Sunderland: de seis vezes campeão a terceira divisão do inglês

Nesta semana, a coluna Reino Unido pelo Futebol fala sobre o Sunderland, sem dúvidas nenhuma um dos clubes mais tradicionais da Inglaterra. Com seis títulos da primeira divisão (atual Premier League) além de, duas FA cup e uma Community Shield. Mas, como um clube que passou mais de 10 anos na elite do futebol inglês entre 2007 e 2017 consegue hoje figurar na 3ª divisão ?

PRIMÓRDIOS

O professor James Allan fundou o clube em outubro de 1879 como Sunderland and District Teachers AFC. Todavia, evidências sugerem que ele registrou o clube, de modo formal,  pouco menos de um ano depois, em 25 de setembro de 1880. Desta vez, renomeado para Sunderland AFC e tornou-se aberto para mais pessoas além de professores em outubro de 1880.

Os Black Cats juntaram-se à Football League, (então primeira divisão), na temporada de 1890-1891 e um ano depois a equipe sagrou-se campeã. Essa conquista levou o The Times (tabloide britânico) a descreve-los como “um time maravilhosamente bom”.

O Sunderland defendeu com sucesso o título na temporada seguinte, com a ajuda do então centroavante do clube, o  escocês John Campbell. O atacante quebrou a marca de 30 gols pela segunda vez em temporadas consecutivas. No caminho, eles se tornaram o primeiro time a marcar 100 gols em uma temporada, um feito não igualado até 1919–20, quando o West Bromwich Albion estabeleceu um novo recorde.

O clube ainda esteve perto de ganhar o terceiro campeonato consecutivo da liga na temporada de 1893-94 , terminando em segundo, atrás do Aston Villa. No entanto, eles recuperaram o título na temporada de 1894-95 , terminando a temporada à frente do Everton. Campbell veio a se tornar o artilheiro da liga pela terceira vez e destaque principal da equipe em suas três primeiras conquistas.

A IMPORTÂNCIA DOS ESCOCESES

A princípio, para o sucesso do Sunderland foi fundamental a nação escocesa, mais conhecidos como os Scotch Professors. Os jogadores escoceses do final do século 19 que se mudaram para o sul para jogar por clubes participantes da Liga de Futebol Inglesa, durante o período em que o futebol se tornou profissional na Inglaterra.

A origem do nome baseava-se no distinto estilo de jogo escocês, descrito na época como o “futebol combinado” que tinha como característica um jogo de passes, com maior trabalho em equipe, em oposição ao estilo individualista de dribles, comum na Inglaterra no momento. Contudo, a mídia descreveu esse estilo distinto de jogo como “uma mudança na natureza do futebol” que se tornou a marca registrada do futebol escocês da época. A habilidade dos jogadores escoceses, sua técnica aparentemente superior e a natureza de seu jogo impressionaram os espectadores ingleses durante os jogos entre Escócia e Inglaterra, partidas essas que aconteciam desde 1872 e levaram um grande número de jogadores escoceses a se mudar para o sul para jogar profissionalmente em clubes ingleses, uma vez que isso se tornou legal em 1885.

Samuel Tyzack, que ao lado do construtor de navios Robert Turnbull financiou o clube, muitas vezes fingiu ser um padre enquanto procurava jogadores na Escócia. Já que a política de recrutamento do Sunderland na Escócia enfurecia muitos fãs escoceses. Na verdade, toda a escalação do Sunderland no Campeonato Mundial de 1895 foi feita de jogadores inteiramente escoceses. Os escoceses que optavam por rumar para a Inglaterra sofriam com críticas e descritos como “miseráveis traidores” e “mercenários de base”.

O goleiro do Sunderland, Ned Doig estabeleceu um recorde mundial do século 19 ao não sofrer nenhum gol em 87 de suas 290 partidas na primeira divisão.

MUDANÇA DE CASA, MAIS TÍTULOS E ESCÂNDALO

Em 1898, o clube mudou-se para o que se tornaria sua casa por quase um século, o Roker Park. Inicialmente, o terreno tinha uma capacidade de 30.000. No entanto, nas décadas seguintes, ele foi continuamente expandido e, em seu auge, teria uma multidão oficial de mais de 75.000 pessoas na sexta rodada da FA Cup contra o Derby County em 8 de março de 1933

Após um segundo lugar no campeonato nacional em 1900-01, o clube ganhou seu quarto título da liga na temporada 1901-02.

