André Ranieri sobre Carille: ”Enquanto ele não aprender a lidar com a imprensa, e principalmente lidar com as críticas, ele não vai conseguir sucesso em lugar nenhum”

- O ex-setorista do Corinthians participou de live no Instagram do Futebol na Veia, na tarde desta segunda (1)
André Ranieri sobre Carille: ''enquanto ele não aprender a lidar com a imprensa, e principalmente lidar com as críticas, ele não vai conseguir sucesso em lugar nenhum''

No fim da tarde desta segunda-feira (1), o Futebol na Veia conversou com exclusividade através de live no Instagram, com o jornalista André Ranieri, ex-setorista do Corinthians pela Jovem Pan. Ele contou experiencias no meio do jornalismo esportivo, posicionamentos políticos, sua saída da Rádio Jovem Pan e pretensões dentro da carreira de jornalista. Além disso, André falou de seu atrito com o técnico Fabio Carille, em coletiva de imprensa após o Timão eliminar o Santos, em jogo válido pela semifinal do campeonato paulista 2019.

Na primeira parte da entrevista, o nosso jornalista, Gabriel Marques, levantou a questão se o ex-repórter da Rádio Jovem Pan vinha acompanhando o futebol desde que saiu da rádio. Em resposta, André disse que desde que saiu da Jovem Pan, ele tem acompanhado menos o futebol, além de jogos em si. Muito em função de ter começado seu mestrado.

”Desde que saí da Jovem Pan, eu tenho acompanhado menos. Eu comecei um mestrado e tenho feitos as coisas dele, tem bastante conteúdo. Mas sempre que dá eu dou uma olhada nas notícias do futebol. Mas assistir jogo mesmo, eu vou falar que faz um tempinho. Porém, o futebol faz parte da minha vida, não tem como, eu sempre vou estar lado com o futebol. Consumindo menos do que eu consumia antes, mas ainda sim sempre vou estar antenado”, disse.

PAIXÃO PELO FUTEBOL

O jornalista comentou sobre sua paixão pelo futebol, que vem desde criança. Segundo próprio, sua família inteira é corintiana, porém seu pai é são paulino, e que tentou fazer seu filho seguir seus passos. No entanto, André ainda criança foi convencido por tios e outros parentes, a torcer pro Alvinegro.

”Como a maioria dos moleques é fissurado em futebol, eu sempre fui assim desde criança. Minha família é corintiana fanática e meu pai é são paulino. Mas meus tios me convenceram, meus avós e acabei não virando são paulino e virei corintiano. Até por isso, a paixão começou tão cedo, eu ia no Pacaembu, Morumbi, ainda moleque me lembro de assistir jogo, lembro de ver o Edmundo jogar, o Marcelinho Carioca”, respondeu André.

COMEÇO NA JOVEM PAN

O jornalista falou um pouco de seu sonho ainda na infância, de ser repórter rádio. Sonho esse, que se realizou em 2014, após ser admitido na Rádio Jovem Pan.

”O meu sonho de criança era ser repórter de rádio. Eu ia no estádio e via os repórteres atrás gol, moleque eu já queria ser repórter de rádio, era minha meta de vida . Não era ser apresentador, nem ir pra televisão, era ser repórter de campo. E eu tive essa oportunidade na Jovem Pan, que inclusive foi dada pelo Flávio Prado, que me indicou para o teste de produtor, em 2014. Eu fiz o teste em dezembro de 2013, fui registrado no dia 2 de janeiro de 2014, e fiquei até agosto de 2019. Então foram quase seis anos aí ”, disse o jornalista.

ASCENSÃO RÁPIDA

Além disso, falou de sua ascensão rápida dentro da rádio, em que começou como produtor, e em pouco tempo já estava como setorista do Corinthians.

”Eu consegui uma evolução muito rápida lá dentro. Tive muitas oportunidades , disso não posso reclamar. Eu comecei como produtor, só que eu sempre tive oportunidade de fazer matéria especial, de fazer reportagens, entrevistas, e rapidamente eu fui ganhando muitos chances. De produtor, eu fui para o plantão esportivo, pra reportagem e comecei a participar em alguns programas como comentarista. Também tive a chance de apresentar. Então foi uma ascensão bem rápida, comecei como produtor e depois de 2 anos e meio eu já tava fazendo reportagem de campo”, afirmou André.

