Santa Cruz

Antes de tudo, poucas vezes se viu momentos tão agitados em um clube de futebol. Desde o 12h (horário de Brasília) do último domingo (25), até o momento que esse texto está sendo escrito. O Santa Cruz anunciou dois novos atletas, um novo executivo de futebol, perdeu de maneira vexatória em casa, dispensas estão à vista e o treinador que só fez três partidas pediu demissão.

A princípio, o clima de desconfiança pairava sobre o ar do Estádio José do Rego Maciel, antes do jogo do Santa x Sete de Setembro. Isto porque a temporada vem sendo um fiasco dentro de campo. Desse modo, é necessário lembrar alguns fatos da trajetória coral.

INÍCIO TARDIO

Por conta da pandemia do COVID-19 e do calendário extraordinário do futebol brasileiro em 2020, se defendeu que era necessário postergar as eleições no Santa Cruz. Assim, o pleito que estava previsto para acontecer em dezembro do ano passado, só aconteceu no dia 11 de fevereiro deste ano. A oposição saiu vencedora. Portanto, uma nova direção foi eleita faltando apenas 10 dias para o início da temporada.

Dessa maneira, era necessário para os novos mandatários conhecer a situação do clube, fazer uma organização e planejamento de futebol em pouco mais de uma semana. Além disso, a gestão que ficou para trás deixou um elenco que havia falhado em todas as competições que disputou. Apesar disso, por muito tempo aquele time se mostrou competitivo e de futebol eficiente.

Desse jeito, começou 2021 para o Tricolor do Arruda. Evidentemente, a temporada anterior iria de certa forma balizar o que se esperava do clube no novo ano. E as comparações do time de 2020, com esse que vem sendo montado seriam inevitáveis. A priori, as primeiras reflexões era de que o time estava entregando menos do que poderia fazer.

Contudo, já com quase duas dezenas de jogos nesta época. O pensamento acerca deste time do Santa já não é mais que vem deixando a desejar. E sim de que só consegue produzir isso mesmo. Em resumo, o atual desempenho do time está em apenas 29,41% de aproveitamento. Além disso, o futebol dentro de campo é extremamente pobre, com muitos problemas em quase todos os setores.

SANTA CRUZ NO MERCADO

Até o presente momento, a Cobra-Coral fez 17 contratações. Delas, um jogador já saiu, o goleiro uruguaio Martín Rodríguez. Ainda mais, segundo João de Andrade Neto e Camila Alves do Portal NE45. Péricles e Karl que foram anunciados para essa temporada também já estão de saídas. O que só evidencia o planejamento ruim, ou a falta dele. De fato, até o momento nenhuma contratação vem resolvendo dentro de campo.

O que se pode refletir sobre os reforços até então, é que vem sendo feito de maneira um tanto quanto aleatória, fora de uma grande convicção. Por vezes, jogadores experientes, rodados, mas longe de seus auges são contratados. Por outro lado, algumas apostas em jogadores muito novos, até certo ponto desconhecidos e sem grande lastro.

Dessa maneira, o Santa anunciou as contratações de Everton Dias, volante, 30 anos e com várias passagens por clubes do país. Everton esteve por último no Brasil de Pelotas, onde fez nove partidas. Bem como, o outro novo reforço é Carlos Adriano. Mais conhecido por Adriano Michael Jackson. Atacante de 33 anos, com passagens por Palmeiras e Bahia. Estava defendendo a Jacuipense.

https://twitter.com/SantaCruzFC/status/1386349390319820808?s=20

NOVO EXECUTIVO DE FUTEBOL

Desde a saída de Nei Pandolfo, o cargo de executivo de futebol estava vago no Arruda. Após seguidas especulações, e algumas tratativas. O Santa Cruz chegou ao acordo com Fabiano Melo. O profissional estava trabalhando no América-RN até então.

https://twitter.com/SantaCruzFC/status/1386383161865773056?s=20

SAÍDA DE ALEXANDRE GALLO

Após somente 12 dias desde sua contratação, o técnico Alexandre Gallo pediu demissão do Tricolor. Neste período, o ex-comandante dirigiu o Santa Cruz em três partidas. Estreou com derrota no Clássico das Emoções, empatou em casa contra o Salgueiro, em um jogo dos mais pobres, e perdeu para o Sete de Setembro, quebrando um tabu de 36 anos contra a equipe de Garanhuns.

Desse modo, o Clube das Três Cores terá que ir atrás do seu 3º treinador na temporada. O Santa que iniciou o ano com João Brigatti, e fez a sua pior campanha na história da Copa do Nordeste. Em nenhum momento praticou um futebol minimamente convincente. Brigatti deixou o clube com 35,90% de aproveitamento, às vésperas da 2ª fase da Copa do Brasil. Onde o time foi comandado pelo interino Roberto de Jesus. Já Gallo, sai com um percentual ainda pior. Apenas 11,11%.

Assim, ao comunicar sua despedida, o treinador fez um vídeo explicando os motivos por trás de seu desligamento. Dessa maneira, o treinador disse não ver perspectiva de melhora para o clube no curto prazo. Ainda mais, procurou isentar a atual direção, e direcionou o momento atual, em grande medida, à antiga gestão.

LAMBER AS FERIDAS E SEGUIR EM FRENTE

Em resumo, o Santa Cruz já caiu na Copa do Nordeste, também na Copa do Brasil e vive momento delicadíssimo no Campeonato Pernambucano. A Cobra-Coral está na 6ª colocação, apenas dois pontos acima do 7º colocado, o Retrô. E nesta quarta-feira (28), enfrenta o próprio time de Camaragibe.

Desse modo, é um jogo quase que de vida ou morte. O conhecido “jogo de seis pontos”. Se por um acaso o time do Arruda vier a ser derrotado, entrará na última rodada  do estadual no z4.

Foto destaque: Divulgação/Rafael Melo/Santa Cruz 

Ayrton Niño
Historiador pela UFPE e graduando em Jornalismo pela UniNassau.