Sylvinho

Antes de mais nada, o Corinthians perdeu para o Flamengo, por 1 x 0, com gol de Bruno Henrique, em partida do Brasileirão 2021. A saber, no Maracanã. Dessa maneira, o técnico Sylvinho falou sobre a seca de vitórias do Timão, fora de Itaquera, pois o último triunfo foi contra o Grêmio no dia 28 de agosto, pela 18ª rodada do nacional.

“Passamos o primeiro turno inteiro respondendo o contrário, por que performava fora e não em casa, isso é um time que se constrói, que está buscando identidade, um time mais técnico porque chegaram peças. Que pressiona menos e busca alternativas de equilíbrio. Tem outras variáveis. Tirar um trecho do contexto não é verdade, temos que analisar quem são esses sete rivais. Agora estamos buscando um time que ganhe fora e em casa. Isso necessita construção. Primeiro turno era o contrário. Esse time vai se moldando”, disse Sylvinho.

Em seguida, explicou o motivo de Renato Augusto não conseguir articular as jogadas no meio-campo.

 “O que é um atleta isolado no meio-campo? Repetimos time. As variáveis são as mesmas. O que te faz não criar é o adversário qualificado e forte do outro lado. Com relação aos passes, jogo complicado e não conseguimos trocar. Abríamos campo, Flamengo tem pressão forte, independente de segunda linha, atacantes pressionam. Depois dos primeiros sete ou dez minutos nada bons, bem ruins, abrimos um pouco de campo, mas o acabamento de jogadas não era bom, chutes de 35 metros, cruzamentos, não era isso. Era tocar e conseguir melhor definição. Uma vez que esse time se compacta. Você joga no campo rival contra seis atletas que estão defendendo naquele momento. Não incomodamos o rival. Não ficamos com a bola”, declarou.

SYLVINHO SOBRE REENCONTRO COM FÁBIO CARILLE, EX-TÉCNICO DO TIMÃO

Por fim, o Corinthians recebe o Santos, neste domingo (21), às 16h (horário de Brasília), na Neo Química Arena. Com isso, o treinador irá rever o técnico Fábio Carille, campeão Brasileiro de 2017 e tricampeão do Paulista, e trabalhou junto com a comissão técnica do Tite.

“As lembranças do Fábio são as melhores, técnicos diferentes, pessoa magnífica. Jogo é jogo, campeonato, trabalho, profissão. Por mais que se toque no nome com carinho, a dimensão do jogo é altíssima. Ali vai ser Corinthians contra Santos, o que vale é profissão, é trabalho. Fábio é uma pessoa encantadora”, concluiu.

Foto destaque: Divulgação/Marcelo Cortes/Flamengo

Juan Camilo
Meu nome é Juan Pablo, tenho 19 anos e estudo Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi (UAM). O jornalismo é um privilégio de estar nessa área incrível. Amo futebol, basquete, jogos antigos. Meu objetivo é conseguir ser um dos melhores jornalistas e ser correspondente esportivo.
https://linktr.ee/juanpablocamilo