Em 1904, a gestão do Sunderland se envolveu em um escândalo de pagamento envolvendo o jogador Andrew McCombie. O clube teria dado ao jogador  £ 1000 (£ 10,9 mil hoje) para ajudá-lo a começar seu próprio negócio, no entendimento de que ele reembolsaria o dinheiro. No entanto, McCombie se recusou a devolver o dinheiro, alegando que tinha sido um presente.

A Football Association concluiu, durante a investigação, que McCombie recebeu o dinheiro por parte de um “bônus de nova assinatura/vitória/empate”, que violava as regras da Associação. O Sunderland recebeu a punição de £ 2500 (£ 27,1 mil hoje), e seis diretores, suspensos por dois anos e meio, por não mostrarem um registro verdadeiro das transações financeiras do clube. Mackie também foi suspenso por três meses por seu envolvimento no caso.

MAIS TÍTULOS

Em 1913 o Sunderland conquistou seu quinto título nacional, mas perdeu sua primeira final da FA Cup por 1-0 frente ao Aston Villa. Este foi o mais próximo que o clube chegou de ganhar o título da liga e a Copa da Inglaterra na mesma temporada.

Após a paralisação do futebol devido a segunda guerra mundial o Sunderland chegou muito perto de conquistar o campeonato duas vezes, todavia, a equipe terminou em segundo em 1922-23 e terceiro colocado no ano seguinte.

O sexto campeonato da liga do clube veio na temporada 1935-36. O Sunderland marcou 109 gols durante a temporada. O campeonato da Liga levou o Sunderland a jogar contra o Arsenal vencedor da FA Cup a Community Shield. O Sunderland ganhou o escudo após gols de Eddie Burbanks e Raich Carter.

Apesar de vencer o campeonato, o jovem goleiro do time, Jimmy Thorpe , morreu na sequência de um chute na cabeça e no peito depois de defender um chute em um jogo contra o Chelsea no Roker Park . Ele continuou a participar até o final da partida, mas desmaiou em casa depois e morreu no hospital quatro dias depois. Este trágico incidente levou a uma mudança nas regras, em que os jogadores não podiam mais levantar o pé para o goleiro quando ele tinha o controle da bola em seus braços.

PRIMEIRO REBAIXAMENTO

Bastante complicado para o Sunderland foi o final da década de 1950, pois o clube foi mais uma vez implicado em um grande escândalo financeiro em 1957. Considerado culpado por fazer pagamentos a jogadores acima do salário máximo , eles foram multados em £ 5.000 (£ 121.000 hoje), e seu presidente e três diretores foram suspensos. No ano seguinte, o Sunderland foi rebaixado da divisão mais alta pela primeira vez em seus 68 anos de história da liga.

A ausência do Sunderland na primeira divisão durou seis anos. O clube conseguiu acesso à primeira divisão em 1964 após terminar em segundo lugar. Entretanto, eles foram novamente rebaixados para a Segunda Divisão após terminar em 21º

O Sunderland conquistou seu último grande troféu em 1973, na vitória por 1 a 0 sobre o Leeds United na final da Copa da Inglaterra.  Desde 1973, apenas dois outros clubes, Southampton em 1976, West Ham United em 1980, igualaram a conquista do Sunderland de erguer a FA Cup enquanto jogava fora da primeira divisão do futebol inglês.

PRIMEIRA QUEDA PARA A TERCEIRONA E NOVO ESTÁDIO

Em 1987, o Sunderland viveu um dos pontos mais baixos de sua história, quando descendeu para a Terceira Divisão da liga inglesa pela primeira vez. Sob o novo presidente Bob Murray e novo gerente Denis Smith , o clube foi promovido na temporada seguinte. Em 1990, eles foram promovidos de volta à primeira divisão em circunstâncias incomuns. O Sunderland perdeu para Swindon Town na final do play-off. Porém revogaram a promoção do Swindon devido a irregularidades financeiras. Com isso o Sunderland subiu.

Em 1997, Sunderland deixou Roker Park , sua casa por 99 anos. Com boas lembranças do estádio, o ex-jogador do Sunderland Len Shackleton disse: “Nunca haverá outro lugar como Roker”. O clube mudou-se para o Stadium of Light, uma arena de 42.000 lugares. A capacidade, posteriormente, aumentou para 49.000.

NOVA DIREÇÃO

Nos anos 2000 o Sunderland foi rebaixado mais duas vezes. Contudo, após o rebaixamento do Sunderland da Premier League, o consórcio irlandês Drumaville assumiu o clube, liderado pelo ex-jogador Niall Quinn, que nomeou o ex-capitão do Manchester United, Roy Keane como o novo técnico. Sob o comando de Keane, o clube subiu firmemente na tabela com uma série de invencibilidade de 17 jogos e confirmou não só a promoção para a premier league como o título da “segunda divisão” inglesa.

