Toninho Cerezo na Sampdoria: o “Brasilchiati”

- O ex-meia brasileiro viveu seu maior momento com a camisa da Samp, nos anos de glória da história do clube
Toninho Cerezo Sampdoria

O futebol brasileiro já proporcionou grandes atletas, que fizeram história no futebol italiano. Falcão, Mazzola, Ronaldo, Kaká, Lúcio, Edmundo, entre outros. Porém, um deles fez bastante sucesso na região de Gênova e ainda, atuou lá no período de maior história do clube. Dessa forma, as páginas da Calciostoria de hoje voltam aos anos 80 e 90 e trazem todos os detalhes da grande passagem de Toninho Cerezo pela Sampdoria. Enfim, um dos integrantes da histórica seleção canarinho na copa de 82, teve grande passagem pelo Blucerchiati, que correspondeu com os melhores anos, dos 74 de existência da Samp.

LEIA MAIS:

Clarence Seedorf: carreira na Itália e idolatria no Milan

Crespo: idolatria e gols no Parma e Internazionale

Simone Inzaghi, ídolo como jogador e técnico da Lazio

TONINHO CEREZO NA SAMPDORIA

A VIAGEM DE ROMA PARA GÊNOVA

A saber, antes de desembarcar na cidade do farol, Toninho Cerezo já estava em solo italiano. Dessa forma, após deixar o Atlético Mineiro, com 400 jogos em 1983, o meia desembarcou na capital da Itália, para jogar na Roma, durante três temporadas, após a Copa do Mundo de 1982, onde muitos apontam que ele foi o vilão da trágica eliminação justamente para a Squadra Azzurra. Além disso, no time Giallorossi, fez dupla brasileira com Paulo Roberto Falcão, companheiro de seleção brasileira, e chegaram juntos a final da UEFA Champions League em 1984.

Entreanto, o atleta preferiu rumar para Gênova, para jogar numa equipe de jogadores hoje, muitos conhecidos do público. Assim, Toninho Cerezo se tornou jogador da Sampdoria em 1986. Muitos não entenderam a troca, e também o porque de ter sido escolhida a equipe blucerchiati. Entretanto, o planejamento do clube de Gênova surpreendeu a Itália, e a Europa, nos anos seguintes, e o brasileiro teve um importante papel nessa trajetória. Enfim, além do meia, outro compatriota, Silas, fazia parte da equipe da Samp.

AS DUAS PRIMEIRAS TEMPORADAS DE TONINHO CEREZO NA SAMPDORIA (1986-1988)

Em sua primeira temporada, Cerezo não chegava com tanto respaldo da torcida da Samp, Muito disso, pelo que ele causou alguns meses antes, quando ainda pela Roma, marcou o gol que deu o título aos Giallorossi naquela ocasião da Coppa Italia, em cima da Sampdoria. Porém, a raiva foi baixando a cada atuação e boa impressão que jogador deixava em campo. Dessa forma, com 28 partidas em 1986/87 de Toninho em campo, o Blucerchiati venceu 12, empatou oito e perdeu oito, com três gols do meia.

Naquela ocasião, o Scudetto e a Coppa Italia ficaram para o Napoli de Maradona, enquanto a Samp terminava o campeonato em . Porém, era apenas um início de um grande trabalho que seria marcado para os próximos anos. Já na temporada 1987/88, Toninho Cerezo e a Sampdoria conseguiram um 4º lugar na Serie A TIM, e o título da Coppa Italia daquela mesma temporada. Tal façanha marcaria o início da era mais vitoriosa do clube. E sobre Cerezo pelo clube doriano, foram 30 jogos e três gols nesse ínterim. O meia começava a encantar a torcida da cidade do farol com suas atuações, que foram prévias a entrada dos anos 90, marcando na história da equipe.

Para não passar em branco, a Sampdoria tinha um grande time, que ia além do brasileiro. Gianluca Pagliuca, goleiro da seleção da Itália em 1994, Roberto Mancini, hoje técnico da Squadra Azzurra, Luca Pellegrini e o artilheiro Gianluca Vialli, eram só alguns dos nomes dessa grande equipe que mediu forças aos gigantes italianos no início dos anos 90.

Tudo começa com a temporada 1988/89. A saber, foi a primeira temporada que Toninho Cerezo atuou em mais de 40 partidas, e marcou seis gols. Dessa forma, suas atuações foram muito importantes para que a Sampdoria conquistasse o bicampeonato da Coppa Italia, dessa vez, derrotando um dos grandes times da época na Itália, e com autoridade. O Blucerchiati perdeu para o Napoli por um 1 x 0 no jogo de ida, mas goleou os Azzurris na volta por 4 x 0. Ainda, terminou a Serie A na 5ª posição.

