Torcida única: uma medida a mais contra a violência

O histórico de brigas entre torcedores de times de futebol aumenta a cada dia. Diante disso, em 4 de abril do ano passado, o governo de São Paulo implementou a chamada “torcida única” em clássicos paulistas. A medida, logo depois, foi executada também em outros estados, como o Rio de Janeiro. A ação causou muita discussão, pois há quem concorde ou quem ache que essa regra não é a solução. O fato é que, em 2017, a torcida única continuou valendo.

Mas ter apenas uma torcida no estádio é a solução para o fim da violência em partidas de futebol? Não, pois infelizmente a violência está instalada em todo o canto, e as brigas acontecem longe dos estádios, mas ainda se fazem presentes em dias de jogos. Porém não podemos dizer que essa norma não é válida, pois mais pessoas aproveitam os clássicos acompanhadas de suas famílias.

Há quem diga que o fato de se ter apenas uma torcida em clássicos anula o direito do outro time e minimiza a grandeza do jogo de futebol, mas usando uma expressão bem popular, por culpa de um, todos pagam.

Para deter a prática de violência em estádios ainda há muito o que se fazer e investir, uma vez que a partida de futebol é o espetáculo que o brasileiro mais adora assistir, e talvez a regra de torcidas únicas em clássicos não dure para sempre, e para isso acontecer cada torcedor que vai ao estádio precisa cumprir o seu papel, e respeitar o espaço do próximo.

Thaís Duarte
Thaís Duarte
Thaís Duarte, 23. Jornalista, seu maior desejo é especializar-se em jornalismo esportivo. Adora ir ao estádio e viver de perto, a emoção de uma partida de futebol. Sonhadora, mas com os pés no chão corre atrás dos seus objetivos, sem desistir jamais.

Artigos Relacionados

Topo