Solskjaer culpa calendário apertado por eliminação na Copa da Inglaterra (Foto: Reprodução/Getty Images)

Eliminado pelo Leicester na Copa da Inglaterra no último domingo (21), o Manchester United viu as chances de títulos nacionais na temporada ficarem cada vez mais distantes. Isso porque o clube está longe do atual líder da Premier League, Manchester City, e não disputa mais nenhuma copa do país. Assim, o técnico Ole Gunnar Solskjaer ressaltou o calendário apertado como principal fator para a derrota.

“Não tivemos faísca hoje, mas é compreensível. A equipe tem sido fantástica nos últimos três ou quatro meses. Jogamos de três em três dias e foi uma grande caminhada, acabamos por pagar o preço por todos os jogos e viagens. Ficamos muito cansados depois da noite de quinta-feira em Milão. Não tivemos aquela garra e confiança hoje”, afirmou.

Além disso, o treinador ressaltou a falta de tempo em campo de jogadores como Martial e Van de Beek, bem como explicou a ausência de Bruno Fernandes entre os titulares por conta do cansaço. Ademais, Solskjaer declarou que não se arrepende das substituições que fez no duelo, ainda que não tenham dado resultado.

A partida diante do Leicester foi a terceira do Manchester United dentro de uma semana. No domingo anterior (14), os Red Devils enfrentaram e venceram o West Ham, em casa, pela Premier League. Em seguida, já na quinta-feira, a equipe triunfou sobre o Milan, na Itália, e garantiu vaga nas quartas de final da Europa League. Por fim, o duelo contra os Foxes fechou a sequência.

A partir de agora, os Diabos Vermelhos têm pela frente apenas a Premier League e a Europa League. Contudo, apesar do calendário corrido recentemente, o clube só volta a campo no dia 4 de abril, já que a data FIFA se inicia nessa semana com jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo.

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images

Renan Liskai
Renan Liskai
Muito prazer! Sou Renan Liskai, paulista, natural de Santo André. Desde 1998 falando, respirando, sorrindo, chorando e enlouquecendo por futebol. A vida de goleiro não deu certo, mas o jornalismo sempre esteve ali. Descobri que se não podia estar dentro de campo ou das quadras, eu poderia estar do lado de fora, mas sempre vivendo tudo isso. Sou daqueles que não perde um jogo de futebol por nada, seja ele qual for. Costumo dizer que esse esporte é assunto mundial e que não há uma pessoa no mundo que nunca tenha falado sobre tudo que acontece dentro e além das quatro linhas. Assim como todo mundo, carrego uma história e experiências. Sou filho, irmão, neto, amigo e sempre serei um eterno aprendiz dessa vida.