O Gigante da Colina abre as portas do Maracanã para o Alvinegro Praiano no próximo sábado (01), às 19h (horário de Brasília), em jogo válido pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. A arbitragem será responsabilidade do trio composto por Braulio da Silva Machado, Kleber Lucio Gil e Henrique Neu Ribeiro.

O 120º encontro entre os clubes levará um clima nervoso para os gramados do maior estádio do Brasil, visto que ambos fazem parte de um empate triplo no meio da tabela. O Atlético Paranaense possui os mesmos 24 pontos que os dois times, três a mais que a Chapecoense, que abre a zona de rebaixamento.

Além de marcar um número emblemático de um duelo histórico, sábado será o reencontro de dois grandes personagens da história do Palmeiras. Cuca e Alberto Valentim trabalharam juntos pelo time que foi campeão brasileiro de 2016, com o santista no comando e o vascaíno como assistente.

Santos

Buscando se reerguer após a polêmica eliminação na Libertadores, o Peixe se reorganiza e volta a campo para tentar sua terceira vitória consecutiva em reação à má fase de 2018. Após o jogo no Pacaembu, o capitão Victor Ferraz disse que os planos da equipe atualmente são pensados em longo prazo, focando não apenas na fuga do rebaixamento inédito, mas também na subida até o G8.

Muitas mudanças no elenco farão parte do encontro no Rio de Janeiro. Lucas Veríssimo, Léo Cittadini, Renato e Vladimir ficam de fora por problemas físicos, enquanto Bruno Henrique Cumprirá suspensão. Victor Ferraz é incerto por conta de uma virose intestinal e Derlis González, Luiz Felipe e Gustavo Henrique estão pendurados.

O professor ainda relacionou duas peças relativamente inesperadas. Yuri, a menos surpreendente, deve ficar no banco com muitas chances de entrar durante o jogo. Já Juliano, a novidade, vem do sub-23 e tem a confiança do treinador para ir ao Maracanã e compor a equipe.

https://twitter.com/SantosFC/status/1035723922325614592

Provável escalação: Vanderlei; Daniel Guedes, Robson Bambu, Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Bryan Ruiz e Diego Pituca; Eduardo Sasha, Rodrygo e Gabriel. Técnico: Cuca.

Vasco

Praticamente estreando como novo treinador cruzmaltino, Alberto Valentim tem um cenário positivo para seu segundo jogo no comando do time carioca. O meio campista Wagner volta após ser poupado pelo interino Valdir Bigode contra o Atlético Paranaense, e Máxi López também jogará após cumprir suspensão.

Além desses fatores, a diretoria abraçou o empenho da torcida que acredita na recuperação e diminuiu os preços dos ingressos para ajudar a encher as arquibancadas. Mais de 16 mil torcedores já confirmaram presença para assistir o espetáculo.

Dentro de campo, alguns pontos precisam ser corrigidos para que o time da casa consiga quebrar a sequência negativa no campeonato, tendo vencido apenas uma das últimas cinco partidas que disputou. Agravantes como a seca de seis jogos sem gols de Yago Pikachu preocupam, mas não desestabilizam o time como o próprio meia afirmou: “não adianta ir bem e não conseguir um resultado positivo”.

Vinícius Araújo, Giovanni Augusto, Marcelo Mattos, Henríquez, Breno, Leandro Castan, Rildo e Werley desfalcam o mandante. Ricardo Graça, Martin Silva e Andrey jogam pendurados.

Provável escalação: Martin Silva; Lenon, Luiz Gustavo, Bruno Silva e Ramon; Leandro Desábato, Raul, Andrey, Thiago Galhardo e Yago Pikachu; Maxi López. Técnico: Alberto Valentim.

Retrospecto

São 95 duelos entre os times na história e o equilíbrio é gigantesco. São 33 vitórias vascaínas, 32 santistas e 30 empates. Nos dois duelos entre eles em 2017, ambos pelo Brasileirão, 0 x 0 no Rio de Janeiro e 1 x 2 em Santos. A última vitória paulista em cima do time carioca foi em 2016, pela Copa do Brasil, quando venceu o jogo de ida por 3 x 1 e e

Tiago Souza
Formado em jornalismo pela Universidade São Judas, atuei em diversas áreas de maneira colaborativa. Sou viciado em informação e, por isso, estudo todos os dias sobre futebol e videogames, tendo essas duas vertentes como pilares da minha personalidade. Apesar de levar esses temas muito a sério, tenho a plena noção de que, sem o amor e a descontração, nenhuma delas existiria de forma tão espetacular como são hoje.

Artigos Relacionados