Thiago Silva diz que estava “acomodado” no PSG

- O zagueiro brasileiro fez sua estreia com a camisa do Chelsea na tarde da última terça-feira (20)
thiago solva

Na tarde da última terça-feira (20), o zagueiro Thiago Silva fez sua estreia pela equipe do Chelsea na Champions League. A partida terminou empatada em 0 x 0, contra o Sevilla, da Espanha. Após a partida, o brasileiro, em entrevista aos canais ‘Esporte Interativo' na zona mista, falou sobre o momento. Dessa forma, o jogador contou sobre o cotidiano dele no PSG e como é desafiador atuar, agora, na Premier League.

“Eu sou movido a desafio. Estava há oito anos no Paris… Teoricamente, de uma forma ou de outra, acomodado. Não acomodado no sentido de não querer trabalhar e não querer bons resultados, mas você acaba caindo numa rotina.”, disse o ídolo parisiense.

Thiago Silva ainda falou sobre a pressão que sentia em Paris, pela ambição do clube em vencer a Champions League. Na última temporada, o PSG chegou na final da competição pela primeira vez em sua história.

“Pra mim, seria difícil recomeçar mais um ano com aquela pressão de ter que vencer a Champions. Então, teoricamente, eu mudo um pouco o ar, e eu me vejo um pouco mais tranquilo aqui”, falou Thiago.

Ademais, o atleta disse sobre estar fazendo o caminho inverso. Tendo em vista seus 36 anos, o atleta saiu de uma liga teoricamente mais fraca e foi para a liga, considerada por muitos, mais forte do mundo.

“O desafio é enorme. Normalmente os jogadores com 36 anos estão saindo da Premier League e procurando, teoricamente, os campeonatos mais fracos de se jogar. Eu estou fazendo o inverso.”, completou o veterano.

No PSG, Thiago Silva se tornou ídolo, fazendo 317 partidas, 17 gols e 24 títulos. Além disso, o brasileiro foi o atleta que mais vezes usou a braçadeira de capitão do time francês (289 vezes).

Foto destaque: Reprodução/Chris Lee/Chelsea FC

BetWarrior


Poliesportiva


Gustavo Oliveira
Gustavo Oliveira
Bom, eu escolhi jornalismo pois quero estar cada vez mais perto do esporte e também por querer ter uma certa relevância e poder, através do esporte, influenciar pessoas a fazerem o bem. Além disso, acho prazeroso fazer qualquer coisa que esteja ligada com o esporte e o jornalismo me proporciona isso.

    Artigos Relacionados

    Topo