De acordo com, a rádio sempre foi muito tradicional, e que para conseguir fazer um teste para alçar vôos mais altos, seriam necessários anos e anos de casa. Por isso, considera rápida sua escalada dentro da rádio. No entanto, afirmou que entrou em época que a rádio passava por transformações, onde diversas ”tradições” estavam sendo interrompidas.

”Eu comecei à trabalhar na Jovem Pan em um momento em que a rádio passava por uma transformação muito acelerada. Era uma uma rádio super tradicional, com locutores voz padrão. Pra você ter a chance de fazer um teste, pra você poder falar no ar, demorava anos, e eu peguei esse momento de transição. Então em pouco tempo, eu já podia gravar e colocar no ar, eu comecei à participar de jornada esportiva, isso em outros tempos sera inimaginável, não pela minha capacidade, mas sim porque a rádio era outra”, completou.

LEGADO DA JOVEM PAN

Quando perguntado se o André Ranieri ficará sempre ligado ao nome da Jovem Pan, o jornalista disse que dependerá dos seus próximos passos no mundo jornalístico.

”Tudo vai depender de como as coisas forem no futuro. Por exemplo, eu tô fazendo um mestrado, eu pretendo dar aula em universidade, se eu virar um acadêmico, o André Ranieri jornalista, vai ficar totalmente ligado a Jovem Pan e ao Corinthians'‘, afirmou.

EPISÓDIO CARILLE x RANIERI

Comentando sobre assunto de técnicos e jogadores que querem aparecer em determinadas situações, o jornalista foi perguntado sobre a  discussão que teve com o ex-técnico do Corinthians, Fabio Carille, o jornalista afirmou que esse pior momento de sua carreira. Na ocasião, o treinador estava dando uma coletiva após o jogo de volta da semifinal do Campeonato Paulista 2019, jogo que levou o Corinthians à final, e uma discussão entre os dois se deu início após o repórter questionar Carille sobre ter chamado a imprensa de ”mentirosa” e também sobre o fato do treinador ter confundido sigilo jornalistico com um suposto espião, criticando os setoristas.

”Esse foi o pior, definitivamente, foi o momento mais traumático. E eu acho que foi uma das coisas que me fizeram largar um pouco mão da profissão. Eu lembro que logo depois do episódio Carille, me deu um branco, parceia um filme. A primeira coisa que eu fiz foi dar meu celular pro Guipa, e falei pra ele bloquear minha redes sociais”, afirmou.

Após a polêmica com o treinador, André foi cortado dos dois jogos da final do campeonato paulista. Juntamente, o jornalista foi acusado de manchar o nome da rádio.

”Ai ele falou a fatídica frase que eu teria ‘manchado o nome da rádio', eu queria morrer, quase pulei do 24º andar. E ainda falou tem outra, você esta fora dos dois jogos da final. Eu estava tão abalado que eu não tinha nem força para argumentar. A minha sorte é que o Neto, na band, a galera teve uma repercussão muito negativa quando me tiraram da final, aí me colocaram nos segundo jogo”, afirmou.

ELOGIOS E CRÍTICAS

Por fim, o jornalista afirmou que Carille tem um potencial enorme como técnico. Porém, fez o adendo que treinador não irá conseguir sucesso em lugar nenhum, caso não aprenda a lidar com a imprensa.

”Ele se habituou a ter muito elogio e não á ter criticas, aí quando as criticas vieram, ele não aguentou. Sempre perguntam do Carille, minha visão que eu tenho dele é o seguinte, ele é um bom profissional, dentro de campo ele tem excelente conhecimento, tem muito potencial para crescimento, mas, ele é um cara melindrado, completamente melindrado. Ele cria fantasmas, ficam falando coisas no ouvido e ele acha que tá sendo perseguido, quando na verdade qualquer técnico no Brasil, é criticado semana sim, semana não. O Carille, enquanto ele não aprender a lidar com a imprensa, e principalmente, lidar com as críticas, ele não vai conseguir sucesso em lugar nenhum”, completou o jornalista.

TRAJETÓRIA ALTERADA

Aos ser questionado sobre se sua demissão antecipou alguns planos de sua vida como, ser professor acadêmico, Ranieri afirmou que já estava insatisfeito com vida que ia levando.