Na sequência de um início inconsistente para a Temporada 2008-09, Keane renunciou. Antes do início da campanha de 2009-10, o empresário irlandês-americano Ellis Short completou a aquisição total do clube. Nos oito anos depois de Short adquirir o Sunderland a equipe fez contratações caras e também conseguiu boas vendas como PickfordJordan Henderson, atual capitão do Liverpool. Todavia, foram anos de muita angustia, principalmente na luta frequente contra o rebaixamento.

NOVAMENTE NA TERCEIRONA

Em maio de 2016, a torcida do Sunderland comemorou demais a vitória sobre o Everton por 3 a 0 na penúltima rodada do Campeonato Inglês. Além de salvar o time da degola, o resultado decretou a queda do arquirrival Newcastle. Sunderland estava em êxtase, afinal, o Newcastle, caiu algumas vezes, mas nunca pelo maior rival. Torcedores contrataram um avião para sobrevoar o estádio do Newcastle na última rodada com uma faixa com a escrita “Adeus Premier, hora de partir”.

O canto da torcida do Sunderland nas arquibancadas era “Aproveite a segunda divisão e os jogos fora de casa contra o Burton Albion“. O problema é que eles também tinham motivos para ficarem preocupados, afinal, o time precisou lutar até o final para não cair. O filme se repetiu na temporada seguinte, mas, desta vez, o Sunderland não teve o que comemorar.

Além de ter caído com a pior campanha do Campeonato Inglês em 2017 o Sunderland viu o rival Newcastle comemorar o título da segunda divisão, ou seja, em apenas um ano, o jogo virou completamente. E era apenas o começo da vingança.

Além disso, nem o mais pessimista torcedor do Sunderland poderia imaginar que o time amargaria a lanterna da segunda divisão em 2018, e seria rebaixado para a terceirona com duas rodadas de antecedência. Pior: com derrota para o Burton Albion, justamente aquele time que a torcida cantava para provocar o rival. Enquanto isso, na elite, o Newcastle fez uma campanha sólida, sem nenhum risco de cair novamente.

VOLTA AS GLÓRIAS ?

Em abril de 2018, um grupo liderado por Stewart Donald comprou o clube após o segundo rebaixamento consecutivo. O antigo dono, Ellis Short, foi o proprietário do clube ao longo da década vivida na Premier League, conseguindo alguns desempenhos razoáveis e a manutenção na elite. Todavia, ele ficaria no cargo até abril de 2018, quando os dois rebaixamentos consecutivos e as enormes dívidas o levaram a vender os Black Cats para o consórcio presidido por Stewart Donald.

Os novos donos não melhoraram o desempenho em campo e logo passaram a lidar com a insatisfação dos torcedores. Menos de um ano depois, Donald fazia declarações públicas de que desejava vender a agremiação o quanto antes e procurar novos proprietários. Por outro lado durante as últimas temporadas, este reduziu os débitos e deixou o clube com uma situação menos caótica aos interessados.

Em fevereiro a Football League aprovou o negócio feito por Kyril Louis-Dreyfus, herdeiro de uma fortuna bilionária que, aos 23 anos, se tornou o acionista majoritário do clube.  O novo dono da equipe é filho de Robert Louis-Dreyfus, antigo dono do Olympique de Marselha, da França e antigo presidente de Adidas. Ele tem uma fortuna avaliada em torno de R$ 29 bilhões.

A princípio, o bilionário assinou um comunicado em que prometia uma “estratégia de longo prazo que integra as orgulhosas tradições do Sunderland com uma estrutura moderna e novas abordagens”. Sobretudo, Kyril pregou também a inovação, para aprimorar o desenvolvimento dos jogadores e o próprio estilo de jogo da equipe. Agora, resta enfim saber se o suíço será capaz de trazer o Sunderland de volta as glórias.

Foto destaque: reprodução/Instagram Sunderland

Erick Nascimento

Avatar
Erick Uchoa Nascimento
Prazer, me chamo Erick Uchoa Nascimento, tenho 18 anos e resido em São Paulo capital. Optei pelo jornalismo por ser uma forma de me manter perto do que eu mais amo, esportes, em especial, futebol e basquete. Tenho o grande sonho de um dia poder cobrir grandes eventos, como a Libertadores, UEFA champions League e quem sabe até uma Copa do Mundo ou NBA. Curso jornalismo na Universidade Nove de Julho.

Deixe uma resposta