Terrão e Timão: enfim, juntos

Segundo o dicionário, a palavra “base” significa sustentação, aquilo que se utiliza como suporte: a base da construção. Se compararmos a definição literal da palavra ao atual momento em que o Corinthians vive, chegamos a uma outra palavra comum às duas situações: imprescindível.

A renovação dos contratos de Caíque França, Guilherme Arana, Maycon e Marciel, realizada na tarde de ontem e de uma só vez, fez com que o torcedor corintiano diminuísse o tom em relação às constantes reclamações sobre a desvalorização dos jogadores da base.

É certo que, a diretoria corintiana costuma pisar na bola quando se trata da promoção e utilização dos atletas das categorias inferiores. Mas, ontem, atipicamente, não tivemos motivos para reclamar. Vivendo ótima fase, a base corintiana tem mostrado a sua importância e a sua força.

No começo da temporada, quando todos os outros times se reforçaram, principalmente de jogadores mais experientes, o Corinthians, que não havia empolgado com nenhuma das contratações feitas até então, sofreu uma enorme cobrança por parte da torcida e, até mesmo, por parte da imprensa.

A quarta potência de São Paulo, como não tardou a ser chamado, enxergou a tempo a solução para o elenco modesto: apostar na garotada. E não poderia ter dado mais certo! É bem verdade que ainda está cedo para cravar um time a ser “batido”, mas, os últimos resultados têm mostrado um grupo guerreiro e unido. Ou “fechado”, como Arana costuma dizer.

Ocupando, agora, o posto de segundo goleiro, Caíque França, de 21 anos, renovou o vínculo com o Timão até 2020; contrato anterior vencia no fim deste ano. O lateral-esquerdo Guilherme Arana e o volante Maycon, ambos de 19 anos, tiveram seus contratos estendidos até 2021. Vale ressaltar que os três jogadores integram a Seleção Brasileira sub-20.

O quarto jogador a ter o seu contrato renovado foi o volante Marciel, de 21 anos, que assinou por mais três temporadas. 50% dos direitos do gaúcho pertencem ao time de Itaquera. Marciel, aliás, pouco tem participado dos jogos neste ano. Às vezes parece desinteressado, mas tem potencial para render no elenco principal.

Além dos jogadores já citados, temos, ainda, os recém-promovidos Carlinhos, Pedrinho e Mantuan, campeões da Copa São Paulo de 2017. Pedro Henrique, Léo Santos, Léo Príncipe, Fagner, Léo Jabá e Jô, são os outros jogadores originais do Terrão.

Para terminar, um desejo utópico: que esse momento intenso seja o começo de uma história vencedora dentro do clube paulista. Que os meninos da base continuem honrando a camisa e ganhando cada vez mais espaço. E, como o significado da palavra sugere, que eles deixem de aparecer só em casos de suporte e passem, enfim, a ser a base da (re)construção corintiana.

BetWarrior

Rafaela Oliveira
Rafaela Oliveira
Olá! Me chamo Rafaela de Oliveira, tenho 21 anos, sou paulista e estudante de jornalismo. Falo sobre esportes no programa Arquibancada Mack, da Rádio Mackenzie, e no Programa Livre, da Rádio Astral FM. Estou sempre acreditando que tudo dará certo. E, se não fosse o futebol, não sei o que seria de mim, e do mundo.

    Artigos Relacionados

    Topo