OS ANOS 90 DE TONINHO CEREZO NA SAMPDORIA E O ÁPICE ITALIANO E EUROPEU

Mesmo assim, com os dois títulos da Coppa Italia, o clube de Gênova ainda não tinha conseguido bater os rivais na Supercoppa, torneio que coloca o campeão da Serie A, contra o campeão da Coppa. Mas na temporada 1989/90, conquistou a Recopa Europeia, antes da temporada, mágica, que teve participação histórica de Toninho Cerezo. Em 1991/92, a Sampdoria conseguiu desbancar os gigantes da Itália e conquistar seu primeiro Scudetto, um marco histórico, no qual o brasileiro teve participação, e das grandes.

No jogo que garantiu o título a equipe Blucerchiati, contra o Lecce, o brasileiro fez um dos gols da vitória por 3 x 0, que transformou Gênova em Azul, Vermelho e Preto. A Sampdoria vivia muita gozação, devido aos títulos de Serie A do seu maior rival: o Genoa. Entretanto, finalmente, a escassez de Scudettos e a zoeira, haviam se encerrado, e a Samp partia para a disputa do maior campeonato de clubes da Europa.

https://twitter.com/DeChalaca/status/730163077979611136?s=20

O HISTÓRICO VICE-CAMPEONATO DA LIGA DOS CAMPEÕES, SÁIDA DA SAMPDORIA E VINGANÇA DE TONINHO CEREZO

Naquela época, apenas o campeão nacional disputava a Copa dos Campeões da Europa, como sugeria o nome, antes de se tornar Liga dos Campeões. Dessa forma, a Sampdoria chegava para disputar pela primeira vez a competição, na temporada 1991/92. E não foi apenas a passeio. Passando pelo Estrela Vermelha, Anderlecht e Olympiacos, o clube italiano chegava em Wembley, na Inglaterra, para o maior jogo de sua história.

Era a final da Copa dos Campeões da Europa, contra o Barcelona. Entretanto, com gol de Ronald Koeman na prorrogação, o time espanhol venceu o Blucerchiati por 1 x 0 e logo na sequência, Toninho Cerezo deixou a Sampdoria como ídolo, para retornar ao Brasil, e “vingar” o clube italiano. Isso porque o meia jogou no São Paulo naquela temporada, clube que enfrentou os Blaugranas na final do mundial daquele ano, o Tricolor se saiu vencedor daquela decisão no Japão.

IDOLATRIA DE TONINHO CEREZO NA SAMPDORIA ATÉ OS DIAS ATUAIS E NÚMEROS

Foram seis anos na Sampdoria, de 1986 até 1992. Foram 145 jogos, e 14 gols pela equipe blucerchiati, o que para um meia era bastante coisa na época. Além disso, integrou parte da equipe italiana em seu momento mais vitorioso da história. Por esses e outros fatores, Toninho Cerezo é idolatrado pela parte, vermelha, azul e preta de Gênova.  E recebe homenagens até hoje, e até sondagens para treinar a Samp no futuro, e transmitindo o toque mineiro na Bota.

Foto destaque: Divulgação/Sampdoria

Caíque Ribeiro

Sobre Caíque Ribeiro

Caíque Ribeiro já escreveu 513 posts nesse site..

Olá, eu sou Caíque Ribeiro, tenho 20 anos e a paixão por esportes corre em minhas veias, sobretudo, o futebol. Um amante do futebol tanto brasileiro, quanto europeu e ainda sim, do alternativo. Tendo como maior jogador que vi jogar, Ronaldinho Gaúcho e grandes memórias futebolísticas. Estou cursando jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi. Quando criança,sonhava em ser jogador de futebol,mas a vida me planejou outros rumos. Desde então, decidi juntar duas paixões: a paixão por escrever e a paixão pela pelota, e seguir nessa jornada,sempre disposto a trazer a informação de forma correta e apurada ao público. Além de futebol, escrevo e sou comentarista sobre basquete na Rádio Poliesportiva. Instagram: @caiqueribero, Twitter: @CRSousa5

BetWarrior


Poliesportiva


Caíque Ribeiro
Caíque Ribeiro
Olá, eu sou Caíque Ribeiro, tenho 20 anos e a paixão por esportes corre em minhas veias, sobretudo, o futebol. Um amante do futebol tanto brasileiro, quanto europeu e ainda sim, do alternativo. Tendo como maior jogador que vi jogar, Ronaldinho Gaúcho e grandes memórias futebolísticas. Estou cursando jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi. Quando criança,sonhava em ser jogador de futebol,mas a vida me planejou outros rumos. Desde então, decidi juntar duas paixões: a paixão por escrever e a paixão pela pelota, e seguir nessa jornada,sempre disposto a trazer a informação de forma correta e apurada ao público. Além de futebol, escrevo e sou comentarista sobre basquete na Rádio Poliesportiva. Instagram: @caiqueribero, Twitter: @CRSousa5

Artigos Relacionados

Topo