Barbosa, o ídolo injustiçado do Maracanazo de 1950

- Da série que o Brasil não sabe valorizar seus ídolos, Barbosa é mais um que carregou a culpa durante toda a vida

Uma frase no mundo do futebol que resume bem o que é ser goleiro é: “ser goleiro é ser herói e vilão”. Podemos dizer que dessa forma, ficou marcado Barbosa, goleiro do Mundial de 1950, o “Maracanazo“. Este foi, para muitos, considerando um dos principais responsáveis pelo revés que ocorreu no dia 16/07/1950 no Maracanã.

Carreira

Barbosa foi de um tempo que a identificação e o orgulho de vestir a camisa era muito mais importante que o dinheiro, que naquela época não deixara ninguém rico. Apareceu para o futebol no Ipiranga de São Paulo, após atuações de destaque. Logo, chamou atenção e se transferiu para o Vasco, um dos maiores clubes da época. Assim, se tornou um dos que mais vestiu o manto (400 jogos) e vários títulos: seis cariocas, um Campeonato Sul-Americano e um torneio Rio-São Paulo. Por outro lado, na Seleção brasileira, conquistou uma Copa América. Encerrou a carreira no América-RJ, aos 42 anos.

O famoso “Maracanazo”

A princípio, muitos já consideravam o Brasil como campeão. Era uma seleção forte, que jogava pra frente, com o chamado “DNA Brasileiro”. E por outro lado, tinha um adversário que não fizeram um bom Mundial, até chegar a decisão. A Seleção Canarinha abriu o placar, a festa era imensa. Contudo, logo em seguida, o Uruguai empatou. Logo, aos 34′, Gigghia sem ângulo, não chutou, nem cruzou para o gol. A bola entrou rasteira no canto do goleiro Barbosa. Silêncio e choro no Maracanã. Assim, dava o pontapé inicial para uma das maiores injustiças do futebol no Brasil, que apontava o arqueiro como o principal culpado pela derrota.

Barbosa Injustiçado

A final do Mundial deixou muitas marcas. Principalmente para Barbosa, o maior injustiçado e quem carregou toda responsabilidade durante toda a perda do Mundial. Dessa forma, na época se discutiu muito o fato. Para muitos, o exagerado fardo pode ter acontecido pelo mesmo ser negro. Algo que não era comum. Em suma, se é verdade ou não, fato é que, após Barbosa, apenas em 2006 a Seleção teve outro goleiro negro titular, Dida.

Barbosa ídolo

O Brasil é um país que não sabe preservar bem seus ídolos. Principalmente, aquele que vestiram a camisa, que se entregaram pela nação. Barbosa não é o primeiro e nem será o último a ser massacrado. Falhou? Talvez. Contudo, sua carreira não se resumo a esse erro. Final de Mundial? Sim. Por outro lado, sua vida devesse valer muito mais. Barbosa, o Injustiçado.

Foto destaque: Reprodução

Gilvan Junior

Sobre Gilvan Junior

Gilvan Junior já escreveu 191 posts nesse site..

Gilvan Junior, 20 anos, natural de Feira de Santana, estudante de jornalismo pela FAT. Desde pequeno, meu principal assunto era o esporte. Sempre acompanhado programas, sites, etc. Decidir, partir pra área que me dará a oportunidade de viver daquilo que mais amo. O futebol.

365 Scores

BetWarrior


Gilvan Junior
Gilvan Junior
Gilvan Junior, 20 anos, natural de Feira de Santana, estudante de jornalismo pela FAT. Desde pequeno, meu principal assunto era o esporte. Sempre acompanhado programas, sites, etc. Decidir, partir pra área que me dará a oportunidade de viver daquilo que mais amo. O futebol.

Artigos Relacionados

Topo