Athletico sai na frente, mas não segura pressão do Boca Juniors

Time brasileiro deixou um ponto escapar nos acréscimos
Athletico sai na frente, mas não segura pressão do Boca Juniors

Boca Juniors e Athletico Paranaense jogaram na noite desta quinta-feira (9), na La Bombonera. O jogo era válido pela última rodada do grupo G da competição, e valia a liderança da chave para os brasileiros e manutenção dos argentinos na competição. No fim, o time da casa completou seu objetivo e, de quebra, faturou a ponta da tabela.

1º Tempo

Jogando em casa, com a Bombonera lotada, o Boca Juniors era ligeiramente melhor, principalmente na velocidade de Benedetto e chutes de fora da área. O primeiro lance de perigo, veio com Zárate em chute que passou perto. Na sequência, o Benedetto tentou colocar de letra, mas o goleiro Santos estava atento e pegou firme. O Atlhetico tentou aparecer em dois lances seguidos com Rony e Lucho González, mas sem perigo a meta rival. Dessa forma, sem grandes emoções, o placar permaneceu assim até o intervalo.

https://twitter.com/AthleticoPR/status/1126659238791655431?s=20

2º Tempo

O jogo ganhou em lances quentes na volta, aos 10 minutos, o time visitante reclamou de um pênalti não marcado, já que a bola bateu no braço do defensor do Boca. Aos 19′, Nikão cruzou na área, a bola passou por todo mundo, inclusive o goleiro Andrada e sobrou livre para Marco Rubén abrir o marcador. Mas, aos 25′, Lizandro López aproveitou cruzamento da esquerda e empatou o confronto. A partir daí, o Boca pressionou bastante, tanto que aos 33′, acabou tendo a expulsão de Wellington como algo para o time. Aos 49 minutos, Tévez arriscou da entrada da área e colocou no canto do goleiro para arrematar a virada e a liderança do grupo G.

https://twitter.com/BocaJrsOficial/status/1126676604699025409?s=20

E Agora?

Com o resultado, o Boca Juniors somou 11 pontos na tabela e ficou na liderança do grupo G, dois pontos a mais do que o Athletico que ficou na 2ª posição na chave, também avançando. No próximo domingo (12), as duas equipes entram campo por competições nacionais. Os argentinos encaram o Velez Sarsfield, pela Copa da Superliga e o Athletico enfrenta o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro.

Melhores Momentos

Ruan Silva

Sobre Ruan Silva

Ruan Silva já escreveu 774 posts nesse site..

Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.


 

365 Scores

 

Ruan Silva
Ruan Silva
Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.

Artigos Relacionados

Topo