Técnico do Remo põe Série C na balança, elogia Erick Flores e projeta próximo jogo

Em entrevista concedida a imprensa, o técnico do Remo, Paulo Bonamigo colocou na balança a Série C. Segundo, o treinador, a competição está equilibrada com equipes de qualidade e não existe time fraco, assim como não existe um que seja tão superior aos outros. Além disso, Bonamigo revelou que o resultado diante do Campinense foi atípico já que bateram a melhor defesa da Série C.

É uma competição que vem apresentando um equilíbrio muito grande. As equipes estão se ajustando. Essa Série C está nivelada. Não tem ‘galinha morta’, não tem um time que irá vencer com facilidade. O resultado de hoje surpreendeu, foi atípico. Enfrentamos uma das melhores defesas”.

Erick Flores e a volta por cima

Sobretudo, o comandante rendeu elogios ao atacante Erick Flores, que após ficar preso em Erechim por conta do não pagamento de pensão alimentícia, o atleta voltou com o pé direito. Ao passo que o camisa 12 foi autor de um dos quatro gols da partida contra o Campinense. De acordo com o técnico, o jogador é maduro e muito comprometido com o Leão.

Ele teve uma semana excepcional. Erick é um jogador maduro, muito comprometido com nosso projeto do acesso. É um jogador que, desde o ano passado, veste essa camisa com muita disposição. Quando teve o problema, o grupo foi muito empático, se preocupou com ele, não deixou de lado. Não só o grupo, mas a diretoria e comissão técnica queriam ajudá-lo”, contou.

Próximo duelo

A saber que o Remo tem um compromisso na próxima segunda-feira (13), contra o Volta Redonda. Assim sendo, Bonamigo disse que o confronto será mais uma batalha para o Rei da Amazônia.

“Sabemos que segunda-feira (13/06) temos uma outra grande batalha. Essa competição é feita disso. Temos que ir superando cada degrau, aprender, tirar lições de alguns revés. As derrotas precisam ser pedagógicas e ensinar. Sempre falo para eles, por exemplo, sobre o empate com o São José (RS), onde nos descuidamos em 2 minutos e tomamos 2 gols, mesmo jogando bem”.

Foto: Samara Miranda/Ascom Remo 

Tity Marx
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.