As crônicas de Kazu Miura: o eterno ídolo nipo-brasileiro

A paixão do menino que atravessou o mundo em busca de seu grande sonho no futebol
kazu

Como dizia o mestre escritor, Nelson Rodrigues: no futebol, o pior cego é o que enxerga somente a bola. Simultaneamente, mais que apenas um esporte, o futebol tem o dom de se tornar vida e unir nações e, desse modo, uniu. Brasil e Japão, dois países familiarizados, onde cada um acolhe o maior número de população do outro. Trata-se de uma conexão de séculos, e foi a partir de toda essa química que se iniciou a paixão de Kazuyoshi Miura, o menino Kazu, que sonhava em se tornar ídolo no futebol brasileiro.

Como toda criança na época, o jovem de apenas 15 anos se encantava com o futebol bem jogado da Seleção Brasileira. Eis que então, o franzino guri japonês decidiu partir de seu país para o outro lado do mundo em busca de seu grande sonho. De família rica e tradicional, de início Kazu não teve o apoio de seus país, que preferiam que o adolescente terminasse os estudos e seguisse uma carreira, digamos assim, convencional. Entretanto, observando a persistência de seu filho, Naya Nobuo, pai de Kazu, decidiu então apoiar o filho. E assim o menino atravessou o oceano em busca do incerto.

Em vista disso, no ano de 1982, Kazu chegou ao Brasil. Seu futuro era indefinido, assim como de muitos outros jovens de sua idade que também almejavam fazer carreira no esporte. Inicialmente, o rapaz foi se acomodar em um alojamento e logo chegou as categorias de base do Juventus da Mooca.

COLHENDO OS FRUTOS

Por ser estrangeiro, logo se tornou auxiliar juvenil em programas de intercâmbio, chegando a acompanhar atletas brasileiros em peneiras no Japão. Ainda no mesmo ano, defendeu seu país nas Olimpíadas dos Imigrantes, em São Paulo. O time era misto, a base do Nippon Country Club, mas o feito era grande. A importância em participar do processo fez com que começasse a se destacar em solo retumbante.

Sua revelação profissional veio pelo Santos, onde se consagrou ao vestir a camisa de Pelé. Ao mesmo tempo, atingiu o marco de primeiro asiático a conquistar um posto em uma grande equipe brasileira. Desse modo, por onde passou vestiu camisas de peso. Em toda sua trajetória futebolística, passou por diversos clubes do Brasil e do mundo, e claro, serviu a seleção de seu país tanto no futebol tradicional quanto no futsal, onde durante dez anos – de 1990 a 2000 – somou 91 participações e marcou 56 gols.

Posteriormente, três anos mais tarde, precisamente em 1985, Kazu viajou ao Japão como atleta da equipe júnior do XV de Jaú, inclusive no clube Quinzense, é considerado ídolo até os dias atuais. Na cidade ou em qualquer outro lugar do mundo, o craque é praticamente uma unanimidade, sendo o pioneiro do futebol nipo-brasileiro. Similarmente, foi na equipe, onde obteve maior proeminência em terras Mandarinhas. Na época, em uma partida emblemática, marcou diante o Corinthians pelo Campeonato Paulista, em placar histórico de 3 x 2, e nesse ínterim, se tornou inesquecível para a torcida jauense.

Consagrado no Brasil, Kazu decidiu retornar a seu país natal por modo de fazer história também. A partir disso que então no ano de 1990, o jovem adulto, agora com 23 anos, ao chegar em terras nipônicas colheu os frutos e gozou de um status de celebridade. No Yomiuri FC, graças à sua experiência futebolística adquirida no Brasil, Kazu não apenas estava no auge da fama, como também era o melhor jogador de futebol japonês de sua geração.

DIAS ATUAIS

Atualmente aos 52 anos, Kazu ainda segue em atividade, sendo o jogador mais velho do mundo em atuação. Em 2016, em partida do Yokohama FC diante o Cerezo Osaka, quebrou o próprio recorde ao se tornar o jogador mais velho a marcar gol em um jogo oficial pela J-League 2. E engana-se quem ache que o veterano está próximo de uma aposentadoria.

Em recentes entrevistas, Kazu declarou que pretende seguir no futebol até o auge de seus 60 anos. Aliás, hoje em dia, o longevo tem outros afazeres além de jogar bola, como na TV japonesa, onde tem a função de comentarista e consultor. Sua total perseverança em ir em busca de um sonho, hoje serve de inspiração para muitos jovens no mundo que buscam profissão no esporte. Todavia, Kazu é um ídolo consagrado e vitrine aos nossos olhos. Um sonhador, que por décadas ensinou a não desistir ao mesmo tempo que demostrou que o futebol nunca será apenas o futebol.

Karine Gomes

Sobre Karine Gomes

Karine Gomes já escreveu 157 posts nesse site..

Olá, me chamo Karine Gomes. Atualmente curso o 5° semestre em jornalismo pela Universidade Cruzeiro do Sul.Minha paixão por esporte daria um livro,pela escrita então rsrsLogo, escrever para o portal nunca foi tão bom 🙂

Forza Football

 

Rivalo Apostas Esportivas
Karine Gomes
Karine Gomes
Olá, me chamo Karine Gomes. Atualmente curso o 5° semestre em jornalismo pela Universidade Cruzeiro do Sul.Minha paixão por esporte daria um livro,pela escrita então rsrsLogo, escrever para o portal nunca foi tão bom :)

Artigos Relacionados

Topo