Vélez vende Gastón Giménez ao Chicago Fire

- Meio-campista foi negociado por 4,3 milhões de dólares
Gastón Giménez

Após as contratações de Ricardo Centurión, Ricky Álvarez e Mauro Pittón, tudo parecia indicar que a janela de transferências já estava encerrada para o Vélez Sarsfield. No entanto, a diretoria do clube sacramentou a venda de Gastón Giménez, titular absoluto do meio-campo da equipe de Gabriel Heinze, junto ao Chicago Fire, dos Estados Unidos.

Dessa maneira, a equipe que disputa a MLS desembolsará cerca de 4,3 milhões de dólares, pouco mais de R$ 18,5 milhões, para contar com o atleta de 28 anos.

Porém, tendo em vista que a janela americana se encerrou no último dia 7, El Tonga permanecerá em Liniers até o final da Superliga Argentina. Assim, também integra a lista de relacionados para a partida de volta contra o Aucas do Equador, válida pela primeira fase da Copa Sul-Americana.

O último compromisso do Vélez será dia 8 de março, contra o Unión de Santa Fé. Atualmente, o Fortín ocupa a 9ª colocação, que garante vaga para a Sul-Americana 2021, com 30 pontos. Porém está somente quatro atrás do Lanús, o último dentro do G4.

Após a lesão de Fernando Gago, que ocorreu após o fechamento do período de negociações, a Superliga concedeu uma autorização para o Vélez contratar outro jogador. Sendo assim, a procura, a princípio, era por um centroavante. Diante desse cenário, contudo, a tendência agora é que o clube volte à carga por um meio-campista com características similares as de Giménez.

Gastón Giménez foi revelado pelo Almirante Brown em 2011. Por lá, ficou até 2014, quando se transferiu para o Atlético Tucumán. Bastou uma temporada na equipe para chamar a atenção do Godoy Cruz, onde ficou de 2015 até 2018. Antes de chegar no ano passado no Vélez, teve uma breve passagem pelo Estudiantes.

HEINZE INSATISFEITO

Com Gago novamente no DM, a saída de Nicolás Domínguez para o Bologna da Itália no início do ano, e agora com a negociação de Giménez, Heinze viu seu tridente titular do meio-campo ser desmanchado. Dessa maneira, descontente com situação, começaram a pipocar rumores sobre uma possível saída do comandante.

Imagem destacada: TyC Sports/FNV

BetWarrior


Poliesportiva


Pedro Ferri
Pedro Ferri
Pedro Rodrigues Nigro Ferri, 19, nascido em Assis-SP. Jornalista em formação pela Faculdade da Cásper Líbero e um fiel devoto. Católico? Protestante? Não, corinthiano. Sou mais um integrante do bando de loucos e nunca me conheci sem essa doença. Frequentador de arquibancada, sou apaixonado por torcidas. Sabe aquela música do seu time? É, eu canto ela no chuveiro. Supersticioso ao extremo e disseminador da política "NÃO GRITA GOL ANTES DA BOLA ENTRAR!".

    Artigos Relacionados

    Topo