Treinador do Hertha Berlin é demitido após falas homofóbicas e anti-imigração durante entrevista (Foto: Reprodução/Getty Images)

Nesta terça-feira (6), o Hertha Berlin anunciou a demissão de Zsolt Petry, treinador de goleiros da equipe, após o mesmo ter feito comentários homofóbicos e anti-imigração em entrevista.

Entre as falas feitas ao jornal Magyar Nemzet, o ex-jogador da seleção húngara fez críticas ao apoio público de Peter Gulacsi a causa LGBTQ+, assim como definiu as políticas de imigração europeia como uma “ruína moral”.

Leia Mais:

AS FALAS DE PETRY

De antemão, Peter Gulacsi, goleiro do RB Leipzig, foi um dos alvos de Zsolt. Assim, durante a entrevista cedida ao jornal húngaro, o treinador disse não entender o que levou o atleta dos Touros “a sair em defesa de pessoas homossexuais, travestis ou com outras identidades de gênero”. Além disso, citou que como atleta, se focaria no futebol e “não criaria qualquer posição sobre questões públicas de política social”.

Posteriormente, Gulacsi criticou uma reforma na Constituição da Hungria, que impediu a adoção de crianças por casais LGBTQ.

Ainda, o ex-jogador de futebol declarou que simpatiza com o espectro conservador:

“Nem mesmo entendo como a Europa pode afundar moralmente tão profundamente como agora. A política de imigração para mim é uma manifestação de declínio moral“, declarou

Juntamente com a crítica sobre a imigração, completou

“A Europa é um continente cristão, estou relutante em assistir à decadência moral que se espalha por todo o continente. Os liberais exageram contra-opiniões: se você não acha que a migração é boa porque a Europa foi invadida por uma enorme quantidade de criminosos, você já está sendo enganado por ser racista”, disse o húngaro

RESPOSTA DO HERTHA BERLIN

A princípio, o Hertha Berlin declarou não saber da entrevista cedida por Zsolt, e decidiu a saída imediata do húngaro. Além disso, durante comunicado, a entidade declarou estar comprometida com valores como diversidade e tolerância. Assim, completou que “esses valores não constam nas declarações de Petry, que ele fez publicamente como nosso funcionário”.

“O trabalho de Zsolt Petry sempre foi muito apreciado durante seus anos no Hertha BSC. Ele também sempre foi experimentado como sendo aberto, tolerante e prestativo.”, disse o CEO do Alte Dame

Em conclusão, o agora ex-treinador de goleiros do Berliner pediu desculpas a “todas as pessoas que buscam refúgio e a quem ofendeu”. Além disso, enfatizou que não é homofóbico e nem xenofóbico, mas que respeita a decisão do clube.

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images

Avatar
Giulia Cavalheiro
Meu nome é Giulia Cavalheiro, tenho 18 anos e sou estudante de Jornalismo - 3° semestre da UFSM. No meio de uma confusão para decidir qual carreira seguiria na vida, juntei a minha paixão por escrever e pelo futebol para escolher qual caminho seguiria. De São Paulo, deixei tudo para trás e me mudei para o Rio Grande do Sul afim de seguir meu sonho no jornalismo.

Deixe uma resposta