quatro linhas do Estádio Jornalista Mario Filho se deu quando o selecionável do técnico Felipão conquistou a Copa das Confederações de 2013, ao bater a Espanha na final. Por outro lado, a Seleção Peruana, comandada pelo argentino Ricardo Gareca, retornará a decisão da competição continental após 44 anos, visto que em 1975 os Incas se sagraram campeões ao venceram a Colômbia.

BRASIL

A pentacampeã do mundo pode levantar seu nono título de Copa América. Apenas quatro jogadores, contudo, tiveram a oportunidade de disputar uma final de competições oficiais com a camiseta Amarelinha: Daniel Alves, Thiago Silva, Filipe Luís e Miranda, sendo que apenas os dois primeiros estiveram em campo. Todavia, foi o multicampeão com o Real Madrid, Casemiro, que passou a receita para o título:

“Já joguei outras finais. Creio que com o Brasil é a primeira. Final não se joga, final se ganha. E estamos trabalhando para ganhar, mas com muito respeito ao rival. Tem que ter a consciência de querer vencer, não importa como seja. Não importa que seja goleada ou 1 x 0”, disse o volante, que completou. “Sempre com muita cabeça, tranquilidade não precisa querer dar espetáculo, não fazer outras coisas. Tem que saber jogar e querer vencer. É o jogo mais importante da competição. Tem que ir concentrado, focado, se for 1 x 0 já me vale”, afirmou em entrevista nesta sexta-feira na Granja Comary.

Ameaça rival

No entanto, o grupo comandado pelo técnico Tite possui a chance de entrar para a história de outra maneira. Explica-se: se a meta defendida por Alisson não for vazada (assim como ocorreu nos últimos cinco jogos, ou seja, 450 minutos) e o Brasil levantar o caneco, constituirá a primeira vez na história que a Seleção da CBF conquista um título de torneio oficial sem levar gols. Assim, os jogadores brasileiros necessitam ter atenção redobrada com a maior ameaça rival: Paolo Guerrero.

“É um jogador que merece uma atenção especial pela qualidade e tudo aquilo que já demonstrou. Eu o conheço bem, treinei com ele algum tempo no Corinthians, já enfrentei algumas vezes com a Seleção também. É um jogador de extrema qualidade e que a gente tem que ter total cuidado durante todo o tempo de jogo porque, no mínimo detalhe que a gente falhar, ele pode resolver uma partida”, disse o zagueiro Marquinhos.

https://twitter.com/CBF_Futebol/status/1147238516067393537

Provável Escalação: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus, Roberto Firmino e Everton. Técnico: Tite.

PERU

Se equivoca quem imagina que a exibição da partida, ainda na fase de grupos contra o Brasil, será reencenada. Dessa maneira, aquela atuação foi exceção à regra e, segundo o comandante argentino Ricardo Gareca, o grupo peruano soube lidar com ocorrido:

“Passamos por momentos duros. Chegamos até a final por méritos próprios, pois soubemos superar uma grande adversidade, como é uma derrota dura”, apontou.

Então, é provável que a seleção Rojiblanca adote uma postura de jogo mais cautelosa diferentemente, por exemplo, da utilizada na semifinal contra o Chile. Assim, os donos da casa se deparariam novamente com seu principal problema, construir diante de um sistema defensivo bem postado, com uma carga emocional ainda maior, visto que se trata de uma final, situação que os Incas poderão saborear novamente, uma vez que fazem 44 anos que o Peru não chega ao derradeiro confronto de uma competição. Cabe ressaltar que ano passado a equipe encerrou um jejum de 36 anos sem participar da Copa do Mundo.

“Tomara que possamos fazer um bom papel, porque quando você entra em uma final, não vê outra opção senão ganhá-la, mas sempre respeitando a Seleção que teremos pela frente, que é de grande nível e contra a qual sofremos uma grande derrota”, disse Ricardo Gareca.

A maior preocupação da seleção peruana neste momento é com o atacante Edison Flores, que apresenta dores no tornozelo direito desde a vitória sobre o Chile, na última quarta-feira. Autor de um dos gols do triunfo, o jogador realizou exames na última quinta e ainda não tem presença na final confirmada.

https://twitter.com/SeleccionPeru/status/1147161471719264257

Provável Escalação: Gallese; Advíncula, Zambrano, Abram e Trauco; Tapia e Yotún; André Carillo, Christian Cueva e Edison Flores (Andy Polo); Paolo Guerrero. Técnico: Ricardo Gareca.

RETROSPECTO

Na história são 44 confrontos, com 31 vitórias nacionais (70,5% do total de partidas), nove empates e só quatro derrotas. Na Copa América, a vantagem brasileira é mantida. Foram 12 vitórias, três empates e três derrotas. O último revés, porém, foi doloroso. A vitória peruana por 1 x 0 na Copa América do Centenário, em 2016, determinou a queda da Seleção Brasileira na primeira fase da competição. Com o resultado, o técnico Dunga acabou demitido, sendo substituído por Tite na seleção.

APOSTA INDICADA

O Brasil é virtual campeão do torneio e, portanto, deve vencer (não com uma ampla vantagem e nem com grande facilidade) o Peru.

Odds: 1 (1.32) | x (5.45) | 2 (13)

Pedro Ferri

Sobre Pedro Ferri

Pedro Rodrigues Nigro Ferri já escreveu 339 posts nesse site..

Pedro Rodrigues Nigro Ferri, 19, nascido em Assis-SP. Jornalista em formação pela Faculdade da Cásper Líbero e um fiel devoto. Católico? Protestante? Não, corinthiano. Sou mais um integrante do bando de loucos e nunca me conheci sem essa doença. Frequentador de arquibancada, sou apaixonado por torcidas. Sabe aquela música do seu time? É, eu canto ela no chuveiro. Supersticioso ao extremo e disseminador da política "NÃO GRITA GOL ANTES DA BOLA ENTRAR!".

BetWarrior


Pedro Ferri
Pedro Ferri
Pedro Rodrigues Nigro Ferri, 19, nascido em Assis-SP. Jornalista em formação pela Faculdade da Cásper Líbero e um fiel devoto. Católico? Protestante? Não, corinthiano. Sou mais um integrante do bando de loucos e nunca me conheci sem essa doença. Frequentador de arquibancada, sou apaixonado por torcidas. Sabe aquela música do seu time? É, eu canto ela no chuveiro. Supersticioso ao extremo e disseminador da política "NÃO GRITA GOL ANTES DA BOLA ENTRAR!".

Artigos Relacionados

Topo