Boavista

Em meio a incerteza da volta do futebol, devido a pandemia do novo Coronavírus, o Boavista já pensa em um novo técnico para o lugar de Daniel Ramos. Trata-se do jovem Vasco Seabra, que anunciou sua saída do C.D. Mafra ao final da temporada. Desse modo, após o anúncio de sua saída da equipe mafrense, que atualmente disputa a segunda divisão portuguesa, aumentaram os rumores de sua contratação pelo clube da freguesia de Ramalde.

Segundo informações do Jornal A Bola, os Panteras tem interesse na contratação do treinador, em princípio, para o início da próxima temporada, visto que o contrato de Ramos vai até o final desta temporada. Além disso, o desempenho atual do time vem desagradando os torcedores. Em dez jogos sob o comando do atual técnico, foram três vitórias, dois empates e cinco derrotas. Os Axadrezados ocupam a décima primeira posição, com 29 pontos ganhos no certame.

NEGATIVA DOS DOIS LADOS

O clube negou qualquer tipo de negociação para o Jornal Português. Não apenas o Boavista, como também o técnico.

“O Boavista não tem nenhum princípio de acordo com mais nenhum treinador, que não o Daniel. O presente e o futuro próximo, é o Daniel. É com ele que o Boavista tem compromisso” De acordo com uma fonte do clube para o Jornal A Bola.

“Acabamos de terminar uma época, ainda por cima de forma prematura. Vamos agora parar, analisar e perceber qual será o próximo desafio que queremos abraçar. De momento, só existem algumas abordagens”. Declarou Vasco Seabra ao Jornal A Bola     

https://twitter.com/JornaldeMafra/status/1258068967513604102

HISTÓRICO

Vasco Seabra iniciou sua carreira de treinador, primeiramente no Paços de Ferreira, onde havia sido auxiliar técnico, na temporada 2016-2017. Deixou o clube em outubro de 2017. Depois disso passou pelo Famalicão, categorias de base do Estoril, até chegar ao Mafra em julho de 2019.

Foto Destaque: Reprodução/Francisco Leong/Tribuna Expresso  

Amaury Ferreira
Escolhi o Jornalismo como profissão, porque desde a minha infância sempre fui fascinado pelos âncoras de telejornais e pelas transmissões esportivas no rádio e na televisão, a relação com meu time do coração também influenciou na minha escolha. Sou uma pessoa bem tranquila, mas que quando acredito em alguma coisa, sempre tento buscar correr atrás.

Artigos Relacionados