A última semana foi bem complicada para o Remo, isso porque vários atletas do elenco deixaram o clube em comum acordo. Entretanto, as baixas que pareciam ser uma dor de cabeça, fez com o técnico Eduardo Baptista colocasse em prática toda sua experiência profissional. Assim sendo, em entrevista, o treinador destacou que os que permaneceram vestiram literalmente a camisa e que a função dele é contornar, amenizar o problema já instalado. Além disso, pontuou como positiva as atuações testes de Mafra, Pingo e Curuá.

Os atletas que permaneceram vestiram a camisa, compraram a ideia. A Prova foram esses dois jogos. Realmente perdemos uma boa parte da equipe titular e nessas horas difíceis é que surgem alguns nomes. O problema já está instalado, eu corro atrás de solução. Uma aposta hoje foi no Mafra, o próprio Pingo, o Curuá entrou muito bem mais uma vez. Vamos ganhando opções. Os atletas que ficaram, que compraram com a nossa torcida, que tão jogando junto, serão com eles que vamos brigar pelo título da Copa Verde”.

Com o triunfo sobre o Paysandu, o Leão chega a sua terceira final do certame regional e busca conquistar o título inédito de campeão na competição. Eduardo Baptista ressaltou que o foco eram os dois clássicos Re-Pa, mas afirmou que até quarta-feira (8), haverá tempo para avaliar bem o adversário goiano.

Estávamos muito focados nesses dois jogos contra o contra o Paysandu. Conheço a equipe do Vila Nova, conheço seus jogadores. Temos um tempinho para poder analisar o Vila Nova e decidir sobre a melhor estratégia”.

Foto: Samara Miranda/ASCOM Remo

Tathiane Marques
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.