”Eu já vinha amadurecendo muito essa ideia, eu não tava satisfeito com a vida que eu ia levando. Por mais que eu tivesse conquistado uma coisa que nunca imaginei que conquistaria, eu ia virar um repórter da equipe principal da rádio, isso nunca passou pela minha cabeça. Aí quando você conquista, você pensa, sera que era isso mesmo que eu queria?”, afirmou o ex-repórter da Jovem Pan.

”Eu já tava insatisfeito com a rotina que eu tava tendo. Tanto que ainda na Jovem Pan, eu já tinha pesquisado muito, eu já queria mudar mesmo. Então na verdade, era o empurrãozinho que eu precisava, tanto que foi a primeira coisa que eu pensei quando sai da Jovem Pan, e já comecei a montar meu pré-projeto”, completou.

POSICIONAMENTOS POLÍTICOS

André Ranieri nunca escondeu seu posicionamento político, e é famoso por gerar debates nas redes sociais, muito por conta desse posicionamento contra o atual governo. Segundo o próprio, isso até o afetou na relação com a torcida alvinegra, principalmente na época das eleições. Além disso, André criticou os jornalistas que não se posicionam diante do atual cenário político

”Nas redes sociais, eu lembro que quando eu fui cobrir o Corinthians, era unanimidade, a aglera me adorava, o torcedor me adorava. Nossa André Ranieri melhor setorista, eu só ouvia coisas boa. Só que aí, eu comecei a me posicionar mais fortemente, porque eu via no Bolsonaro uma figura autoritária, isso é o que me preocupava. Então por isso eu comecei a me manisfestar. E aí nas redes sociais que, tinham os torcedores que diziam que eu era o melhor, já começaram a dizer que ue já tinha sido melhor, porque eu não falava de futebol. Então à ascensão que eu tinha nas redes sociais, com número de torcedores, ela começou a se reverter. Ontem eu perdi cerca de 50 seguidores, saldo extremamente positivo”, ironizou o jornalista.

MOMENTO MAIS MARCANTE DE SUA CARREIRA

André afirmou que o momento mais especial de sua carreira até o atual momento, foi seu primeiro jogo à beira do campo, realizando o seu sonho de criança.

”Eu lembro que o primeira vez que eu fui no estádio fazer reportagem, foi até ao lado do Luiz Carlos Quartarollo, foi na Arena Corinthians, estava lotada, eu entrando pelo túnel, e quando eu entrei no gramado e vi aqueles jogadores petecando a bola, aquela iluminação linda, foi o momento mais emociante da minha carreira”, disse.

VOLTA AO JORNALISMO ESPORTIVO?

durante toda a live, André afirmou diversas vezes que pretende ser professor universitário e tem alguns projetos como fazer um canal no youtube e etc. Ao ser questionado por uma internauta, sobre uma possível volta ao jornalismo, Ranieri afirmou que não descarta uma volta.

”Eu penso, mas não como minha profissão principal. Se mais pra frente eu conseguir conciliar, dar aula em universidade e trabalhar de alguma forma com o esporte, jornalismo esportivo, eu vou tentar fazer”, finalizou André Ranieri.

Veja na íntegra a live:

Foto Destaque: Reprodução/Twitter

Gabriel Ricardo

Sobre Gabriel Ricardo

Gabriel Ricardo Moura já escreveu 46 posts nesse site..

Sou o Gabriel, tenho 18 anos, sou estudante de jornalismo pela UNIP. Fascinado por esportes, futebol principamente e fã da resenha e dos debates, percebi desde cedo que jornalismo seria o caminho que eu iria trilhar. Com o amor pelo futebol e vivência na arquibancada, vi e sinto na pele que o futebol é muito mais que 11 contra 11. E é essa mensagem que tentarei transmitir a todos enquanto me for possível.Instagram: @gabriel_ricardo77

365 Scores

BetWarrior


Gabriel Ricardo
Gabriel Ricardo
Sou o Gabriel, tenho 18 anos, sou estudante de jornalismo pela UNIP. Fascinado por esportes, futebol principamente e fã da resenha e dos debates, percebi desde cedo que jornalismo seria o caminho que eu iria trilhar. Com o amor pelo futebol e vivência na arquibancada, vi e sinto na pele que o futebol é muito mais que 11 contra 11. E é essa mensagem que tentarei transmitir a todos enquanto me for possível.Instagram: @gabriel_ricardo77

Artigos Relacionados

Topo